dez 2, 2012 - medicação    304 Comments

Os efeitos colaterais do Venvanse

Primeiramente me desculpem por ficar tanto tempo afastado aqui do blog. Minha vida profissional tem sugado todo o meu tempo livre e o pouco tempo que sobra, tenho usado para focar em outros dois projetos paralelos que tenho e uma pós-graduação. Mas sinto uma vontade imensa de escrever e falar com vocês aqui no blog. Tenho ficado cada dia mais feliz com os acessos crescentes e os comentários que recebo por aqui e no twitter. O que me faz ficar com a consciência ainda mais pesada por postar tão pouco. Mas se você está aqui, sabe o quão fácil é para um DDA procrastinar.

Mas enquanto eu tiver o quer compartilhar, estarei aqui. Só não garanto uma frequência certa. Vou procurar arrancar forças de onde for. Afinal de contas, somos guerreiros! E os comentários e o incentivo de vocês é que irá me mover.

Vamos ao que interessa, os efeitos colaterais do Venvanse.

Comecei a usar o Venvanse (dimesilato de lisdexanfetamina) por insistência da minha médica, que não se conformava por eu continuar esquecendo coisas. Ela sempre me dizia desse medicamento novo, que é uma anfetamina, que tem um método super sofisticado de metabolizar no nosso organismo, sem passar pelo fígado e com a promessa de poucos efeitos colaterais. Outra grande promessa do Venvanse é o de diminuir o efeito de saída do medicamento. Em outras palavras, reduzir a depressão que toma conta do paciente logo após o efeito do remédio ir embora.

Os efeitos colaterais do Venvanse

Eu não sofria dessa depressão pós-efeito e fui resistente a troca. Muito por conta do preço ser ainda mais alto que o do Concerta 54. Para se ter uma ideia, uma caixa do Venvanse 70 com 28 capsulas pode chegar a 360 reais. Sim, um absurdo! Mas acabei cedendo e resolvendo experimentar. Minha médica me deu duas receitas, uma com o Venvanse 50 e outra com o de 70. Em uma linha de equivalência, o Concerta 18 é equivalente ao Venvanse 30, o Concerta 36 ao Venvanse 50 e o Concerta 54 ao Venvanse 70.

Comecei a tomar o Venvanse 50 e a sensação que eu tinha era a mesma lá de trás, de quando eu comecei a usar o Concerta. Lembra que eu dizia que tinha a sensação que eu já nem precisava do remédio? Então, tomando o Venvanse eu tive a sensação de que o Concerta não fazia efeito algum. Voltei a ficar ligado a tempo todo, produtivo, raciocínio rápido, a ter opinião sobre tudo, conversar, conversar e conversar. O remédio parece que me tirava a inibição, me dava coragem para conversar e expressar minha opinião, já que conseguia manter um raciocínio, ligar pensamentos e ter ideias claras.

Tudo estava lindo e maravilhoso, mas a conta logo veio. Meu apetite sumiu, eu não conseguia dormir mais no horário, ficava ligado até duas horas da manhã, minha cabeça fervia de ideias e eu não conseguia parar de pensar. Despertava no meio da noite e começava a rascunhar no meu caderno situações que eu gostaria de tratar no dia seguinte, ideias e mais ideias pipocavam, mas o meu corpo pedia arrego. Ele não estava preparado para aquele novo eu. Eu chegava no final de semana destruído, moído. Deixava de tomar o remédio nos finais de semana para poder descansar. Com o tempo, já na quarta-feira eu estava morto e com a sensação de cansaço de uma sexta.

Os efeitos colaterais do Venvanse

Comecei a ver o mundo e as pessoas de outra forma. Sempre fui muito questionador, passei a ser mais. Sempre fui sincero com as pessoas, passei a ser mais. Sempre fui muito exigente comigo mesmo e com as pessoas, passei a ser mais ainda. Tudo foi potencializado. Passei a ter a sensação de que só eu via as coisas erradas acontecendo. Tudo para mim era muito óbvio. Antes de alguém concluir o seu raciocínio, eu já sabia o que ele queria dizer. Em reuniões para tratar situações de crise, eu conseguia enxergar além, ligar a situação atual com acontecimentos do passado, resgatando lá atrás o real motivo de estarmos ali naquela discussão. Comecei a ficar indignado por só eu ter visto aquilo: “Como assim vocês não viram isso?“. E sabem o que é pior? Eu não me sentia mais inteligente que os demais por perceber aquilo. Achava que eles, por estarem em uma posição mais privilegiada que a minha, é que deveriam ter chegado a conclusão que eu tive. Eles é que eram incompetentes demais para ocuparem a posição que estavam ocupando. “Como assim? Eu um simples mortal percebi isso e eles não?

Os efeitos colaterais do Venvanse

Mas isso foi me consumindo forças e energias que eu já não tinha mais. E a coisa só piorou quando passei a usar o Venvanse 70. Wow! Ai sim, tudo ficou pior. Continuei insistindo na esperança do meu organismo acostumar, como acostumou com o Concerta 54. E nada! Meu apetite desaparecia e fui só perdendo peso. Com isso minha imunidade baixou e fiquei mais suscetível a doenças. Qualquer resfriado me derrubava. Em uma das sessões de terapia falei sobre isso com o meu terapeuta. Ele pediu que eu interrompesse logo o uso do remédio e procurasse rápido a psiquiatra. E assim eu fiz. Expliquei tudo o que aconteceu e pedi para voltar a usar o Concerta.

Os efeitos colaterais do Venvanse

Ela achou estranho a minha reação e disse que, entre todos os seus pacientes, nenhum outro apresentou os mesmos efeitos colaterais.

Depois de quase dois meses com o Venvanse 50 e 70, voltei a usar o Concerta 54. Minha vida voltou ao eixo normal. Os efeitos colaterais do Venvanse já não existiam mais. Passei a comer bem e dormir no horário. Minha cabeça já não fervia mais de ideias e eu conseguia trabalhar de segunda a sexta sem chegar tão cansado no final de semana. Mas aquele João de antes já não existia mais, aquele que via tudo de uma forma muito mais clara, que questionava e que apontava o dedo para o que tinha de errado. As pessoas que conviviam comigo passaram a me cobrar o comportamento que eu tinha lá atrás e esperar que eu continuasse a agir da mesma forma. E eu também esperava. Comecei a sentir falta. Infelizmente.

Sabe qual a constatação que eu tirei disso tudo? De que o TDAH age em nossas vidas como um limitador da nossa capacidade, mas um limitador do bem. Tipo, temos potenciais para usar toda a capacidade do nosso cérebro, mas usar essa capacidade toda gera desgastes muito piores em nossas vidas. Lembro de um episódio de Smallville onde o pai adotivo de Clark Kent, o Superman, recebe temporariamente poderes iguais aos do filho para lhe salvar. A consequência foi sua morte precoce, justificada pelo coração fraco e desgastado com o uso potencializado pelos poderes que ele adquiriu temporariamente.

Os efeitos colaterais do Venvanse

Pode parecer uma analogia boba, mas para mim faz todo o sentido. O medicamento nos dá poderes que não temos naturalmente. Muitos defendem que o TDAH não é uma doença e sim uma condição. Mas lanço um questionamento: Se não temos o poder da atenção naturamente, existe um motivo superior que justifque, motivo este que não seja justificado como uma doença? É uma condição? Ok! Mas qual o motivo dessa condição? Seria uma defesa do nosso organismo?

Enfim, fiquem a vontade para expressarem suas opiniões na caixinha de comentários.

Encerro esse post por aqui. Como este ficou longo, falo no próximo sobre como e por qual motivo voltei a usar o Venvanse, depois desse tumulto todo relatado aqui.

Mas e você, tem alguma opinião sobre os efeitos colaterais do Venvanse em suas vidas? Conta, conta, conta! :)

Até mais!

304 Comments

  • Que bom que vc postou novamente!
    Gostei da sua reflexão sobre nossos limites…há dois meses parei de tomar Concerta 36mg justamente por me sentir esgotada. Sei que meu potencial permite 60hs de trabalho por semana + mestrado, porém estou repensando se realmente quero gastar todo meu tempo dessa forma tão executiva!
    Minha produtividade caiu…obviamente, porém estava com saudades de quem eu era, não da pessoa desorganizada e atrapalhada, mas daquela que tinha um pensamento mais livre…uma mente mais calma.
    Estou curiosíssima pela sua nova experiência com o Venvanse…take your time!

    • Oi Ca!
      Pois é.. as vezes eu também tenho vontade de ficar com a mente mais calma, mais relax. Faço isso algumas vezes até durante a semana, quando eu sei que o trabalho vai me permitir, dai eu não tomo o remédio.

      Mas o Venvanse de 5o e 70 tava me deixando com essa vontade todos os dias.
      Enfim.. mas se eu for falar mais sobre isso aqui acabo revelando assunto do próximo post. Acho que eu consigo terminar de escrever esse final de semana. Será? hahaha. Veremos!
      Obrigado pela visita!

      • Tudo bem?
        muito bom seu blog, eu tomo venvanse e realmente fico sem fome e acelerado, sem sono , e muitas vezes esgotado no final do dia, que é justamente quando tenho aula na faculdade. ja estou no meu terceiro curso e ainda nao me formei. Muito desanimador.
        ja tomei Concerta e acho que dentre eles o venvanse é o melhor, tem menos efeitos colaterais.
        O interessante e aue quando senti pra fazer algo, nao levanto nem pra comer, fico ali fixado, igual um zumbi.
        Oque mais me chateia e minha desorganização, e nunca conseguir fazer as coisas no tempo em que gostaria. Esse problema(tdha) não é facil e muitas vezes me pergunto porque nasci com isso. Ao mesmo tempo que sei que sou uma das pessoas mais criativas em meu meio, so falta descobrir em que realmente sou bom para poder usá-la.

        • Leo, eu tb continuo muito desorganizado. Perco e esqueço coisas a todo momento. E pagar contas em duplicidade e esquecer outras, virou minha especialidade.
          Isso o remédio nunca me ajudou.

          • Leo, eu tb continuo muito desorganizado. Perco e esqueço coisas a todo momento. E pagar contas em duplicidade e esquecer outras, virou minha especialidade.
            Isso o remédio nunca me ajudou. SOU ASSIM TAMBÉM …. mas percebo que antes era distração.. hoje percebo que temos qu trabalhar o hábito de ser desorganizados .. Passei a usar agenda do cel .. escrita fazer planilhas alarme que apita para eu lembrar de consultá-la … procurei me armar de estratégias, para somar melhorar no comportamento.

          • Existem pessoas que comentam que se mantem desorganizados e esquecidos .”Isso o remédio nunca me ajudou”.
            SOU ASSIM TAMBÉM …. mas percebo que antes era distração.. hoje percebo que temos qu trabalhar o hábito de ser desorganizados .. Passei a usar agenda do cel .. escrita fazer planilhas alarme que apita para eu lembrar de consultá-la … procurei me armar de estratégias, para somar melhorar no comportamento.

          • É uma ótima estratégia, Cris. Desde que ela seja mantida no longo prazo.
            Eu volto e meia acabo conseguindo me organizar. Mas basta algo sair da rotina para que tudo volte a ser como antes.

        • Sou portador de DDA e sei como é difícil viver com isso! Vivemos numa sociedade que somos cobrados desde de crianças a provar que somos os melhores, e isso nos destrói.
          Já tomei ritalina, estavigile e agora estou no venvance 50, e se a parecer mais alguma novidade vou testar sem medo, nunca usei drogas, não fumo e não bebo álcool, tenho o direito de usar algo que me faz bem e ter média 8 na faculdade me deixa muito bem.
          Queria dizer para aquelas pessoas que não sofrem de DDA que respeitem a os que possuem.

          Grande abraço e que Deus nos ilumine.

      • VC tomava algum antidepressivo enquanto tomava Venvanse 70?

        • Ola Galera. Eu tenho 22 anos, sou formado em enfermagem e, atualmente, faço cursinho pré vestibular para outra graduação. Durante toda a vida, notei certa dificuldade em concentração, tanto que durante a faculdade, tive vários problemas em me concentrar durante um procedimento. Durante as aulas, parecia que eu não estava lá, o professor acabava de explicar a matéria e eu não conseguia no final saber direito o que estava falando. Esquecia as coisas fácil, daí, comecei fazer uso da ritalina 10 mg. Consigo estudar das 7 às 23 h sem cansar. Percebi maior concentração nas aulas e melhor raciocínio, mas, estou preocupado porque fiquei sem tomar 4 dias e quis dormir infinitamente. Meu corpo ficou pesado, cabeça, não conseguia pensar direito, enfim… voltei a tomar. Antes da ritalina, tomava antidepressivo, agora apenas a rita. Esses sintomas seriam de dependência? Eu me mudei de cidade e não consegui mais contato com meu médico.

        • Todos parecem que vao morrer qdo começam a tomar o Venvanse?
          deprimida coisa do tipo

          • ola Laura, comecei a tomar o venvanse 30mg, tem 3 semanas, nos primeiros dias eu estava otima, prestando atencao, com vontade de levantar e fazer alguma coisa produtiva etc… mas ultimamente ando sem animo, sem vontade de nada ,mesmo coisas prazerosas. Nao tive nenhum pensamento suicida nessas 3 semanas, sendo que eu geralmente tenho, me trato pra depressao tbm e como sou bipolar fiquei com medo de iniciar o venvanse porque ele me deixa muito euforica, porem nunca apresentei um ep de mania usando ele.

            hoje vou na minha psiquiatra e imagino que ela va mudar a dose do venvanse, e se eu sentir algum pensamento suicida aviso.

            boa sorte laura!

  • Olá,adorei seu post sobre o Venvanse. De todos que li até aqui foi o que mais me identifiquei. No meu caso, não cheguei a tomá-lo após receita do psiquiatra. Um amigo viu os sintomas em mim e me deu para tomar. Me senti um verdadeiro Super Homem! rs De qualquer forma, estou teimando em ir no Psiquiatra logo. Quem sabe esta semana?

    De qualquer forma, aguardo ansioso seu post.

    • Oi Lu!
      Eu acho super importante que você procure um psiquiatra para fazer o acompanhamento. Mas um que aceite o TDAH como distúrbio.
      Eu cheguei a receber umas propostas de amigos médicos (não psiquiatras) do tipo “te dou a receita e vc compra”. Mas sem chances! Não aceitei. Se estivesse aceitado, hoje teria até desistido do tratamento, já que levei quase um ano para acertar com o medicamento e a dosagem certa.
      Obrigado pela visita! ;)

      • oi, estou aqui lendo tudo isso e lembrando da minha infância ! que pena que eu não me tratei ! hoje tenho uma filha de 7 anos com TDH, e sofro junto com ela ;
        ela ……. ( no momento estou chorando) , só sei dizer que estou muito cansada , esgotada disso tudo , e pra piorar me separei do pai delas e hoje sou eu e elas , elas porque tem uma outra linda na minha vida que se chama maria clara 9 anos; sofremos juntas , juntas falo porque vimos e sentimos o comportamento de cecilia tao sofrido , para controlar as proprias emoções, como minha filha é linda como eu gostaria de tirar isso dela . ela esta tomando o venvanse a 6 meses 30mg só que eu tenho que colocar o pó no danone para ela tomar pois ela nao toma comprimido , Meu Deus ! todo dia é uma luta pra realizar as minimas tarefas , ir pra escola nem se fala ; não sei mais o que fazer , me sinto esgotada fisicamente e mentalmente .

        • Geruza, meu coração fica apertado lendo o seu depoimento. Fico imaginando a minha mãe no passado, sofrendo e tentando buscar ajuda para entender o que acontecia comigo. E na época foi pior, ninguém soube dar respostas a ela. O que eu posso te desejar é que Deus continue lhe dando forças para ajudar tua filha. Como conselho, sugiro que vc não dissolva o remédio no iogurte. Trabalhe para que ela aceite tomar o comprimido. A cápsula tem toda uma tecnologia para que o medicamento seja liberado aos poucos no organismo e que o efeito prolongue ao longo do dia. Inclusive esse é um dos motivos dele ser tão caro. Enfim, isso pode fazer com que sua filha reaja melhor ao efeito dele. Espero ter ajudado!

          • Oi,
            me emocionei em ler seu comentário, tenho uma filha hoje com 8 anos com tdha e distúrbio opositor desafiador. Sofremos muito, moramos em uma cidade em que não se tem recurso algum para nos atender a exclusão se tornou nosso cartão de visita. Estamos começando um tratamento com venvanse, ela toma o de 30 mas esta muito complicado ela sofre com altos picos de depressão, já tentamos a ritalina e o concerta, estou apostando que seja compensado tanto sofrimento.

  • tenho 42 anos . comecei a tomar ritalina por indicação do psiquiatra. ele quis iniciar com uma dose baixa 10mg. percebi que estava mais facil me concentrar na pós graduação mas comecei a me sentir confuso em diversos momentos e por conta disso, suspendemos o medicamento. agora ele propos usarmos venvanse, porém estou temeroso da piora do quadro ou algum outro efeito…

    • Francisco,
      o começo é assim mesmo. Vc tem que ir testando o medicamento e a dosagem que seu organismo melhor adapta. Por isso acho super importante o acompanhamento de um psiquiatra.
      Eu levei quase um ano para me adaptar.
      Mas o importante é você não desistir. Os efeitos colaterais uma hora vão embora.
      Obrigado pela visita!

      • Eh super dificil achar a dosagem correta ao seu ritmo, respeitar os limites do seu organismo e os limites impostos por 40 anos “nao diagnosticados”……cansa muito, mas recomendo persistir!

  • Olá, meu filho de 15 anos tem tdah e começou o tratamento com a Ritalina 10mg, começou a nos ajudar no escritório e o neuro disse para fazermos um teste com o Venvanse. Realmente, ele reclama que o apetite diminuiu bastante, e vejo ele emagrecendo a cada dia. Na próxima consulta vou conversar com o médico sobre o Concerta. Seu blog me ajudou muito. Obrigada.

    • Elizandre,
      quisera eu ter tido a oportunidade de ser tratado desde os 15 anos.
      Quando lembro do tanto de coisa que perdi por não saber o que se passava na minha vida.
      O ideal é fazer isso mesmo, procurar o médico para que ele possa ir testando o medicamento e a dosagem adequada. Eu levei quase um ano. E cada organismo reage de uma forma. Enfim, tem que ter paciência mesmo.
      Continue acompanhando o seu filho! ;) Não desista!
      Obrigado pela visita.

  • [...] Hoje eu já não tomo mais o Concerta. Uso o Venvanse, cujo princípio ativo é o dimesilato de lisdexanfetamina. Mas isso é assunto para outro post. [...]

  • Aguardando ansiosa o proximo post. rs.

    Então… estou com o concerta 54 apenas, mas acordo cansada, indisposta, uma procrastinação terrivel… Ainda não consegui mudar para o Venvanse. Já me senti assim antes do diagnóstico.

    Nossa… tenho de fazer as coisas e só fica no pensamento e estressada. Me cobro muito e sinto cobrada. Consigo energia para ajudar os outros apenas e fico cansadissima e demoro a recuperar.

    O seu blog me ajuda com as informações da sua experiência! Parabéns e Boas Festas!

  • Oi Marce!
    Engraçado como os medicamentos para TDAH agem de formas diferentes em cada paciente, né? Por isso que eu digo o quanto é importante o acompanhamento do psiquiatra. Com o Concerta eu já nem sentia que o remédio fazia efeito, sinal do quanto o meu organismo já tinha se acostumado com ele.
    Mas se serve de consolo, comigo acontece o mesmo. Mesmo sob efeito do Venvanse. Se o remédio faz efeito demais, viro um trator. Produzo tanto, penso tanto, tenho mil idéias. Mas fico um caco no dia seguinte ou nos finais de semana, de tão cansado.
    E continuo procrastinando. Isso pra mim é o pior dos meus defeitos. É uma auto sabotagem. Tenho tantos planos, tantas idéias. Se eu colocasse tudo em prática, acho que eu teria uma vida melhor. Mas não, não consigo. E acho difícil conseguir no curto e médio prazo. Acho que ficamos tanto tempo nessa condição, achando que tudo é normal, que acostumar a ser uma pessoa normal ainda leva tempo.
    Obrigado pelo carinho, pelas visitas e pelas cobranças por novos posts.
    Esse blog e os comentários de vocês me ajudam tanto quanto as sessões de terapia e os medicamentos. ;)

  • Amigo, parabéns pelo post. Você devia tentar umas boas sessões de hipnoterapia. É a coisa mais maravilhosa do mundo pra TDAH ou qualquer outro equilíbrio. Em Brasília tem o Henrique que é muito bom. Ele vai te reequilibrando e ao mesmo tempo te ensinando como sua vida pode ser hipnoticamente positiva de verdade, naturalmente e sem remédio ou mais nada. Tá tudo na sua mente. Tudo!

    Uma das coisas que você falou sobre se sentir mal pra caramba se achando melhor que os outros, não significa que é uma coisa ruim, você só precisa aprender a lidar com isso entendendo que é bom você saber disso tudo e lidar com calma com esse fato. Um bom hipnoterapeuta fará isso com você. À cada sessão ele saberá lhe proporcionar uma mudança e uma solução melhor pros seus problemas. É mais simples do que a gente acha. Entendo seu depoimento e eu mesma tinha TDAH, mas hoje, sem nem achar mais algo extraordinário solucionei meu problema e agradeço muito ao trabalho que fiz de hipnose com o Henrique. E o melhor é que ele diz que nem acredita em TDAH, ou nesses termos, o que no começo me chateava, mas hoje eu vejo o porque e acho engraçado. Muita paz pra você. Beijos!

    Feliz natal e um próspero ano novo!

    Mari

    • Mari,
      experiências com hipnose são novidade pra mim.
      Nunca havia ouvido falar. Vou procurar saber melhor sobre isso.
      Quem sabe um dia vou a Brasília conhecer esse Henrique. ;)
      Mas acredito que ela deve substituir ou complementar as sessões de terapia.
      Ou seja, ajudar com o que está na cabeça. Você se aceitar melhor, parar de se culpar.. enfim.. já para as questões fisiológicas, como bem colocou o Íngua, acho difícil corrigir o desbalanço químico desses 4 neurônios ;)

      Obrigado por compartilhar sua experiência inédita conosco.

      • Boa noite João .
        Sou hipnoterapeuta e posso te dar algumas informações sobre a hipnose no teu caso. Fique a vontade para me escrever. Agora estou com urgência de terminar e ler teu brilhante site e tua bonita disposição.
        Dr Rubecy

        • Ola,
          Fiquei muito interessada nesta terapia, caso possa me dar mais detalhes.
          Sou de SP, psicóloga, diagnosticada com TDAH e tomo Venvanse 70.
          Me sinto muito bem com o Venvanse, pois o Ritalina e Concerta me deixavam ansiosa demais, agressiva, irritada. Todos percebiam, menos eu.
          O Venvanse me deu qualidade de vida. Não sinto efeitos colaterais e consegui com desconto por R$ 237,00. Ainda é muito caro, mas pela qualidade, utilizo.
          Grata.

  • Para mim o Venvanse veio para resolver o que a Ritalina não dava conta…

    Quisera eu viver bem com Venvanse 50mg. Para mim o 70 mal segura… Ritalina cheguei a 100mg e vai aos trancos e barrancos.
    Fora que a mistura (“acidental”) Ritalina + álcool + cigarro me faz ser o mestre de falar groselha e fazer asneira em festas. Mas isso é detalhe…

    O fato é que pra combater o desânimo, ser produtivo, terminar algo que começo, não procrastinar, não dormir dirigindo etc. etc., o Venvanse foi um salvador! Me mantém desperto e atento, e sem ter as flutuações da Ritalina e do Concerta.
    E nunca tive efeitos colaterais perceptíveis.

    Em tempo: Mari, fico realmente MUITO feliz com o resultado que atingiu! Nada mais gratificante nessa vida do que se livrar da “sombra” do TDAH.
    Mas sou obrigado a concordar com o seu Hipnotizador: se vc se livrou com hipnose, não dá pra acreditar em TDAH. Não poderia ser, já que a raiz da coisa é fisiológica, com o desbalanço de 4 neurotransmissores bem conhecidos.
    Concordo com vc: tudo está na nossa cabeça. E muito duro quando o desbalanço químico tá lá junto, dentro dela.
    Aí, voltamos a essa luta…

    Bjos e abraços a quem de direito…

    • Ingua,
      só com o Venvanse 70, sem essa mistura ai de álcool e cigarro, eu já ficava terrível. Não quero nem pensar em como seria se fizesse essa mistura. Putz, eu começava a falar demais, apontar o dedo para os defeitos dos outros, achar um absurdo eu conseguir enxergar a raiz de um problema e os outros não. Começava a questionar as minhas referências e a sentir falta de alguém mais forte e mais inteligente que eu para poder me espelhar. Caramba! Olha, por muito pouco não causei conflitos diplomáticos no trabalho.

      Enfim, o importante é não desistir e continuar lutando! ;)

      • Olá!!!
        Como é bom poder ler relatos sobre esse assunto, meu filho tem 16 anos e sempre relutei em tratá-lo achando q ele crescendo essas coisas passariam, mais pelo contrário, o problema com a escola piorou muito, então levei-o ao neuro e por ele já ser adolescente, a médica me passou o Venvase 30….ele inicia o uso do medicamento nesta segunda-feira. Por um lado estou mais calma, pois sinto q tomei a decisão certa e agora tbm apreennsiva com os efeitos da medicação.

        • Ivete,
          agora as preocupações serão outras.. o tratamento só está começando. Não deixe de acompanhá-lo de perto!
          Sucesso ao teu filho e ao tratamento dele. ;)

  • Oi pessoal! Feliz 2013 pra vocês!

    Então, só queria deixar claro que o que aconteceu comigo foi uma mudança tanto de percepção, quanto de comportamento, de sensações, de tudo. Quando perguntei sobre a parte fisiológica, o Henrique só me disse que uma vez livre, meu cérebro geraria tudo p que eu precisava normalmente, que eu não precisava de remédio e disse pra eu pensar no meu cérebro como algo que responde estimulos e influências da minha mente e que minha mente então estava limitando meu cérebro através de vários mecanismos, que a gente não precisava nem saber os nomes, se quisesse, que bloqueavam ou impediam que meu cérebro funcionasse normalmente.

    Ele focou bastante nas minhas crenças e habilidades e também na auto-estima. Na teoria dele, foi isso que resolveu minhas dificuldades. Sei que parece brincadeira, mas faz muito sentindo, principalmente quando você vê funcionando com você. Aliás, é aquela coisa, seus pensamentos geram todas as “inas” que você precisa, né? Imagina só viver feliz e podendo dar risada o tempo todo! Só não dou risada o tempo todo pra não acharem que sou maluca (rs, rs)! Mas que hoje eu tenho vontade, tenho! Tá tudo mais simples e claro! Só que, o Henrique é um hipnoterapeuta, que usa hipnose como terapia (hipnoterapia). Não pode ser um hipnotizador qualquer também! Hipnoterapia envolve estudo e seriedade, é diferente daquelas coisas de televisão e de circo, show, etc. Se tiverem mais dúvidas, recomendo acessarem o site dele e perguntar lá. Posso postar aqui? Se puder, tá aqui (www.hipnoterapia.org) Realmente não saberei falar como um profissional, nem explicar como ele, que pelo que vejo é extremamente esclarecido sobre o assunto.

    Tudo de bom pra vocês pessoal!

    Beijos e um ótimo 2013!

    • Mari,escrivi um livro com esse argumento mesmo kkkkk o nome e Los clones de Mahahual…va sair em Brasilia no mes de março.Eu comne´ce tomar Venvanse so hoje.

      • Por que tem pessoas que melhoram com 30 mg e vcs falam sempre em dosagens maiores…quem orienta isto?

        • John,
          cada paciente adapta a uma dosagem específica. Eu por exemplo só me adaptei ao de 30, depois de usar o de 70 e o de 50.
          E quem nos orienta são nossos médicos que nos acompanham em nossos tratamentos ;)

          • Boas.
            Eu , como já relatei, fui diagnosticado com TDHA , mas não por um simples psicólogo e sim em um Centro Neuropsiquiatrico com especialistas de diversas áreas. Com relação a medicamentos , sou da opinião que só um especialista pode dizer qual o certo para uma pessoa. Não pode ser qualquer pessoa indicando após um papinho no consultório.
            Eu tomei Ritalina desde a mais baixa a mais alta, e não segurou minha onda. Minha falta de foco, meus impulsos, irritabilidade.
            Meu organismo aceitou melhor o Venvanse de 30.
            Mas , eu indico a quem tiver condição (não é caro) que procure uma ou um psicólogo cognitivo . Um não funciona bem sem o outro. Remédio só não resolverá seus problemas. Eu progredi e muito com a psicóloga e ainda vou a uma neuro-psiquiatra (quem me dá o remédio e a dosagem correta) de dois em dois meses.
            Na rede pública tem estes especialistas. É mais difícil encaixar.
            Sei que , aqui no Rio de Janeiro tem na Santa Casa no Centro (Rua Santa Luzia).
            Eu indico aqui no RJ para uma boa avaliação o CNA – Centro de Neuropsicologia Aplicada – R. Diniz Cordeiro, 30 – Botafogo Rio de Janeiro – (21) 2295-3796.

          • Ótima observação, Marcello!
            O segredo do tratamento está nessa combinação de fatores: acompanhamento médico, psicológico, medicação e apoio familiar.
            Obrigado pela visita e por compartilhar sua experiência conosco.

    • Olá Mari! Olá pessoal do blog!

      Quero aqui registrar que pelo depoimento da Mari aqui relatado, procurei o mesmo tratamento de Hipnose com o Terapeuta Henrique de Azevedo e assim vou contar minha experiência com o método aplicado a distância.
      Sem duvida nenhuma é tudo isso que a Mari disse e muito mais!

      Com meus diagnósticos em mãos (vários), entrei em contato com o Henrique e naquele mesmo dia fiz uma sessão por telefone já que estava impossibilitada de viajar. Nesse momento foi feito uma avaliação através de um protocolo e conversamos por algum tempo sobre minhas características e estado de saúde física e psíquica e então adquiri as soluções hipnóticas recomendadas por ele e segui com as terapias em casa.
      Hoje após três meses posso dizer que não apresento nenhuma daquelas declarações anteriores, de 25 questões 19 haviam sido desfavoráveis e atualmente refeita, de 25 questões, 25 são favoráveis ao meu bem estar e contrárias ao meu primeiro diagnostico.
      Enfim é difícil explicar como tudo isso pode ser revertido em tão pouco tempo e a distancia, mas quero dizer que foi uma experiência sem comparação. Hoje, não esqueço mais meus compromissos, durmo muito bem, não passo por frustrações diárias, estou focada e voltei a estudar (mestrado), consigo ler durante horas seguidas e poderia listar muitas outras sensações benéficas que apresento na minha vida cotidiana como, por exemplo, fluência e constância nas decisões e nos meus afazeres. Não percebo mais característica de TDAH em mim, não estou usando medicação e sinto-me muito feliz!
      Pessoal, existem na literatura inúmeros artigos científicos que comprovam a eficácia da terapia sob hipnose, vocês podem procurar no banco de dados da PubMed e outros para confirmar sua eficácia.
      Se possível experimentem!
      Posso recomendar sem nenhuma dúvida a respeito que realmente é curativo! Mais informações podem me procurar por e-mail, espero contribuir com alguém assim como a Mari que com seu depoimento me ajudou a encontrar apontando esse tratamento com o Terapeuta Henrique.

      Um Abraço

      Flávia

      • oi flavia, tudo bem? …gostaria de saber mais sobre sua experiência com esse tratamento a distancia…qual o seu email? face? O meu ftamegao@gmail.com …tkkssss

    • Olá Mari, seria possível me passar o contato do hipnoterapeuta Henrique de Brasília? Moro na cidade e tenho muito interesse em fazer terapia com um profissional realmente qualificado. Obrigada

  • Mari. Sem querer te desacreditar mas me pairou uma duvida sincera com seu depoimento. Será que esse hpinoterapeuta te fez acreditar nisso. As vezes em vez de resolver o problema ele te fez acreditar que o problema foi solucionado. Como a pessoa que come um alho achando que é maça. Alterar sua crença te tirar do problema e achar que o mundo é cor de rosa uma maravilha e rir de tudo se sentido a pessoa mais feliz do mundo. Acho que isso é até medonho. Eu já senti isso uma vez ao fumar maconha. me pareceu que todos problemas do mundo foram solucionados e eu não precisava de mais nada foi o dia mais feliz da minha vida. Eu só ria e achei ter atingido o sentido da vida. Fiquei com tanto medo que nunca mais fumei de novo.

    Eu moro em brasília e até pensei em procurar esse profissional. Mas estou com medo dele me fazer uma lavagem celebral (com todo respeito) e eu ficar bobo alegre e parar de tomar as medicações.

    Posso estar errado. Mas me transpareceu isso.

    • Como já foi dito anteriormente, o tratamento no tratamento do tdah a farmacoterapia é apenas um adjuvante. Assim como existem diversos farmacos diferentes com e diversas apresentações e dosagens que se ajustam a pessoas diferentes, o mesmo podemos dizer da terapia complementar não farmacologica. Existem provavelmente centenas de modalidades diferentes de terapia e cada uma se ajusta menor a determinada pessoa. Cabe a cada um de nós exprerimentar o que melhor funciona no seu caso. a hipinoterapia é uma delas!
      valeu pela sua contribuição, se tiver oportunidade talves tente como terapia adjuvante!

  • ”o Venvanse quando eu precisasse de super poderes”

    Colega, isso é psicose!! Cuidado.

    • Não se preocupe. Tenho um ótimo terapeuta e uma médica excepcional. Ao menor sintoma de uma psicose, tenha certeza que eles irão intervir. ;)

  • Amigos , tenhamos um pouco de cuidado ao postarmos o que quer que seja , pois pode parecer agressivo e isso aqui virar um campo de guerra; ao invés de um lugar para discutirmos e trocarmos experiencias vividas. Todos temos o direito de nos expressarmos da maneira que achar melhor. Rotular uma declaração como psicose retrata ao meu ver uma maneira precipitada,impensada, e mesmo agressiva de se dirigir ao colega que usou um determinado vocabulário apenas para se expressar. Nem um psiquiatra experiente não faria isso com tão pouca informação.

    • Amigos, tenhamos cuidado com a pontuação e com a
      ortografia!! Sinceramente não consegui entender sua colocação.
      Mesmo tomando Venvase! Att. Cláudio TDAH

      • Perdão! Tbém achei q ficou meio meio truncado, mas isso acontece depois da postagem, apesar da pontuação estar correta o problema está na separação das linhas e note q à principio só vc não entendeu, de qqer forma esclareço resumindo.

        Eu disse que tenho exatamente os mesmos sintomas que todos aqui, apesar de ter recebido um diagnóstico ñ tão preciso por que a médica e o psiquiatra que o fizeram não são “especialistas” e se basearam somente na minha história de vida!! e q comecei tomando RITALINA e “pulei” direto para o VENVANSE q é teoricamente + forte e q estou em dúvida se devo experimentar o CONCERTA até por que é mais barato. além do que sempre vejo q o medicamento é apenas parte do tratamento sendo q o uso do medicamento deve ser acompanhado por terapia cognitivo-comportamental. Aliás se alguém conhe algum profissional especialista desses em curitiba-PR favor indique, OK?!
        Agradeço de antemão!!

  • Olá!
    Sem querer encontrei teu blog, quando consultava a grafia correta do Venvanse.
    Tenho um filho de 16 anos diagnosticado com TDAH há um ano mais ou menos, e ele toma esta medicação há meio ano.
    Fico bem apreensiva se esta é a única alternativa, mas percebo que ele realmente tem mais foco nas coisas que faz quando está usando o medicamento… Mas, como mãe, percebo que ele parece perder o “brilho” que sempre vi nele.
    Legal ver teus devaneios (hehehehe)… vou ler com calma tuas postagens e talvez entender um pouco melhor deste disturbio e suas consequências na vida do meu filho….
    Sabes se há algo de genético no desenvolvimento de TDAH? Pergunto porque meu filho mais novo apresenta sintomas, também…

    • Até onde se sabe , há um forte componente genético. porém a expressividade pode variar dependendo de uma série de fatores. provavelmente um dos pais e sua familia é portador desta caracteristica.

    • Ana, sim é genético.
      Mas engraçado que ainda não encontrei traços de sintomas de TDAH em nenhum membro direto da minha família.

      Não deixe de acompanhar e apoiar o seu filho. Quisera eu ter tido essa sorte. Minha mãe bem que tentou, mas na época, nada disso era difundido como é hoje.
      Obrigado pela visita!

      • Olá, obrigada por compartilhar suas experiências. O meu filho começou a usar o Venvanse 30. Com 20 dias de uso, note que ele não dormia muito, seu apetite diminuiu, as vezes note ele um pouco agressivo e outras vezes parecia triste. Daí resolvemos corta a medicação temporariamente. O que vcs acham do concerta. possui algum efeito colateral?

        • Oi Deise!
          Todos eles tem algum efeito colateral.
          O ideal é o médico ir testando até encontrar o que melhor se adapta ao organismo do teu filho.
          E tenha paciência, o tratamento é pra vida toda. Avaliação e acompanhamento médica e psicológico sempre!
          Obrigado pela visita!

  • Muito bom. Tenho 24 anos e estou tomando o Venvance de uso pediátrico (6 – 12 anos). Senti uma diferença enorme logo no primeiro dia, como você mencionou, fiquei mais desinibido, conversava mais, mais extrovertido. Também me questiono da mesma maneira que você.

    • Oi Filipe!
      O Venvanse na verdade vem escrito que é para uso pediátrico, mas é o mesmo que é aplicado para adultos e crianças.
      Questionei a minha médica e ela disse que é assim mesmo. Só não me explicou o motivo. :)

      • É porque a licença da Anvisa é apenas para uso pediátrico. O porque disso eu não tenho certeza.

        Acho que ele foi aprovado apenas para crianças nos EUA num primeiro momento e logo em seguida requisitaram a licença no Brasil. Só em seguida foi aprovado para adultos lá e aqui ainda não.

  • Gostei muito da conclusão ! Às vezes penso o mesmo porque em mim o problema que o venvanse traz é um fluxo frenético de pensamentos depressivos e negativos, parece que ao fim do dia ele junta minha capacidade imaginativa de tda com a capacidade concentração, e quando percebo tô cogitando situações e diálogos horríveis com familiares, entre outros.

    • Fernando,
      essa sensação é terrível. Por isso não me adaptei ao Venvanse de 50 e 70.
      Penso que, com o tempo, isso se torna menos difícil e nosso organismo acabe acostumando a essa nova condição. Enfim..
      Mas precisamos ficar atentos para não fazer uma besteira irreversível. Por isso é importante ter alguém do seu lado (esposa, namorada, mãe, colega de trabalho..) que te conheça e você confie para lhe dar feedbacks frequentes sobre como está o seu comportamento em sociedade. Melhorar uma coisa e piorar outra que tem peso maior, não rola.
      Obrigado pela visita!

  • Olá João, encontrei seu blog numa pesquisa sobre o Venvase.
    Fui diagnosticada com TDAH aos 43 anos, depois de uma depressão grave, coisa que nunca tinha tido. Faz quase 3 anos que me trato.
    Não me dei bem com a Ritalina, após o efeito ficava deprê e me causava ansiedade. Comecei com o Concerta e me senti muito melhor, mas depois que experimentei o Venvanse não quis mais saber de nenhum outro.
    O Concerta me causa taquicardia.
    Com relação ao seu post tive um período que me senti como você, e comecei a me questionar tudo, e também o fato de ter que tomar remédio para perder a timidez, acompanhar uma conversa ou ler um livro.
    Por outro lado a diminuição de minha intolerância e irritabilidade e capacidade de concentração trouxeram mais harmonia na minha casa e facilitaram a convivência com meus familiares.
    Meu psiquiatra sempre me diz que devo colocar na balança os prós e contras antes de tirar uma conclusão.
    Finalmente percebi que todos os sintomas que você citou e eu os tinha não eram consequência do Venvanse. O remédio me deu condições de pensar e eu tinha que aprender a organizar o pensamento, controlar a ansiedade e a vontade de dizer qualquer coisa, nos mil projetos, e parar de questionar tanto a mim e os outros.
    Hoje o que tento fazer com a capacidade de raciocinar claramente é tirar proveito disso me tornando uma pessoa melhor, superar obstáculos, não julgar, trabalhar menos e dedicar mais tempo ao meu filho. Exercitar a paciência !!…quando tenho vontade de gritar com o meu marido “você não percebeu isso !!”…penso duas vezes, faço que também não percebi e evito o stress !!.
    Agora vou lá terminar algo que comecei, mas que tenho vontade de deixar pra lá !!, que preguiça, o efeito do Venvanse já passou uff…mas vou fazer um esforço e vou terminar.

    Quando sobrar um tempinho vou ler os outros post do seu blog, é bom ler relatos de alguém que sente o mesmo que eu.
    Boa sorte para todos nós !.

    • Olá Carmen! Poderia me dizer há quanto tempo está tomando venvanse, que dosagem e como tem se sentido? tive experiencia ruim com a ritalina 10, fiquei melhor com a ritalina la 20 mas tive muita insonia . comprei o venvanse 30 há mais de um mes mas não tenho coragem de tomar apesar da prescrição medica . entre outras coisas tenho medo de me tornar dependente e depois não conseguir nem fazer o que já consigo na ausencia da medicação. e ainda me preocupa a possibilidade de necessitar de doses cada vez maiores com o passar do tempo. as vezes me questiono se a medicação é realmente necessário ou se quero me tornar algo melhor do que já sou. sabemos que essas medicações melhoram a performance de qualquer pessoa que as usa. Não é como um antitérmico que só faz efeito em quem está com febre…

      • OI Ricardo, eu tomo o Venvanse de 50 mg. Me questionei e ainda me questiono com relação ao TDAH, e a necessidade do remédio, pois como você disse os efeitos desse remédio são como uma droga, todo mundo que toma sente o “barato” rsrs.
        Por isso na hora de prescrever o medicamento deve ser bem avaliado o prejuízo na vida da pessoa. O TDAH diagnosticado em uma única sessão não é confiável, é o que falam os bons psiquiatras. Em alguns casos uma mudança de hábitos ou terapia podem ser suficientes para melhorar um comportamento e a qualidade de vida.
        No meu caso foi diagnosticado depois de um ano de depressão. Minha primeira pergunta foi: se vivi 42 anos com isso sem ter prejuízos pq devo tomar remédio agora ??.
        Encontrei a resposta no meu filho de 3 anos, por ele eu deveria tentar melhorar.
        Antes do meu filho e do TDAH as pessoas sempre reclamaram da minha agressividade e impulsividade, mandava até chefe a merda !.
        Vivia mudando de cidade, enjoava de tudo, deixava tudo pela metade, tentava fazer mil coisas ao mesmo tempo, era livre, despreocupada, conseguia trabalho na minha profissão com facilidade. O dda desatento consegue um alto nível de concentração em coisas que gosta e por isso eu era boa na minha profissão Vivia com muito ou pouco da mesma maneira. Era anti-social
        Com marido e filho não poderia levar essa vida, então, tentei o remédio e percebi a diferença. Além do remédio fiz terapia, tento mudar hábitos e pensamentos. Decidi que por enquanto vou continuar com a medicação, pois preciso ter foco para trabalhar e calma e paciência para educar meu filho com muito amor e não aos gritos ! . Preciso ser sociável para conversar com outras mães, ouvir e conseguir trocar idéias de assuntos que não me interessam tanto.
        Se não fosse por ele talvez não tomaria o remédio, tentaria mil formas de melhorar antes, guerreando como sempre vivi e sem remédios.
        Então, façam uma lista dos prós e contras, comportamento com e sem remédios. Não esqueçam de colocar nos contras, que remédios por mais seguros que sejam, sempre tem efeitos colaterais.

        • Boa tarde Carmem,

          Me indentifiquei muito com seu caso de tdah. Gostaria de conversar com vc, teria possibilidade?

          Abs

          Fernando

    • É isso ai Carmem!
      Por isso acho importante também o acompanhamento psicológico.
      As sessões de terapia nos ajudam a encontrar a melhor forma de lidar com essa nossa nova condição. Não estávamos preparados, né? O corpo e a mente leva um tempo até se acostumar.
      Obrigado pela visita e não deixe de ler os demais posts e continuar contribuindo com suas experiências aqui com a gente.

  • Oi, João Vicente!
    Meu marido foi diagnosticado com TDAH semana passada. Tem 27 anos. Sempre fomos verdadeiros opostos e extremos quanto à atenção, concentração, capacidade de fazer diversas coisas ao mesmo tempo, memória, etc. No começo era mais difícil lidar, mas com o passar do tempo fui me acostumando e passei a ver como características da personalidade ele. Nunca pensei em TDAH. Eu conhecia a doença/condição bem superficialmente e estou buscando mais info. Ainda estou digerindo o diagnóstico… Não estou preocupada, mas com uma certa angústia. Gostei do seu post e quero voltar ao blog sempre.
    Um bjo.

    • Maria Clara,
      sua função na vida do seu marido se torna ainda mais importante agora. É muito importante para o DDA ter alguém do seu lado (esposa, namorada, mãe, colega de trabalho..) que ele confie para dar feedbacks frequentes sobre como vai o seu comportamento. Eles são indicadores essenciais para medir os benefícios gerados pelo tratamento.
      Obrigado pela visita e volte sempre! ;)

  • Ah! Esqueci de dizer que cheguei até o seu blog pesquisando sobre o Venvanse 50, o remédio prescrito pela psiquiatra…

    • Isso aê.. estamos no topo das pesquisas no Google com a palavra chave “Venvanse” ;)

  • Off Topic. João, seu blog está na primeira página para a pesquisa por Venvanse.
    Aproveite a oportunidade e coloque mais links patrocinados, um bloco de 350×250 no topo vai lhe render mais :)). OS blocos a direita verticais são os que menos rendem. A visão do internauta é em formato de F.
    Boa sorte.

    • Sou um zero a esquerda pra essas coisas. Mas vou pedir ajuda a um amigo que entende. Obrigado pela informação! ;)

  • Socorro!!! Tenho 42 anos. Comecei a tomar o Venvanse 50mg há dois dias. Desde então não consigo mais dormir. Quanto tempo durarão esses efeitos colaterais?

    • Adrianne, no meu caso só passou quando a medica reduziu a dosagem. Tentei de tudo, tomar mais cedo para ver se o efeito acabava também mais cedo.. mas necas!
      Se não passar, faça como eu e procure o médico, informe os efeitos colaterais e peça revisão da dosagem.
      Obrigado pela visita!

    • Oi Adrianne, o meu medico iniciou com uma dose bem menor. Alem disto ele me informou ser necessario no minimo 30 min de exercicio aerobico p dia e de pregerencia natacao p ajudar a dormir

  • Então, a minha história, apesar de curta, com o Venvanse não é das melhores. Usei por 2 meses a Ritalina simples (fui evoluíndo até 40 mg), depois passei para a LA de 40 mg. E no último mês devido a minha excelente resposta ao tratamento, mas 40 mg de Ritalina LA estavam sendo pouco e sentia claramente quando seu efeito começava a diminuir. Então decidimos passar para o Venvanse de 75 mg, inicialmente meia dose/dia por 8 dias e para então atingir a dose plena.

    Nos primeiros dias ficava muito inquieto, essa é a palavra, não agitado fisicamente, mas com uma inquietação interna, uma angústia.

    Sentia também a boca seca, falta de apetite, dificuldade para dormir e também para acordar (com as ritalinas tinha conseguido organizar bem direitinho minha rotina de sono) além de não conseguir me concentrar mais do jeito que estava conseguindo antes. Minha rotina de estudos ficou completamente atrapalhada devido essa falta de atenção e fadiga crônica que sentia, além de tudo isso tive e como efeito colateral, (por mais estranho que pareça) retenção urinária – era muito difícil urinar… Tenho 25 anos, e quando fui dar uma pesquisada nos sintomas que sentia eram bem parecido com os de idosos quanto tem alterações na próstata, hehe. Ah e com o Venvanse perdí completamente o apetite, mas devido a um constante enjoo e sensação de tontura durante todo o dia, todos os dias…

    Minha experiência com o Venvanse não foi das melhores, a relação custo x benefício (em diversos sentidos) não foi boa. Acho muito interessante ver os relatos de pessoas que se adaptam de formas diferentes a medicações diferentes.

    Estou esperando a minha consulta nessa semana que vem para mudar a medicação, acho que voltarei para a Ritalina LA + Ritalina simples (essa opção tinha sido comentada pelo meu psiquiatra)…

    • Marcelo, estou sentindo a mesma coisa. Comecei tomando 30 e fiquei uma semana chorando até com propaganda de margarina. Fiquei meia Off e sem dormir por quase 48hs. O apetite que já era pouco, desapareceu. Falei demais. Produtividade não chegou nem 10% do que tinha com ritalina. Visão totalmente turva. Passei para 45 (1 comprimido e 1/2). Piorou. Tomei 1/2 num dia e não senti nada. Afe. Foi difícil. Parei com tudo.
      Gostaria muito que o Venvanse fosse tudo o que dizem comigo. Mas cada um tem o organismo e efeito diferente, é o que vejo. Meu medico pediu para voltar a tomar a metade por uns dias e depois 1 comprimido pra ver se funciona dessa forma. Veremos. Gostaria muito de tomar um comprimido pela manhã e não ter que me preocupar com mais nada durante o dia.

  • Tenho um filho de 10 anos e a sua Neurologista receitou o Venvanse de 30mg. Eu fiquei sem reação quando fui à farmácia e o atendente me disse o preço. Até o momento não comprei-o. Será que existe alguma maneira de conseguir este remédio por intermédio dos poderes públicos?

    • Julio,
      infelizmente não.
      O Venvanse é um medicamento relativamente novo e nem desconto do laboratório, como há para o Concerta, existe.
      E até lá fora esse medicamento é caro. O que eu sei é que existe como você obter no posto de saúde a Ritalina, mas daquela de 10mg, que na farmácia normal custa 18 reais.

  • Eu tenho 35 anos e estou na segunda cartela de Venvanse poucos mgs… mas estou ainda observando… ja emagreci, ja parou o efeito de emagrecer, … me dá muita vontade de comer doces antes de dormir… ninguém sentiu isso????
    Realmente qdo tomo, me concentra, mas misturo muito com tabacos… e inda nao tenho, uma opiniao bem formada…
    Queria saber sobre a segunda parte…

  • Uma abordagem livre de drogas para melhorar a capacidade de aprendizado dos alunos

    Um estudo randomizado e controlado publicado em Mente & Cérebro, The Journal of Psychiatry (Vol. 2, No 1) demonstrou que não só o funcionamento do cérebro melhorou como também ocorreu a diminuição dos sintomas de Distúrbio de Déficit de Atenção – DDA e hiperatividade, nos estudantes que praticaram a técnica da Meditação Transcendental.

    O artigo científico, DDA e Hiperatividade, funcionamento do cérebro, e a Prática da Meditação Transcendental, é o segundo estudo publicado demonstrando a capacidade da MT para ajudar alunos com dificuldades relacionadas à atenção.

    O primeiro estudo exploratório, publicado em Current Issues in Education, acompanhou um grupo de estudantes do ensino médio diagnosticado com DDA & Hiperatividade que meditava duas vezes por dia na escola. Após 3 meses, os investigadores encontraram mais de 50% na redução do stress, ansiedade e sintomas de DDA & Hiperatividade. Durante o estudo, foi feito um vídeo em que alguns alunos relataram suas sensações e experiências do dia-a-dia ligados aos seus transtornos, e como essas experiências mudaram após 3 meses de prática regular da técnica da MT. *

    O estudo foi conduzido durante um período de 6 meses em uma escola independente para crianças com dificuldades de aprendizagem baseadas na linguagem em Washington, DC. O estudo mostrou melhora no funcionamento do cérebro, aumento do processamento cerebral e melhora das habilidades de linguagem entre os alunos com DDA e Hiperatividade que praticaram a técnica da Meditação Transcendental.

    Testes Realizados

    O neurocientista Fred Travis, Ph.D., e outros pesquisadores realizaram testes com eletro encefalograma (EEG) para medir e registrar a atividade elétrica do cérebro dos alunos enquanto eles realizavam através do computador uma exigente tarefa visual-motora. O desempenho bem sucedido desta tarefa requeria atenção, foco, memória e controle dos impulsos.

    O estudo mostrou melhora o funcionamento do cérebro, aumento do processamento cerebral e melhora das habilidades de linguagem entre os alunos DDA e Hiperatividade que praticaram a técnica da meditação.

    Além disso, foram administrados testes de fluência verbal aos alunos. Este tipo de teste mede funções executivas de ordem superior, incluindo a iniciativa, o processamento simultâneo, e recuperação sistemática de conhecimento. O bom desempenho nesta tarefa depende de vários componentes cognitivos fundamentais, incluindo o conhecimento do vocabulário, ortografia, e atenção.

    Por que a técnica de MT

    “Nós escolhemos a técnica da MT para este estudo porque os estudos mostram que ela aumenta a função cerebral. Queríamos saber se ela teria um efeito semelhante no caso do DDA e Hiperatividade, e se o fizesse, teria que melhorar também os sintomas do DDA e Hiperatividade”, disse Dra. Grosswald.

    “Pesquisas anteriores mostraram que crianças com DDA e Hiperatividade têm um desenvolvimento mais lento do cérebro e uma reduzida capacidade de lidar com o estresse”, disse o co-pesquisador William Stixrud, Ph.D. “Praticamente todo mundo tem dificuldade de prestar atenção, se organizar e fazer as coisas quando está sob estresse”, disse ele. “O estresse interfere com a capacidade de aprender, ele desliga o cérebro. Funções como atenção, memória, organização e integração são comprometidas.”

    Dr. Stixrud acrescentou: “Porque o stress compromete significativamente a atenção e todas as funções executivas chave, tais como a inibição, a memória de trabalho, organização, e flexibilidade mental, faz sentido que uma técnica que pode reduzir o nível de estresse de uma criança também melhore o seu funcionamento cognitivo”.*

    “Enquanto a medicação estimulante é muito benéfica para alguns dos meus pacientes com DDA e Hiperatividade”, Stixrud acrescentou, “o número de crianças que recebem grande benefício da medicina com o mínimo de efeitos colaterais é relativamente pequeno. O fato da MT parecer melhorar as funções de atenção e executivas, reduzindo significativamente o stress sem efeitos secundários negativos, é claramente muito promissor. “Stixrud disse esperar que estes resultados levem a uma maior investigação sobre o uso da MT em crianças e adolescentes.

    Por ser a técnica da Meditação Transcendental é sem esforço, fácil de aprender e praticar, pode-se considerá-la única entre as categorias de meditação. “A MT não requer concentração, controle metal ou disciplina de foco, desafios para qualquer pessoa com DDA e Hiperatividade”, lembrou a Dra. Grosswald.

    Há um material substancial de pesquisas mostrando a eficácia da técnica da MT para reduzir o stress e ansiedade, e melhorar o funcionamento cognitivo entre a população geral. “O que é significativo sobre essas novas descobertas”, Grosswald disse, “é que entre as crianças que têm dificuldade com foco e atenção, vemos os mesmos resultados. O fato de que essas crianças são capazes de praticar a MT, e fazê-lo facilmente, mostra-nos que esta técnica pode ser particularmente adequada a crianças com DDA e Hiperatividade.”

    Melhora do Funcionamento Cerebral

    Meditação Transcendental produz uma experiência única de descanso em alerta, que pode ser verificada através do aumento de atividade metabólica das partes frontal e parietal do cérebro, o que indica estado de alerta, concomitantemente com uma diminuição da atividade metabólica no tálamo, que está envolvido na regulação da excitação e hiperatividade.

    Com a prática regular, esse estado cerebral de descanso em alerta, característico da técnica da MT, torna-se cada vez mais presente fora da meditação, na atividade, permitindo que os alunos com DDA e Hiperatividade possam efetuar suas tarefas. “Em certo sentido,” Dr. Travis disse: “a experiência repetida da técnica da Meditação Transcendental treina o cérebro para funcionar em um estilo contrário ao do DDA e Hiperatividade”.

    Durante a prática da técnica da Meditação Transcendental, a coerência é encontrada em diferentes freqüências do EEG. Após a meditação, o cérebro utiliza este aumento da capacidade de funcionamento para apoiar o desempenho de uma tarefa de forma integrada.

    Três meses de prática da MT resultaram em diminuição significativa na razão entre theta/beta e aumento da fluência verbal. Isso se traduz em melhora da função executiva e processamento cognitivo mais eficiente.

    Durante os primeiros três meses do estudo, na razão entre theta/beta do grupo controle realmente aumentou. Depois de aprender e praticar a MT por 3 meses, este grupo sofreu reduções dramáticas na razão entre theta/beta e aumento da fluência verbal.

    Especialistas explicam que a mensuração do EEG pode ajudar a diagnosticar o DDA e Hiperatividade assim como a taxa das ondas cerebrais theta pode ser usada para diferenciar com precisão os alunos com ou sem DDA e Hiperatividade.

    Como elucidou Dr. Travis: “Em indivíduos normais, a atividade theta no cérebro durante as tarefas sugere que o cérebro está bloqueando a informação irrelevante para que a pessoa possa se ​​concentrar na tarefa. Mas em indivíduos com DDA e Hiperatividade, a atividade teta é ainda maior, sugerindo que o cérebro também está bloqueando as informações relevantes. Ao mesmo tempo em que a atividade beta, que está associada com o foco, é inferior ao normal, isso afeta a capacidade de se concentrar na tarefa por longos períodos de tempo.”

    Questionário de pesquisas estudantes e pais

    Os estudantes relataram que a pratica da técnica da MT foi agradável e fácil de fazer. Sentiram-se mais calmos, menos estressados, e mais capazes de se concentrarem em seus trabalhos escolares. Eles também disseram que eram mais felizes desde que começaram a praticar a MT. Estas respostas se mostraram correlacionadas com os relatórios dos pais.

    No final da pesquisa, os pais preencheram um questionário para avaliar suas percepções de mudanças em seus filhos em cinco sintomas relacionados ao DDA e Hiperatividade desde o início até o fim do estudo. Foram encontradas melhoras positivas e estatisticamente significativas nas cinco áreas medidas: a) Capacidade de se concentrar em trabalhos escolares, b) habilidades organizacionais, c) Capacidade de trabalhar de forma independente, d) Felicidade, e e) A qualidade do sono.

    Dados sobre DDA e Hiperatividade a serem considerados.

    • DDA e Hiperatividade, caracterizado por desatenção, impulsividade e hiperatividade é diagnosticado em quase 10% das crianças de 4 – 17 anos, representando 5,4 milhões de crianças.

    • O Centro para Controle e Prevenção de Doenças relatou que atualmente 66,3% das crianças que são diagnosticadas com DDA e Hiperatividade recebem prescrição medicamentosa para tratamento do distúrbio. No total, 4,8% de todas as crianças (de 4-17 anos) portadoras do distúrbio, ou seja, 2,7 milhões estão tomando medicamentos para DDA e Hiperatividade. A maioria destes indivíduos irá tomá-los até a idade adulta.

    • A taxa de prescrições para tratamento do DDA e Hiperatividade nos EUA aumentou por um fator de cinco desde 1991 – com um aumento na produção de medicamentos para o tratamento de DDA e Hiperatividade de 2000% em nove anos.

    • Os medicamentos comumente usados ​​para tratamento do DDA e Hiperatividade são estimulantes (anfetaminas). Estes medicamentos podem causar persistentes efeitos colaterais negativos, incluindo distúrbios do sono, redução do apetite, perda de peso, crescimento suprimido, e transtornos de humor. Os efeitos colaterais são freqüentemente tratados com medicamentos adicionais para gerenciar insônia ou alterações de humor. Quase nenhum dos medicamentos receitados para a insônia ou distúrbios de humor são aprovados pela Food and Drug Administration (FDA) para uso com crianças.

    • Os efeitos de longo prazo dos medicamentos para DDA e Hiperatividade sobre a saúde não são totalmente conhecidos, mas as evidências sugerem riscos de distúrbios cardíacos e morte súbita, lesões no fígado e eventos psiquiátricos. Também foi encontrado que as crianças de longo prazo de medicamentos têm taxas significativamente mais elevadas de delinqüência, uso de substâncias tóxicas e taxa de crescimento comprometida.

    • Estudos levantam questões sobre efeitos de longo prazo dos medicamentos para tratamento do DDA e Hiperatividade. O primeiro deste tipo de estudo foi liberado em 17 de fevereiro de 2010 pelo Departamento Ocidental de Administração Pública de Saúde da Austrália, e constatou que “o uso prolongado de drogas como a Ritalina dexanfetamina podem ser ineficazes para o aumento do desempenho social e bem-estar emocional ou acadêmico de uma criança.” O presidente do Comitê Ministerial disse em seu comunicado para a imprensa, “Nós descobrimos que a medicação estimulante não melhorou significativamente nas crianças o nível de depressão, auto-percepção ou funcionamento social e elas tinham mais probabilidade de apresentar um desempenho abaixo do seu nível de idade na escola por um fator de 10,5 vezes.”

    *Neste segundo estudo, o autor principal, o neurocientista Fred Travis, PhD, diretor do Centro para o Cérebro, Consciência e Cognição, juntou-se a principal investigadora Sarina J. Grosswald, EdD, e ao especialista diplomado pela George Washington University em aprendizagem cognitiva, e co-pesquisador William Stixrud, PhD, um proeminente neuropsicólogo clínico de Silver Spring, Maryland, para investigar os efeitos da prática da Meditação Transcendental no desempenho de tarefas e funcionamento do cérebro em 18 alunos portadores de DDA e Hiperatividade, com idades entre 11 a 14 anos.

    • Vanessa, Este estudo “piloto” apenas quer demonstrar que a
      meditação reduz os sintomas do TDAH. O que é muito pertinente uma
      vez que ela reduz o “stress”. Sinceramente perdeste a oportunidade
      de ficares “ZEN” postar bobagens!! haha Att. Claudio ZEN sono por
      causa do Venvase!

  • Boa tarde joão.
    Em primeiro lugar quero te agradecer pelos depoimentos,e,dizer que seu post tem me ajudado muito.Tenho um filho de 17 anos que já passou por tudo de ruim que vc possa imaginar por conta do défit de atenção.Já fez uso de ritalina comum 10mg,ritalinaLA mas não se adaptou,agora usa venvanse de 30mg,está no primeiro frasco e já sente as reações, não consegue se alimentar bem, e emagreceu muito,parou com o remédio por uns dias mas voltou a tomar pois não tinha nenhuma concentração.Vamos continuar com a medicação e o terapeuta, espero que meu filho consiga levar adiante pois ele precisa.Abraços e obrigada!

    • É isso ai, Regina. Continuem, não desistam.
      O seu apoio e o acompanhamento do terapeuta e do psiquiatra são super importantes para a adaptação dele ao tratamento.
      E eu é que agradeço pela visita! ;)

  • Boa noite,
    Acabei de chegar do consultório médico com a noticia de que irei tomar vevanse. Nunca tive experiencia com nenhum medicamento para tdah, e pesquisando sobre o medicamento cheguei a este blog.
    Lendo de primeira vez fico muito animado, pois sofro de depressão desde pequeno e so agora resolvi levar o tratamento a fundo pois coisas do meu cotidiando que são simples e sei que tenho o potencial para serem resolvidos nao consigo por falta de paciencia, mudanças constantes de humor, … e que ao tomar o remedio vou ter a experiencia que nunca tive !!! Que é realmente aprender um assunto e memorizar e aprender… tenho 20 anos e faço pre vestibular. Mas, por outro lado morro de medo em relação aos efeitos colaterais, como vou reagir, se realmente vai superar as minhas expectativas (ou não), enfim, marinheiro de primeira viagem.
    Fico feliz que exista tratamento para esse problema… mas o meu medo e ficar depende da medicação por longo período ou, talvez, pra vida toda.
    OBS: Adorei o seu texto, parabéns

    • Matheus,
      segundo minha médica, não há risco de dependência química. Mas a psicológica sim. Por isso a importância de acompanhamento.
      Mas não acho que você tenha que ter medo. Temos que ter medo é de voltar a viver com os prejuízos que o transtorno causam a nossa vida.
      Obrigado pela visita! ;)

      • Só um dado que talvez interesse ao vestibulando: ouvi dizer que pessoas diagnosticadas com TDAH podem receber cerca de 30min á mais em provas de concursos. Talvez valha á pena dar uma pesquisada.
        Tenho DDA assim como minha avó paterna, meu pai e minha irmã mais nova. Estamos tratando com Venvanse 30, eu e minha irmã. Estamos indo super bem. Com o tempo os efeitos colaterais diminuem! Boa sorte! Bjs

  • Gostaria de saber : o Venvanse é anfetamina?

    • Marys, sim. É uma anfetamina.

  • Interessante a experiência pessoal de cada um de vcs… Estou passando por um dilema MUITO difícil… Minha filha…
    Muito difícil decidirmos pela vida de outro… Mesmo que seja filho…
    E sou uma pessoa avessa a medicamentos… Sou medica e Homeopata e tenho tratado minha filha com homeopatia há alguns anos, com bons resultados em relação ao tdah e dislexia. Mas agora ela entrou no fundamental 2 (nosso antigo ginásio) e a exigência aumentou. Tenho sentido tambem em casa que a exigência aumentou, esta mais velha, precisa adquirir algumas responsabilidades senão nao cresce!!! E as coisas estão muito difíceis…
    A fono que a acompanha a dois anos disse que o rendimento das sessões e péssimo…
    Bem… Dilema… Dar ou nao dar medicação alopatica…
    Queria a opinião de vocês…

    • Cláudia,
      não sirvo de referência, já que nunca usei medicamentos homeopáticos. Nem sabia que existia para o tratamento de TDAH.

    • também sou médico, tenho uma filha que está entrando no ginásio e estou com o mesmo problema. vamos iniciar o venvanse neste sabado para acompanhar mos o primeiro e segundo dia inteiros ao lado dela. gostaria de poder trocar experiencias vividas com voce , caso venha a ultilizar o venvanse também. também gostaria de saber o que se usa em termos de homeopatia para tdah?

    • Estava procurando novas medicações para meu filho de 11 anos e acabei caindo aqui!!! Estou lendo os posts e os comentários e estou adorando!
      Quando meu filho tinha 3 anos foi diagnosticado com TDAH! Eu já desconfiava e além do que meu marido também já tinha o mesmo diagnostico! Fui numa neurologista do hosp. Samaritano em São Paulo e ela receitou ritalina!!!! Quase matei a medica!!! Sai de lá furiosa, afinal ele tinha 3 anos!!! E assim fui atras de terapias alternativas: algas azuis do canada, homeopatia, florais, fitoterapicos, tudo que pode imaginar e consegui até ele ter 6 anos e não saber o alfabeto ainda! Sabia somente algumas letras o que começou a me preocupar e procurei outro Neuro que me passou uma confiança enorme e me pegou quando disse: seu filho esta sofrendo!!! Achei MUITO ruim ele falar assim e pensei que deviam ser todos iguais e queriam receitar remédio!!! Só que nesse meio tempo li tudo que tinha disponível sobre TDAH e tudo que existia contra e a favor do remédio! Bom, depois de muitas lagrimas por ter que decidir dar um remédio controlado para meu filho, aceitei!!!! Viva!!!! Foi a melhor coisa que eu fiz para ele!!! Ele conseguiu fazer mais amizades, em três meses estava escrevendo , falando na frente da classe…era uma criança muito mais feliz!!! Chamava atenção por coisas boas e não brigas e discussões ! Claro que sendo um menino de 11 anos, age como tal: apronta, briga , faz suas peraltices! Mas o mais importante é que é feliz!!!
      Hoje ele toma concerta 54mg e continuo dando homeopatia, pois ela ajuda nos efeitos colaterais! O maior efeito colateral é não dormir a noite toda! Ele acorda toda noite, por uns 30 min e volta a dormir. Quando ele esta com homeopatia ele levanta, bebe água e em seguida volta num sono profundo!
      Cláudia, espero que você encontre o melhor caminho para lidar com sua filha! Eu consegui e hoje sei que tomei a decisão certa! Daqui a pouco ele vai poder optar ,como tantos aqui, e decidir por si mesmo!

    • Cláudia estou na mesma situação que você… Minha filha tem 9 anos, Diagnosticada com DDA e Dislexia… Ja tomou ritalina, concerta e venvanse, não se adaptou a nenhuma dessas e já vai fazer 2 anos em dezembro. Muita náusea sem contar da dificuldade pra dormir e pior ainda de acordar. Muuuuuito complicado.

  • Ola Joao,
    Estou com dificuldade em achar psiquiatra que entenda o que passado. Pelos relatos me idenitivo muito. Por favor, poderia me indicar seu psquiatra ? Mande os dados no meu e-mail acima. Abracos, Juca Moreira

    • Juca,
      não sei qual cidade você mora. Sugiro que você veja a lista dos profissionais, segmentados por UF, recomendados pela ABDA – Associação Brasileira do Déficit de Atenção. http://www.abda.net.br/br/profissionais/psicologos.html

      • GENTE, NAO CONSIGO ENCONTRAR O VENVANSE EM NENHUMA DOSAGEM.
        LIGUEI NO LABORATORIO SHIRE E A ATENDENTE DISSE QUE NO BRASIL, NAO
        TEM MESMO, PQ ESTA COM PROBLEMAS NA IMPORTAÇÃO. E AGORA???? SINTO
        MUITA FALTA DESSE MEDICAMENTO, NOS PRIMEIROS DIAS NEM DA CAMA
        CONSEGUIA LEVANTAR, FICO MEIA DEPRE. AGOTA JA PASSOU A FASE DO
        SONO, MAS NÃO TENHO CONCENTRAÇÃO, TUDO Q COMEÇO NAO TERMINO. ESTOU
        MEIA SEM RUMO.

        • Cara Renata, não sei onde mora, mais na região de Araçatuba/SP tem um distribuidor com algumas caixas de Venvanse 70 mg., eu tomo o de 30 mg. e como não encontrei levei esse até uma farmácia de manipulação e eles recapsularam pra mim e deu tudo certo. Se quiser mande o seu e-mail que passo os contatos que sei onde tem. Abraços e Boa Sorte.

        • “Falta generalizada de dimesilato de lisdexanfetamina (Venvanse) até a segunda quinzena de junho, a partir de 15/06″.

          Quando o assunto é reações adversas a medicamentos no
          tratamento do DDA, o cloridrato de metilfenidato de liberação
          imediata ou modificada (prolongada), gera questionamentos sobre os
          reais benefícios quando comparados ao desconforto e consequências
          graves para o SNC a curto, médio e longo prazo; muitas vezes
          irreversíveis.
          Ainda não sabemos sobre a gravidade das reações adversas do dimesilato de lisdexanfetamina a longo prazo, infelizmente. Contudo, penso que esse pró- fármaco é superior ao metilfenidato e modafinila, este último específico para o tratamento/controle da narcolepsia.
          As reações adversas de lisdexanfetamina são ínfimos se comparados aos benefícios no prognóstico que o pró-fármaco proporciona ao paciente DDA, ou seja, resultados excelentes sobre a concentração/atenção, bem como adesão ao tratamento.
          Por causa da falta generalizada de dimesilato de lisdexanfetamina e cloridrato de metilfenidato liberação imediata, algumas vezes tenho que “extrair” o princípio ativo (cloridrato de metilfenidato) das cápsulas de Concerta 54mg para suprir o déficit de constância pelas flutuações na farmacocinética em Cmáx. e Tmáx. Não incentivo esse procedimento por causa da janela terapêutica (índice terapêutico baixo) a nível de SNC, ser bem estreita!!!
          Esperamos a segunda quinzena de junho para reiniciarmos com o
          tratamento promissor do dimesilato de lisdexanfetamina. A
          expectativa é que as reações adversas não apareçam com tanta
          frequência e intensidade como no caso do metilfenidato e outros
          derivados da anfetamina.
          Apenas os DDAs sabem o quanto é difícil conseguir a tão sonhada concentração em atividades simples e/ou complexas de cada dia.

          Boa noite.

          Polaco Escuro

  • Tenho um filho de 16 anos que foi diagnosticado TDAH há cerca de 6 meses por uma neuropsicóloga, após crises depressivas. Ela indicou um neurologista que receitou Venvance 50 de manhã e o Quetros 30 mg (meio comprimido) para a noite. O comportamento dele melhorou bastante, está mais ativo e prestando atenção nas aulas, e sem crise de agressividade.
    Notamos que o garoto emagreceu bastante, passando de 49 para 42 kg, embora não tenhamos notado a perda do apetite. Não sabemos se em função do Venvance ou do Quetros.
    Mas o que quero dizer é que recentemente uma amiga sugeriu ajuda no entendimento comportamental. Gostaria de saber, pela sua experiência, se esta sugestão tem procedência.

    • Elaine,
      não entendi. Essa “ajuda no entendimento comportamental” oferecido por sua amiga, seria um tratamento psicológico pelo método da terapia cognitiva comportamental?
      Se for, eu recomendo. É o método usado pelo meu terapeuta.
      Obrigado pela visita!

  • Bom dia!
    Me identifiquei muito com o seu depoimento. Muitas coisas em comum, outras nem tanto. Como sou novo por aqui, talvez a minha duvida ou meu comentario ja tenha sido discutido.
    Alguem está fazendo um acompanhamento com um psicólogo cognitivo comportamental?
    Estou “em tratamento” há 3 anos e como diria “Carla Perez – dei um giro de 360 graus em minha vida” Rs.
    Mas se nao fosse a terapia cognitiva comportamental, nada teria adiantado. É de extrema importancia tal acompanhamento! Afinal, um novo EU está se formando!
    Sou médico (não estou querendo me impor ou dizer que minhas palavras são verdade incontestaveis), mas vejo o distúrbio de outra forma…digamos mais cientifica!
    Se for detalhar a metodologia e resultados de um acompanhamento psicológico, o texto ficaria enorme! Mas resumindo…
    Você e seu psicólogo definem o que é melhor para voce de acordo com sua personalidade. Algumas coisas podem ser qualidades para voce e defeito para muitas outras. Tudo depende do que voce faz no seu cotidiano e o que voce é!
    Caso algo necessite ser trabalhado, digamos… “uma reformulaçao sinaptica” de seus neurounios sera feita na base de ideias e treino! muito treino! Mas antes, você precisa conhecer o seu novo EU!
    Grande abraço

    • SEU DEPOIMENTO É MUITO RELEVANTE POIS COMO MÉDICO TENS CONDIÇÕES DE AVALIAR MELHOR OS EFEITOS DESTA MEDICAÇÃO NO SEU ORGANISMO. PODERIA NOS CONTAR A QUANTO TEMPO USA E QUAIS AS MUDANÇAS QUE TEM NOTADO TANTO POSITIVAS QUANTO NEGATIVAS. JÁ EXPERIMENTOU FICAR ALGUNS DIAS SEM TOMAR PARA AVALIAR SEU COMPORTAMENTO? TEM NOTADO TOLERANCIA? DEPENDENCIA? ESTOU MUITO INTERESSADO NO SEU DEPOIMENTO! GRATO!

      • Ricardo,
        vou falar em um próximo post. Vou anotar aqui todos os seus questionamentos para abordar esses assuntos dele. Pode ser?
        Obrigado pela visita! ;)

  • Bom dia, João. Ótimo post sobre sua experiência de vida com o nosso TDAH e sobre os medicamentos e tratamentos.

    Estou em tratamento desde os meus 29 anos, hoje estou com 31. Descobri esse transtorno através de uma ex-namorada que estava se formando na USP. Como ajudava ela nos trabalhos ela percebeu minha inquietação, minha sonolência e minha falta de vontade de querer aprender. Como todo DDA temos que ser muito esforçados para alcançar nossos objetivos, e no meu caso, pastei muito para terminar cursos e me dar bem em provas. Na escola cheguei a sofrer bullyng por uma professora e como era muleque não sabia me defender e expor a situação para meus Pais, questão de medo. Fui reprovado duas vezes pela mesma professora e só segui em frente depois que ela saiu da minha vida dentro da escola.
    Em 2010 comecei a tomar Ritalina 10mg por conta da Faculdade. BINGO! Descobri o remédio da inteligência(pensei)… Ficava quase todos os sábados das 8h as 16h estudando direto, literalmente sem parar. Me dei super bem apesar de não ser a forma correta de estudar. Após um tempo meu primeiro Pisiquiatra resolveu falar para eu tomar todos os dias a Ritalina ao invés de usar somente nos estudos. BINGO NOVAMENTE! Meu rendimento no trabalho e na faculdade foram surpreendentes. Estava tomando 10mg pela manhã e 10mg a tarde. Comecei a estudar a tarde antes da Faculdade por conta de um curso que passei. Trabalhava pela manhã até as 12h, estudava das 14 as 18h e das 19 as 23h (muita carga para o cérebro). Mas por conta da Ritalina consegui me dar super bem. Com o tempo a Ritalina 10mg estava me deixando inquieto demais, o efeito do remédio parecia não existir quando tomava e resolvi aumentar a dosagem. Voltei a sentir o efeito que sentia antes – Pensamentos a 500 por hora, concentração, execução e resultados. Por conta da ansiedade e noites mal dormidas eu comecei a tomar alguns antidepressivos para dormir melhor, mas os efeitos colaterais eram demais. Muita irritação! Quase destruiu meu casamento. Resolvi parar de tomar o Valdoxan e voltei a usar apenas a Ritalina. Por questão de ajudar na ansiedade passei a tomar a Ritalina LA 30mg que não adiantou nada. Fiquei dois meses sem tomar nenhum desses remedios de tarjas por conta própria e passei a tomar medicamentos fitoterápicos: Estress Doron, Ginko Biloba (é ótimo!), Complexo vitamínico B e Centrum. Até que tive efeitos positivos com esses medicamentos, mas nenhum deles superam o resultado que a Ritalina dá. Nesses período de 2 meses injeri Álcool nas festas e tive depressão, muito horrível isso. Voltei a tomar a Ritalina e isso me trouxe problemas de pele. Tenho dermatite atópica desde pequeno, mas por conta da química da Ritalina (Metilfenidato), por conta dessa decisão de parar 2 meses sem aconselhamento médico, e por conta das bebidas álcoólica os efeitos foram agravados e minha impaciência, irritação, ansiedade estão ao extremo… Passei na dermatologista e retornei ao Neurologista e expliquei o caso. Ambos pediram para eu suspender o uso da Ritalina e….. BINGO! Hoje estou quase 100% com a minha pele que parecia pele de porco: Rosa e escamosa, só não cheirava mal. Essa semana passei em outro Psiquiatra e expliquei todo o caso, falei da minha infância turbulenta, mas muito bem ativa, comentei como é meu dia a dia e comentei sobre esse efeito colateral e cutâneo. Ele resolveu me receitar o Venvance 50mg para experimentar, mas não comprei ainda. Se ele funcionar pra mim assim como funcionou pra você, João. Vou gritar novamente BINGO! rs. Tenho muitas experiências boas e ruins para compartilhar com vocês e espero poder ajudar quem busca se dar bem nesse tratamento com as minhas experiências. Apenas um conselho: Não se trate como um TDAH se você não tem ao EXTREMO o que todos possuem: Falta de concentração e inquietabilidade. Se você não for diagnosticado como um portador de DDA não use medicamentos apenas para dar um “Upgrade” no seu cérebro.

  • Tenho um filho de 15 anos e ele teve um problema muito sério enquanto estava em tratamento com Venvanse 30 mg. Me chamou atenção no seu relato o fato da baixa de resistência. Meu filho teve febre sem motivo diagnosticado e médica depois de 04 dias de febre resolveu tratá-lo com antibiótico, achou que poderia se garganta uma vez que ele estava sentindo dor no pescoço próximo as amígdalas. Neste meio tempo, ele teve uma dor de cabeça muito forte, visão dupla e após várias ressonâncias e retinografia, constatou se que ele estava com um pseudotumor (falso tumor), pressão intracraniana.Teve que fazer uma punção do líguor pois a pressão do mesmo estava em 49 sendo o normal 20. Não podemos ainda falar se foi realmente pelo uso do venvanse, mas suspendi o tratamento e vou levá-lo novamente ao psiquiatra que prescreveu. Os neurologistas que o atendeu no hospital me disseram que podia ser pelo uso deste medicamento.Fizemos vários exames e não encontramos nada que desencadeasse o problema ocorrido, uma vez que estes sintomas somente são encontrados em mulheres obesas acima de 40 anos, quando se fala em pseudotumor. Não é o caso dele,rs. Fiquem atentos, o medicamento ainda é considerado novo aqui no Brasil.Qualquer efeito colateral deve ser relatado ao seu médico.

  • 12 anos atras

  • ola iniciei meu tratamento hj com vanvense 30mg tenho 29 anos mas eu fumo muito etc…hj estou sentindo uma tontura é um enjoo forte..sera q é do remedio ? e os efeitos vao parar ? caso continuar sera q posso migrar para o concerta ? sofro de TDA grau bem alto !! abraco a todos !

    • Felipe,
      eu não fumo e nem conheço quem fume e tenha o distúrbio. Melhor vc procurar seu medico. Ele saberá recomendar a você a melhor forma para lidar ou acabar com esses efeitos colaterais.

      • Eu tenho DDA e faço tratamento com Venvanse há mais de 1 ano. Sou fumante há quase 10. Nunca fui de fumar muito, sempre conseguia ficar vários dias sem o cigarro, inclusive parava por meses na maior tranquilidade. Sempre me disseram q eu era sem vergonha de voltar se não era tão adicta ao cigarro quanto um fumante normal. Enfim… Desde que comecei o tratamento minha vontade de fumar aumentou absurdamente, em termos de desejo, quantidade, instensidade, tudo! Tomo o remédio ás 8h, quando vai chegando a tarde e o efeito do remédio diminui vou ficando enjoada. Ás vezes vou até 4 da tarde quase sem comer e frenética no cigarro. O tratamento foi uma coisa maravilhosa que aconteceu na minha vida, só me trouxe benefícios. Restaurei minha auto estima e estou finalmente feliz na minha profissão. Nenhum dia passa em branco, parei de sonhar acordada e procrastinar e comecei a assumir responsabilidades. Enfim, muitas coisas boas! A única coisa que é uma merda é o cigarro! O aumento da vontade de fumar, a falta de ar, o enjoo que vem depois, a tosse, enfim… Queria saber se alguém aqui tem alguma experiência parecida e oq fazer para parar de fumar neste caso. Detalhe: qndo não tomo o remédio sinto zero vontade de fumar!

        • Eu senti a mesma coisa. Ja era fumante quando iniciei o
          tratamento e agora o consumo aumentou. Eu acredito que isso esteja
          ligado ao efeito da anfetamina do remédio. Seria a mesma coisa de
          quando estamos muito estressados e fumamos para relaxar acredito
          que fumamos para abaixar a “energia” do remédio.

  • Pessoal, algum relato sobre efeito colateral de “tosse” com o uso do medicamento Veinvanse? Minha filha de 9 anos é portadora de TDAH. Vinha tomando Ritalina por algum tempo, mas não estava fazendo mais um bom efeito. Trocou para o Veinvanse, começou a ir muito bem na escola, a ponto de sua mãe ser chamada na escola para conversar com a professora sobre sua melhora repentina em vários aspectos, nas notas, na atenção, na socialização (algo que sempre me preocupou muito pois ela é uma menina um tanto solitária e insegura). Contudo, minha filha começou a reclamar de cansaço, e a ter acessos de tosse, por isso foi levada novamente ao Neuro que pediu para suspender o emédio imediatamente. Agora avaliamos reintroduzir o remédio, para que ela volte a ter uma boa performance , e os efeitos positivos decorrentes, como a melhora da auto-estima, a confiança, fazer amigos, brincar com outras crianças. Obrigado.

  • os efeitos colaterais q vc relatou com venvance eu tenho com concerta de 54mg, durmo sempre depois das 2h da manhã e tenho tido depressão, vontade de desistir de tudo e muito, muito cansaço, ficando sem dormir ninguém aguenta. acordo todos os dias 6h da manhã e vou trabalhar dia todo, à noite em casa ainda que deite às 22h só desligo depois das 2h da madrugada. O que vc sugere no meu caso para que possa comentar com minha médica que nem é psiquiatra é neurologista.

    • Satoshi,
      peça pra ela uma revisão de dosagem. Talvez se ela te prescrever uma dosagem menor, você consegue ter um aproveitamento melhor do medicamento.
      Se não der certo, sugiro vc procurar um medico psiquiatra. Não consigo ter boas recomendações de neuros tratando quem tem tdah.
      Obrigado pela visita!

  • Comecei a usar Venvanse 30 ha 2 semanas e estou me adaptando bem. Não tenho mais o efeito depressivo que sentia com a ritalina. Estou feliz.

    • Olá Christiane, o começo tambem senti esse “Estou feliz”, parece tudo se encaixar né? ideias.. pensamentos.. desejos..motivação.. parece uma nova vida dequem tem dda sabe doque estou falando.
      Mas tente equilibrar essas sensações.. Com o passar dos meses o efeito vai estabilizando e vc começa ter a idéia de nescessitar aumentar a dose, isso por querer sentir a mesma sensação do início do tratamento, eu fiz isso usando o de 70mg e o efeito foi reverso.. irritabilidade foi a pior sensação que me recordo, disconfiança de tudo e de todos, tinha motivação para visitar amigos mas ficava quenem um zumbi frente a eles, meu cerebro gritava mas minha boca nem abria. Então , é só uma dica porque provavelmente sentirá isso, e no estado em que estava percebi que era impossivel viver uma vida normal diante a sociedade e compromissos.
      Faz 10 meses que faço uso do venvanse 30mg, a sensação do inicio não tenho mais, ainda sinto aquela nescessidade de aumentar, é um medicamento vicioso ! Tomo anti-depressivo na marra, e o venvanse não vejo a hora de tomar pela manhã, porque sintome cansado e cor dor nos ossos, depois estabiliza. Sei que varia de paciente a paciente os efeitos, desejo melhoras a todos que façam uso e por ser um medicamento novo, relatem suas experiencias aqui no diário.

      • Diego Excelente tradução do que senti: “meu cérebro gritava
        mas minha boca nem abria”. Para solucionar meu psiquiatra solicitou
        o fracionamento do Venvase 30mg em 15mg. Tomo 2 vezes ao dia.
        Equalizou este efeito colateral. Espero ter colaborado. Att
        Claudio

  • IMPORTANTE;

    As vezes tomo medicamento VENVANSE na quinta e sexta e tenho um compromisso onde tenho que beber e acabo bebendo bem. Voces repararam alguma diferença ou sabem de algum mal que pode causar específico com este medicamento?

    obrigado!

    • Chará,
      é desaconselhável. Minha medica foi categórica em dizer para que eu não ingerisse bebida alcoólica sob efeito dos remédios. Mas eu já a desobedeci. E nunca tive problema algum. Mas cada organismo age de uma forma diferente. Enfim.. tome muito cuidado!

    • Joao, tb já notei q a tolerância ao álcool aumenta tanto com o venvanse, quanto com o concerta. No início parece que a bebida “não pega”, depois vira um porre imenso, pois aumento a ingesta de bebida pela sensação de não-embriaguez…..daí já eras!! Notei isso, pois nunca fui de tomar porre e depois do concerta quase todas as festas q fui acabei bebendo demais. Agora já me acostumei e ou não tomo a medicação, ou bebo pouco.

  • Oi João! Encontrei vc procurando sobre o venvance.
    Tenho um filho de 13 anos que aos sete foi diagnosticado com dda. Foi um choque pq derrepente me descobri nele! De lá pra cá já usamos quase tudo: ritalina, que o deixou ligado demais, depois o concerta( todas as dosagens) que o deixava mais calmo, mas sem um efeito realmente expressivo, principalmente nos estudos. Lá pelos 10 anos, ele precisou tomar até um antidepressivo e fazer terapia. Melhorou, mas novamente nada tão significante que pudesse ser percebido por exemplo com suas notas no colégio! Ele sempre ficou muito frustrado com suas notas, pois, por mais que tente, nunca chega lá! É muito desatento, estabanado e opositor.
    Ele sempre me deu trabalho no colégio, desde o maternal. Era muito inseguro, tinha uma sudorese excessiva nas mãos e pés. Com a maturidade isso foi melhorando. Hoje ele se relaciona bem com os amigos, faz amizade com certa facilidade.
    Mudamos de cidade e ele ficou um ano sem medicamento e terapia. Sua antiga terapeuta nos aconselhou a coloca-lo em uma escola que não exigisse muito dele, pois estávamos num lugar novo e ele tinha passado muito estresse no colégio anterior. Fizemos isso e ele passou bem, dentro do seu limite, claro! Agora estamos de volta a cidade e a mesma escola. Ele está sem medicamento, sem terapia e muito ruim na escola. Nós pais, sempre queremos o melhor pra os nossos filhos. Quero que ele tenha a mesma oportunidade que meu filho mais velho teve, de estudar em uma boa escola!
    Tenho pensado em voltar com o mesmo psiquiatra, mas ele é muito cheio e nunca tem vaga. Moro em Anápolis(go) e vou tentar algum profissonal em Goiânia. Fiquei sabendo do medicamento por uma amiga e estou feliz de achar esse canal de troca de experiência!!
    Quero me tratar também para melhor trata-lo!

    Um abraço!

    • Tenho 51 anos e sou TDAH, tomo Venvanse há 4 meses e fiz coaching com a Luciana Fiel o que esta me auxiliando muito.
      Quando criança era muito hiperativa, desobediente, mandona, independende, excessivamente sincera, mas era também muito alegre, cheia de vida, simpática e tinha grande habilidade pra fazer amigos.
      Na escola aprendia rápido e depois não deixava mais ninguém perguntar, batia nos colegas, não entrava em fila, sentava de costas pro quadro encima da carteira com o pé na cadeira, etc… mas as professoras me adoravam, o que compensava tudo.
      Minha mãe, que nem sabia da existência do TDAH, me dizia sempre que eu era inteligente, perfeita, feita a imagem e semelhança de Deus, e que por isso eu é quem tinha que me controlar, me dominar e agir de forma civilizada e normal. Ela nunca me disse que eu não tinha jeito, sempre acreditou que eu era capaz e que só dependia de mim vencer a mim mesma. O comportamento da minha mãe me salvou pois tomei pra mim, desde criança, a responsabilidade de ser boa em tudo que fizesse. Com esse pensamento fui desenvolvendo estratégias pra vencer meus limites em todas as áreas da vida. No estudo fazia questionário da matéria toda, lia em voz alta, levantava de madrugada pra estudar antes da prova, etc. Desenvolvi um dialogo interno onde falo pra mim mesma que consigo ficar quieta e assim passo a imagem de tranquilidade e calma, e me domino bem, kkkkkk, só eu sei ….. Me formei em fonoaudiologia e advocacia, trabalho e me mantenho nos empregos com ótimo relacionamento.
      Pela minha experiência, e por todos os 5 livros sobre TDAH que já li, acredito que a medicação auxilia muito mas o mais importante é a confiança da mãe e principalmente o querer e a força de vontade do portador de TDAH é que vão fazer a diferença. Se o portador de TDAH tem um QI normal o prognóstico é muito bom.
      entrgue a seu filho a responsabilidade de ser bom em tudo que faz. Entreguei ao meu filho portador de TDA desatento, e ele vem se vencendo(forma em medicina ano que vem)
      Grande abraço a todos….

    • Denise
      Eu também sou de Anápolis, meu filho foi diagnosticado com TDAH, era muito impulsivo na escola e estava desinteressado pelos estudos fizemos de tudo para ele melhorar no colégio porém, nada adiantou, professor particular, método KUMOM, entre outras tentativas. Ele estudava em uma boa escola particular, como vimos sua falta de interesse decidimos, colocamos por um ano em uma escola pública não melhorou nada só piorou, buscamos ajuda profissional em uma clínica especializada em Anápolis ( CREAR ), depois de várias sessões ele foi diagnosticado com TDAH, foi indicado para fazer tratamento em uma clínica em Gyn (FILLIUM), começou a tomar a ritalina 10mg porém, tem que tomar mais de uma por dia pois, está estudando em uma escola particular muito exigente, considerada uma das melhores em Anápolis, e tem aulas pela manhã e a tarde enfim, pelo diagnostico dele procurei um psicólogo pois, via nele muito de mim para terminar o ensino fundamental estudei em doze colégios, não copiava nada apesar de sempre ter média para passar, no segundo grau consegui me dominar sempre sentava na frente e controlava muito a minha impulsividade, terminei o segundo grau, logo fui pai aos 19 anos, tive uma vida muito conturbada cheia de altos e baixos, fiz várias coisas que me arrependo muito por conta da minha impulsividade, todos viam em mim um grande potencial, mas eu era agitado e quase nunca escutava ninguém, tinha minha independência financeira, quebrei a cara meti os pés pela mão fui parar no fundo do posso, a religião que a minha mãe tanto inculcou na minha cabeça foi que me salvou, hoje tenho um ceto equilíbrio e consigo me controlar, passei em um concurso estou trabalhando restruturei minha vida não tenho as mesmas condições financeiras que antes, mas tenho paz que nuca tive, faço faculdade de Direito, tento fazer da maneira que posso, quase não fico na sala me estressa muito faço um esforço sobre humano para estudar. Com a vontade de melhorar me propus a fazer outra faculdade por perceber que tinha perdido muito tempo, tenho mais de vinte cursos em diversas áreas, desenvolvi várias habilidades. Trabalhando e fazendo duas faculdades ao mesmo tempo, estudando para dois concursos,dormindo de 3 à 4 horas por noite, acabei tendo depressão e stress com zumbidos que não param nunca na minha cabeça continuamente, foi quando procurei ajuda impulsionado pelo diagnostico do meu filho, depois de vários testes fui diagnosticado com TDAH, mas fiquei tranquilo pois, pensava que era burro, meu QI é altíssimo, muito acima da média, estou esperançoso comecei o tratamento com VENVANCE de 30mg, e na semana que vem vou passar para o de 50mg, já estou conseguindo assistir as aulas sem aquela ansiedade, leio muito e não me canso, consigo aprender com uma facilidade que me surpreende, estou tranquilo não fico mais irritado como antes, os efeitos como dor na parte superior do abdome, falta de apetite e desconforto parecia que meu coração não estava pulsando, passaram em uma semana pensei em parar comn o medicamento mas persisti e já estou estabilizado me sentindo bem e produtivo, tenho uma grande esperança que as coisas vão melhorar nunca deixei de acreditar no meu potencial. Que Deus o meu baluarte em quem eu confio, te abençoe a você e toda sua família. Olha o tanto que escrevi, não era capaz de escrever nem EMAIL, kkkkkkkkkkkkk ESTOU FELIZ!

  • OI,
    esqueci de contar que tive uma adolescencia terrível, opositora, fiz tudo que não podia, usei droga, parei de estudar 1 ano, mas graças a Deus e a minha mãe, passou rápido….

  • Olá,

    Gostei imensamente do que escreveste sobre o Venvanse. Na realidade, fiquei aliviada por não ter sido a ÚNICA PESSOA do Mundo, da qual, não adaptou-se com este medicamento. Sentia-me agressiva e mal humorada.

    Os outros efeitos que sentiste com o Venvanse, “os bons”, tais como: rapidez de raciocínio, opiniões pertinentes, aumento da produtividade, euforia etc, eu também os senti na época em que abusava da dose prescrita de Ritalina ( não estou dizendo que fizeste isso, abusar do remédio. É só para entender minha história). Mas,claro, a ” conta ” amarga chegou: não dormia, não comia, estava obcecada no estudo ( que nem rendia mais, pois, estava cansada) e, por consequência disso, afastei-me do meu marido. Não conseguia mais ver um filma inteiro com ele. Não vivia normalmente. Abri o jogo com o meu psiquiatra, recomecei a terapia e mudamos o medicamento. Foi um período difícil. Comecei a tomar o Concerta 54 e, com o tempo, acrescentei o de 18. Estou há uns 8 meses assim e sinto-me bem, especialmente, por causa da terapia que rende muito bem para mim.

    É estranho, pois, ao mesmo tempo que não quero àquele efeito negativo novamente e sei que é insustentável aquele modo de vida, sempre penso que nunca mais terei capacidade o suficiente para atingir meus objetivos e que em algum momento, eu farei algo errado.
    O que na prática, não acontece. Claro que minha atenção não é mais como antes, mas o meu TDAH esta tratado e minhas distrações são normais, não prejudiciais. Estou trabalhando minha insegurança na terapia.

    Se é uma defesa do organismo, eu não sei, mas, devemos ter em mente, que a pessoa com TDAH nunca terá a mesma atenção daquele que não o tem. Nem mesmo com medicamento. Ele funcionará até um ponto e deu. Se ultrapassarmos este limite, sofreremos por tentarmos ser outra pessoa que não nós mesmos.

    Se alguém exige algo que extrapola seu limite e não reconhece suas qualidades, quer saber?…manda a “m….”. Cuide-se e aceite-se com suas qualidades e defeitos. Não somos máquinas. Cada um, com seu jeito, viés diferente, acrescenta algo. E os colegas e empregadores, devem enxergar isto e aceitar.

  • meu psiquiatra me receitou fluoxetina 20mg por dois meses e na sequencia 30 de venvanse, na verdade não tive coragem de tomar o venvanse ainda, estou muito pilhado na fluoxetina, tenho receio de aumentar os efeitos com o remédio, quem toma há algum tempo pode falar alguma coisa a respeito. grato

    • Oi Eduardo,

      Eu tb tomo fluoxetina. 30 mg. Além do Concerta e Wellbutrin. Olha, para mim funciona bem. O que eu sei , é que, metilfenidato (concerta, ritalina) potencializa o efeito da fluoxetina, sente uma leve euforia, que com o tempo desaparece.

      Se vc confia no seu psiquiatra, faz o que ele recomendou. Vê como se sente e vai conversando com ele. Vcs chegarão a dose ideal. No início é meio chato, mas fica tranquilo que a coisa se ajeita.

      O importante é sempre conversar com seu médico.

      • Nêmora e Eduardo, esses fluoxetina e Wellbutrin são indicados para quê?

        • Oi Lu,

          O cloridrato de fluoxetina é usado para depressão, transtorno obssessivo compulsivo, transtorno do pânico, entre outros.

          O Wellbutrin (nome comercial) tem como agente ativo o cloridrato de bupropiona. Serve para a depressão.

          Essas informações eu coletei das respectivas bulas.

  • Caro João,

    Primeiramente parabéns pelo blog que você se dispõe a escrever!
    Fui diagnosticado com o transtorno a uma semana e meu médico receitou o Venvanse de 30 mg., porém… nada de encontrar o bendito nas farmácias e então fiz o seguinte, como só encontrei o Venvanse de 70 mg. e recapsulei (não sei ao certo se é esse o termo) por capsulas de 30 mg, você ou algum amigo do blog já passaram por tal necessidade? Tem algum problema no processo e efeito?

    Obrigado a todos e boa sorte na caminhada!

    • Olá Robert, eu tomo o de 30mg e tambem estou com dificuldade em encontrar, já tomei o de 70 mg .. inteiro e tambem metade , e não tive um bom resultado como se tivesse tomado o de 30mg inteiro . Já dividi até o de 30 mg e não obtive um equilibrio nas doses. Não é só uma substancia que há nas capsulas ! então cuidado. Mande um email com seu cep. para Shire e relate sua dificuldade em encontrar o medicamento, eles indicam o local mais proximo a vc que tenha o mesmo. Pelo menos fizeram isso por mim o mês retrasado. (ja mandei outro).
      Boa sorte!

  • Eu tomava Ritalina para estudar, eu estava bem tomando esse
    remédio, porém ao passar dos anos a minha necessidade foi
    aumentando.Meu neurologista me receitou este remédio, Venvanse 70.
    A minha vida mudou, eu ficava alerta, também a duração do Venvance
    70 é 13 h, Eu fiquei mais comunicativa, só tirava boas notas, e se
    eu tirava uma nota baixa no máximo era 6,5, sendo que a média do
    colégio era 5. As vezes eu ficava 3,4 dias sem comer, eu não tinha
    fome. Meu corpo estava ficando esquelético, ossos aparentes,
    comecei a ficar mais fraca. Porém eu não via problema em tomar esse
    remédio, quando eu entrei de férias eu engordei 12 kg, pois quando
    você para de tomar o remédio o apetite volta redobrado, e também
    porque o remédio possui lido anfetamina ( usado também para
    formulas de emagrecimento). Vai fazer 3 anos que eu tomo esse
    remédio, e eu não estou conseguindo mais ficar sem ele. Parece que
    eu sou incapaz de aprender sem ele. Eu tenho déficit de atenção e
    parece que sem o Venvanse eu não sou capaz de aprender. quando eu
    parei de tomar o Venvanse eu entrei em depreção e tinha chegado a
    conclusão que eu realmente precisava muito do Venvance, porém não
    pode ser assim Além do remédio ser bem caro, ele é uma droga que já
    está me viciando. Estou tentando parar de tomar, estou tentando de
    qualquer forma prestar atenção e não esquecer do que eu aprendi, ou
    de coisas simples do cotidiano, está sendo difícil, muito difícil,
    porém sei que vou conseguir. Nas minha opinião, quando fizeram o
    Venvanse focaram três coisas, diminuir o efeito de saída do
    medicamento, metabolizar no nosso organismo, sem passar pelo fígado
    e viciar as pessoas que consomem esse remédio por uma necessidade,
    pois assim com as pessoas viciadas ao medicamento elas iram
    consumir mais, e isso significa mais dinheiro para eles.

    • Prezada Letícia,

      Tenta com seu médico ver se é possível a associação de um anti-depre inibidor de recaptação de dopamina c/c a retirada progressiva do Venvanese. Ou voltar para o Concerta se for o caso.

      Mais Yoga e menos remédio a todos.
      Fiquem com Deus.

      Att

  • Cara! eu tenho certeza q tenho essa “disfunção” só que sem
    hiperatividade e também por que só fui medicado por profissionais.
    Digo isso por ñ ter consultado nenhum ESPECIALISTA, mas apenas
    contei quais eram meus sintomas e minha história de vida a eles(1
    psiquiatra e 1 neurologista), e pq normalmente ñ participo de
    blogs. O que me chamou a atenção aqui!, e q é minha dúvida tbém, é
    que inicialmente eu só tomava RITALINA 40mg depois, e +
    recentemente, passei a usar o VENVANSE 50mg por indicação, mas q ñ
    houve óbice, até me adaptei bem, apesar da dor de cabeça no início
    que passa logo e a falta de apetite que é irrelevante e pra mim é
    uma bênção mas é bem fraca pra quem pensa em emagrecer, mas a minha
    curiosidade fica por conta do CONCERTA que eu nunca tomei, será eu
    deveria pelo menos experimentar para ver? talvez eu tenha pulado um
    estágio, já tomo VENVANSE 50mg há 2 meses e realmente acho muito
    caro apesar de ser “excelente”. Pelo que li que vc escreveu talvez
    eu tenha o mesmo resultado tomando CONCERTA? O Q VC ACHA? Gostaria
    de sugerir que se faça um grupo de encontros para discutirmos ou se
    já houver p favor quem souber de algum em curitiba me avise ”
    Obrigado a todos e até

  • Marcio, acho que vc pode ficar tranquilo quanto á sensação de ter “pulado um estágio”. Eu já comecei direto no Venvanse, fui pra ritalina e foi péssimo, dae voltamos para o Venvanse e já estou com ele há um ano, quase dois. Acho que podem ter te indicado ele depois da Ritalina prq ele é um medicamento novo e com muitos benefícios que a Ritalina não tem. Acho que é isso! Tem me ajudado bastante! Tb acho que deveríamos fazer um grupo de discussão, se alguém fizer por favor avise, gostaria de participar!

    :)

    Bjs!

  • Eu tambem tenho curiosidade quanto ao Concerta, justo pelo motivo da dificuldade de encontrar o Venvanse ! Tenho que interromper o tratamento pela falta do medicamento ! Absurdo! Desta vez a empresa que importa o venvanse respondeu meu email dizendo que o mesmo só será reabastecido na segunda quinzena de junho!! E nesse intervalo fodasse a vida do paciente que faz uso!

  • Eu fazia o uso de ritalina, como está em falta no mercado
    comprei o venvanse 30mg, os 3 primeiros dias foi uma maravilha
    (segunda, terça e quarta), no quarto dia (quinta) em diante
    seguidos do uso, meu rendimento caiu, a concentração era grande,
    mas a formação de raciocínio que tinha nos 3 primeiros não foi o
    mesmo, meu cérebro estava esgotado de tanta informação, li um livro
    da faculdade de 300 páginas 3 vezes em 3 dias absorvendo tudo, mas
    no quarto dia não consegui estudar mais nada, vou fazer o teste em
    ficar descansado o cérebro esse fim de semana pra ver se é
    realmente o estress mental o problema, pois não sei o que mais pode
    ser.

  • ggostei muito do seu blog e tirei algumas duvidas sobre
    medicações para tdah, minha filha de 8 anos esta tomando venvanse
    30 mg a dois meses indicado pela neuropediatra,já apresentou
    melhoras na escola as professoras estão elogiando bastante seu
    desempenho, eu deveria estar feliz…mas como mãe não estou porque
    sua personalidade esta mudando a cada dia do nada começa com crises
    de choro sem motivos, irritação, momentos de tristeza,sem falar na
    pupilas que estão sempre dilatadas, na falta de apetite (já ficou 3
    dias só com liquidos) seu emagrecimento rapido. a doutoura disse
    que assim mesmo será!!!! que vale a pena uma criança passar por
    tudo isso para prestar mais atenção em sala de aula…

    • POR QUE VC NÃO TOMA UM COMPRIMIDO PARA SENTIR O QUE A SUA FILHA SENTE ?

    • Anna,
      Vc conseguiu diminuir a irritabilidade da sua filha?
      Minha filha de 8 anos também está tomando Venvanse de 30 , mas divido a dose e ela toma somente 15 por dia. Melhorou em tudo mas esta extremamente irritada e agressiva.

      Obrigada
      Renata

  • Boa noite, pessoal. Por gentileza, alguém aí que foi
    diagnosticado como DDA teve também um diagnóstico de comorbidade
    com depressão? Vcs tem informação de que o DDA tem muita tendência
    também à depressão? Acho que é o meu caso.

  • Boa noite a todos os TDHA !!! Vocês estão com problemas em
    encontrar o Venvanse 30 mg ? Há exatamente 20 dias que não consigo
    encontrar o medicamento. Isso porque eu moro em SP Capital. Meu
    medicamento acabou há 10 dias e esta sendo um martírio para mim
    ficar sem o medicamento. abraços, Adriano

    • Meu, se der uma olhadinha nos posts anteriores vai ver que Qualquer Venvanse está faltando no mercado, e é problema injustificado de fornecimento do próprio laboratório, portanto, a falta é no Brasil inteiro, de qqer forma fica a dica, enquanto durar a “seca” por que vc ñ tenta usar a Ritalina por enquanto, já que o fornecimento desta já voltou ao normal? e Boa Sorte!

  • E diminuir a dose do Venvance, não foi penado
    isso?

  • pessoal sem o Venvanse como ta se sentindo? eu cai em uma depressão brava…

  • Pois é pessoal, me sinto um rato de laboratorio, começo um tratamento com um medicamento que do nada nem quem o fornece da respostas concretas, fiquei um mês sem.. por não encontrar ,… a recaída é grande ! pensamentos confusos ! Já havia comentado com meu médico outra vez que tive dificuldade de encontrar o venvanse e ele substituir pelo concerta, ele disse que o venvanse era melhor e blá,blá,blá .. .. Bom, voltei lá e o questionei novamente, agora ele me receitou o concerta.. “caro pra ca*¨%$! ”
    Andei lendo a bula e to meio recioso, se alguem faz ou ja fez uso do concerta depois do venvanse.. e puder relatar reações adversas eu agradeço pois não quero piorar.
    Saude e melhoras a todos !

    • Boa noite. Primeiro gostaria de agradecer ao apoio que
      indiretamente cada um de vocês, com os seus relatos, me dão. Sou um
      homem de 34 anos, fui diagnosticado exatamente 1 ano atrás, mas
      antes disso passei por uma vida, que como diz meu psiquiatra, não
      poderia servir de parâmetro aos outros portadores devido a
      intensidade, violência e estragos que o TDAH trouxe para mim ao
      longo desses anos todos, para vocês terem uma ideia, aos 7 anos de
      idade, fui operado de apendicite porque eu não verbalizava bem o
      que sentia ( inquietação) e falava que era dor, chorava, rolava de
      “dor”, mas hoje sei, através da terapia que essa dor, na verdade,
      era decorrente da insuportável hiperatividade que me segue até
      hoje, mas na época, quase 30 anos atrás, os médicos não encontravam
      nenhuma explicação para o que acontecia comigo, até que um sugeriu
      “abrir” para retirada do apendicite, pois podia ser ele a causa,
      nem preciso dizer que foi a primeira brutalidade absurda e inútil
      das outras que se seguiram. Mas enfim, consegui ano passado o
      diagnostico e medicação corretas. Minha vida mudou radicalmente (
      não tolerei os efeitos rebotes do metilfenidato) e o Venvanse foi a
      resposta as minhas preces, pois com ele ( sou predominantemente
      hiperativo-impulsivo) consigo ter equilíbrio e controle das minhas
      emoções. Mas agora, me vejo mais uma vez, diante do riso de ficar
      sem a medicação, como isso é possível? Não só a minha, mas casos
      tão graves como o meu, são as nossas vidas que estão em risco, como
      pode a Anvisa não enxergar a realidade de nossa doença, meu Deus do
      céu, que país atrasado é esse que vivemos em relação ao nosso
      transtorno, será que um dia seremos devidamente respeitados?
      Agradeceria, por favor, se alguém souber qualquer informação sobre
      a volta do Venvanse ( tomo 140 mg) por dia, ou de alguma drogaria,
      seja em que parte do país for que tenha alguma de resto, me avise.
      Estou tendo que me virar com o resto das cápsulas de uma caixa de
      70 mg, e desde a semana passada, como estou tendo que reduzir a
      cada dia as doses, minha vida vem desabando junto. Obrigado mais
      uma vez pelo apoio e força que vocês me dão. Diego.

      • Ola Diego, boa noite!
        Sobre o venvanse ouvi notícias esperançosas. Estive no médico sexta-feira e ele me disse que ouviu do representante na Shire que o venvanse já estaria no Brasil e que seguiria para distribuição na semana que vem. Bom, minha consulta já foi no início da noite e não consegui confirmar isso no SAC da Shire, mas segunda cedo vou correndo atrás de mais notícias. Espero que o seu medicamento dure até a chegada dos novos lotes.

        • Marcelo e Diego: aparentemente, no Rio, as farmácias me prometeram para semana que vem! Ao que me parece já estão prestes á distribuir os lotes. Talvez vcs possam tentar encomendar. Algumas farmácias fazem isso comigo!

          • Bom dia Lisa, obrigado por sua atenção. Que notícia ótima, que alívio. Será que dessa vez ele fica normal nas farmácias ou mais uma vez a ANVISA vai criar problemas para a SHIRE? A sensação que eu tenho, é que a começar pela ANVISA, passando pela maioria dos psiquiatras e psicólogos e até para muitos pacientes, o TDAH não existe, não é reconhecido, você já percebeu isso? Dá uma olhada no “Congresso” que terá em São Paulo. Acho engraçado esses psicólogos se achando os donos da razão, falando um monte de M.., porque não estão na nossa pele, não sabem o que vivemos dia a dia na nossa vida. Mais uma vez, obrigado. O link: http://www.seminario.medicalizacao.org.br/

        • Bom dia a todos. Acabei de comprar minhas caixas de
          Venvanse, chegou ontem aqui na minha cidade. Conversando com o
          gerente da farmácia, ele me contou que o lote liberado pela ANVISA
          foi pequeno, que os medicamentos já forma distribuídos para as
          farmácias e que no fornecedor já se encontra esgotado. Em suma:
          Mais uma vez, correr comprar antes que acabe, e mais uma vez
          ficamos na incerteza se teremos nossa medicação para uso futuro;
          Inacreditável que além de tudo, ainda tenhamos que viver com essa
          dúvida pendente. Boa sorte a todos. Diego.

          • A anvisa liberou apenas um lote?! Excelente notícia. Alguém aqui ainda está na dúvida se começa ou não o tratamento com Venvanse*? Anvisa, Conselho Federal de Medicina e Indústria Farmacêutica, o ‘triângulo amoroso’ mais lucrativo do Brasil. Indignado!!!

          • Pessoal,
            ontem consegui comprar o Venvanse de 30. E devia ser um lote novo, já que a tampa da embalagem mudou. Alguém percebeu isso? :)

  • Gostaria de saber se o Venvanse causa vício. Tenho medo de
    tomar o remédio e depois que parar sentir falta, não conseguir me
    concentrar, entender as coisas sem o medicamento. Alguém poderia me
    ajudar…

    • Rafael, Eu tenho 54 anos e me trato ha mais de 13 anos.
      Inclusive contei esta historia em um post aqui hj e sumiu, fiquei
      muito P deu um putz trabalho. Experimentei me dar bem com todos
      estas drogas da Ritalina até alernativos com Bubopriona. Nenhum
      deles resolveu a ajuda que eu necessitava como o Venvanse. Mas é
      uma ajuda ,o resto é com vc e um bom terapeuta comportamental ou
      processo de coaching sério. Deixa o caso do vício com seu
      especialista para administrar . Acerta a dosagem e toca em
      frente!!!!! Abs e sucesso!!! Paulo

  • Pessoal ,acabei chegando aqui pq queria opções de onde
    adquirir o VENVANSE.Tomo desde 2011. Realmente o abastecimento esta
    voltando ao normal desde a ultima segunda feira dia 15/6. Lendo o
    relato João Vicente e de todos vcs me identifiquei muito. Tenho 54
    anos e fui diagnosticado a mais de 13 anos ,TDAH,sem o H
    (hiperatividade) mas uma comorbidade ,a ansiedade e
    consequentemente depressão ,leve mas existente . Tomei durante anos
    Ritalina,Concerta,e outros estimulantes metilfenidato.Nunca
    consegui me sentir bem apesar do foco nas tarefas terem realmente
    melhorado mas o depois era terrivel, e comecei a ficar depremido,o
    tal do rebote. Paramos (eu e meu médico) com o tratamento e
    substituimos pelo tratamento com bubopriona (Zetron) em baixas
    dosagens mas sem resultados diretos sobre TDAH.tomei por anos ,me
    senti bem mas a “coisa”continuava. Fiquei mais de um ano sem
    medicação e lógico, as coisas de sempre de uma vida, acontecendo
    ,até o dia do Venvanse. Que dia! ,que emoção! Finalmente era isso
    que faltava,tanto tempo esperando por uma ajuda como essa.No
    segundo dia fiquei realmente emocionado com meu desempenho.
    Rapidamente tudo começou a funcionar,planejar ,não procastinar ,
    usando o palavriado da moçada,quando ele “bate” sinto um bem estar
    e que nada é dificil de ser executado ou esquecidotudo acaba sendo
    divertido de ser feito. O raciocinio e a capacidade de associar as
    coisas como nunca eu tinha vivido. Aumentamos a dosagem de 30 para
    50,os resultados anteriores foram potencializados.Mas surgiram
    momentos de hiperfoco ,ficava logado horas a fio pela
    madrugada,tudo virou uma bagunça. Retornamos ao 30 mg ,beleza, tomo
    até as 10:00 da manhã pra não atrapalhar o sono,atividade fisica
    aerobica (adoro caminhar) e coaching. Fumava de vez em quando, mas
    com a medicação aumentei muito,emagreci e na ausencia do medicação
    ,tipo fim de semana, fico esfomeado e meio de pavil curto, ai
    tambem,começamos com Pristik pra equilibrar ,nào tomo é horrivel
    pra mim ,vamos trocar. Esta droga é ótima, mas como outra qualquer
    ,se vc focar em uma coisa boa vai ficar focado mesmo, mas se vc
    focar em merda tb vai ficar focado e vai dizer que o remédio não
    funciona. Recomendo ,que escutem os médicos,que com esta ou
    qualquer medicação deve caminhar paralelamente ,terapia
    comportamental ou Ramain ou monitoria no caso de estudantes
    adolescentes ou coaching (ótimo),Yoga tb é muito bom. Tenho outros
    relatos sobre a vitória de meu filho com este remédio mas deixo pra
    outra oportunidade. Estou ha semanas sem medicação e deu pra
    comparar e aprender. De certa forma se vc se observar com a
    medicação seus novos habitos e estimulos e gravar em sua mente pode
    repeti-los nos finais de semana sem a medicação .Vc ira perceber
    que a medicacão te ajudou a aprender um pouco do seu modo de
    atingir seus objetivos ,é como quase vc não precisasse mais dela
    para certas coisas,somente dos estimulos que sua aprendeu a ter
    quando no efeito da droga. Pra terminar,NUMCA BEBA QUNDO ESTIVER
    SOB EFEITO DESTA MEDICAÇÃO. Afiliem-se a ABDA é bem legal e super
    séria. Obrigado

    • Excelente, Paulo! Muito obrigado pelo seu depoimento…

  • Parabéns a este blog, os comentários aqui são bons demais.
    Bem, com 24 anos quase me matei querendo pular a janela, fui parar
    em uma clínica, saí de lá com o diagnóstico de depressão e fobia
    social, depois disso passei em um concurso para trabalhar em um
    banco, a vida é cheia de ironias, derepente eu que nunca havia
    trabalhado estava sentado na frente de umas 100 pessoas olhando pra
    mim bravas, eu virei caixa, pra quem é fóbico social sabe o que
    estou falando, o medo de ser julgado, mas isso acabou sendo muito
    bom pois não fugi e enfrentei a situação e de certa forma foi uma
    terapia além de me sentir útil, não sendo um peso para os meus
    pais. O tempo passou e eu acabei retirando os remédios, acho que o
    maior problema para nós é admitir que somos doentes mentais, há um
    forte preconceito em nossa sociedade. Quando estava com 31 não teve
    jeito tive ir em um neurologista pois aqui em minha cidade não
    havia um psiquiatra, comecei a tomar a venlafaxina, maravilhoso, os
    pensamentos suicidas foram embora e comecei a aceitar que viveria
    pra sempre tomando remédio, detalhe foi que nesse ano o meu filho
    nasceu. Em 2012 eu com 35 anos lí uma reportagem na
    superinteressante sobre TDAH, me emocionei, é isso que eu tenho,
    tudo se encaixava e entendi melhor minha vida, claro busquei um
    psiquiatra em outra cidade, o problema foi que esse me deu um
    diagnóstico de bipolar, bem aceitei e comecei a tomar os
    anticonvulcionantes, foram 8 meses sem um resultado, quer dizer o
    único foi tomar a bupromiona,melhorei mas não tinha percebido muito
    até que fui visitar meus pais, pela primeira vez consegui
    argumentar contra meu pai que adorava me por pra baixo, eu estava
    irônico muito irônico, esses argumentos vinham claros fiquei muito
    feliz. Voltei das férias e fui procurar outro psiquiatra, pois
    tinha ótimas referências, primeira consulta e diagnóstico de TDAH
    sem hiperatividade, estava feliz finalmente ia me tratar daquilo
    que acredito que tenho, vocês podem perguntar como eu sei? Bem como
    caixa eu era o que mais tinha diferença de caixa teve mês que
    paguei pra trabalhar em 10 anos no caixa paguei uns R$ 25.000 eu
    não conseguia procurar depois na fita o que tinha acontecido e nem
    pedia ajuda, faculdade comecei 5, nenhuma terminei, na última fiz
    dessas que estão mais interessadas em nosso dinheiro e foram me
    passando até chegar a monografia todos que fizeram passaram apenas
    e mais um cara ficou, eu nem tentei, simplesmente não fiz, minha
    mãe então pagou uma (brasileiro é foda) então no outro ano fui
    mostrar para o professor e ele mandou mudar algumas coisas e então
    desisti, no meu trabalho estou a 10 anos e a 10 anos que não subi
    de cargo, pelo contrário caí, mas a pedido meu, pois não agüentava
    mais pagar diferenças, eu sou o único que não faz os cursos, as
    certificações que devem ser feitas, a minha sorte é que a empresa é
    que o governo controla, não sou incompetente, muito pelo contrário
    sou dedicado só que não consigo sentar na frente de um livro e pra
    piorar tem a fobia social que me faz ser muito distante das pessoas
    ao meu lado, até hoje não entendi como me casei e tive filho,
    afinal foi ela que tomou a iniciativa, mas voltando ao assunto,
    comecei com o Concerta 18mg, foi bom consegui passar dois dias
    sendo muito produtivo, depois não, então aumentou a dose para 54mg,
    fantástico parecia que meus problemas estavam resolvidos até a
    fobia tinha sumido estava confiante, só que durou apenas dois dias
    mais uma vez mas foi aí que tive certeza que era TDAH, então nesse
    mês comecei com o Venvanse 18mg, mas não fez nenhum efeito, como eu
    havia demorado para conseguir eu resolvi tomar 2 comprimidos de 18,
    pois não haveria o risco de terminar até a volta ao médico,e agora
    aqui estou eu no meu terceiro dia sem efeito nenhum do remédio, não
    mudou nada, ainda estou com apatia para fazer tudo, não estou
    agitado, só tive problemas para dormir na primeira noite, continuo
    comendo igual, tenho medo porque eu depositava muitas esperanças no
    remédio, meu médico está querendo me dar Lítium junto com eles diz
    que vai potencializar, mas não queria dizem que faz engordar e já
    estou com 115Kg mas fazer o que? Se tiver que tomar tomarei. Quero
    apenas que vida ande, por enquanto estou assistindo a vida passar,
    como um filme na frente de uma TV, ao sabor dos ventos onde eu não
    tenho controle de nada, mas como diz o ditado popular: a esperança
    é a última que morre.

    • Oi Paulo,

      Eu também tenho TDA. Desde 2007 estou me tratando. Tomo Concerta 54 +18 e Wellbutrin. Também enfrentei períodos muito difíceis. Sou uma pessoa muito insegura e sempre duvido da minha capacidade profissional. Mas somente a medicação não basta. O que me ajuda e muito é a terapia. Amadureci, estou mais tranquila comigo mesma, sei que sou capaz profissionalmente.
      Também sou casada e amo demais o meu marido. A família dele – minha agora- sabe que tenho TDA – na verdade eu descobri ainda quando o namorava – e tratam-se, como sempre me trataram, com amor e respeito. Sinto-me em casa e tenho muito carinho pela família de meu marido, assim como pela minha.
      Falei isso, pois, identifiquei-me quando você escreveu que é casado e não sabe como. Sabe, teve um tempo, que me perguntava como havia conquistado o meu marido? Ele é um cara super inteligente, pesquisador científico, a conversa com ele e com seus amigos e colegas é de altíssimo nível. E é legal, pois eles são crânios e super simples. Eu me sinto a vontade com eles e sempre participei das conversas. Fora isso ele é bem disciplinado. Totalmente o contrário de mim… E aí eu comecei com uma neurose (até então inconsciente) de fazer tudo de forma que fosse aprovada por ele e por sua família. Me preocupava mais com a aprovação dos seus pais do que com os meus. Para tudo. Mas isso era coisa minha! Obviamente, com o passar do tempo, eu estava exausta pois queria ser uma pessoa que eu não sou: disciplinada, com tudo sempre em dia, toda certinha…Acontece que eu não sou assim! Claro, sou responsável e comprometida, mas eu nunca vou ser tão disciplinada que nem meu marido, por mais que eu tente. Muito por causa do TDA e também pela minha história de vida familiar, social, profissional, pessoal. Nossa foi aí que me dei conta que as pessoas me amam como eu sou: espontânea, expressiva,criativa,sonhadora, amiga, leal. Assim como: desligada, com dificuldade de persistência, impulsiva etc.
      Eu me senti muito mais leve. Com as sessões, minha autoestima melhorou e eu pude ser eu mesma novamente. Claro, eu policio meus defeitos, para que não me prejudiquem nem aos meus familiares e amigos. Mas o maior inimigo que tenho é a dificuldade em aceitar-me como sou. Em confiar em mim mesma. Tranquilamente. E não somente o TDA.
      Veja, você mesmo disse que quando passou no concurso, não fugiu da situação apesar da sua fobia social. Isso é uma conquista que deve ser valorizada. Não foi nada fácil, eu imagino, para você. Entretanto, você só observou que foi bom pois não seria um peso para os pais. Mas e seu estudo e comprometimento? E seu esforço em persistir? Ainda mais após ter passado por um período árduo. E na faculdade, ninguém vai te passando, você passou porque mereceu.Você casou pois sua esposa te ama e quis ter um filho contigo, que, com certeza,te ama também.
      Paulo, acho que deve conversar com seu médico, acertar a medicação; que é a parte mais chata, eu sei ; mas lembre-se: a medicação responde por uma parte dos seu méritos. A maior parte é você mesmo que faz! Vá a terapia. Confie me si. Ninguém é perfeito e isso é impossível. Não somos máquinas. Exija-se menos de si mesmo. Assim, você conseguirá fazer as coisas que quer, pois estará bem consigo mesmo e com os seus.
      Persista!

    • Bem Paulo, tudo que poderia cogitar em falar, a Nêmora já falou e bem até demais, pois em tudo que ela disse me encaixo.

      No mais, venho aqui apenas para pincelar/cogitar uma ideia. Você comenta que está tomando 18 mg de Venvanse. Sim, sei, cada um tem a dose certa de medicação para si, contudo, esta dosagem de venvanse dificilmente surtiria efeitos para mim. O mínimo pelo meu psiquiatra foi de 30mg, para surtir efeito médio. Para sentir REALMENTE o “poder’ do venvanse e sentir O PODER, tenho que tomar 50 mg, sem isso, não vou pra frente!

      Assim, proponho que peça ao seu psiquiatra o aumento da dosagem para 30mg e veja se faz efeito. Qualquer coisa, depois suba para os 50mg.

      Só por curiosidade, da primeira vez que tomei, fui de cara para os 50 mg. Quase pulo da janela do apartamento achando ter virado o Super Homem!

      Abs e siga em frente!

      Ps: Me identifiquei sobremaneira com algumas passagens do seu relato…

      • Concordo plenamente, eu tbém me encaixo naquele caso e tbém tenho 115kg e tomo o venvanse de 50mg e é uma maravilha.

  • Ótima notícia, João. Aqui em Santa Catarina ninguém sabe onde foi parar o tal do Venvanse*!!! Mas a Ritalina*, ah… a Ritalina* não pode faltar nas farmácias. Ops! Meu armário tem mais duas caixas com 60cp da ‘maledita’ Rita… Oh Ritinha… como você me irrita! (rsrs)

  • Boa noite Fui Ontem no Psiquiatra, e relatei pra ele que
    tenho dificuldade de prestar atenção nas aulas, a professora fala
    eu viajo, leio livro não entendo nada, não consigo ficar preso na
    leitura, na infância demorei pra falar, tiver que fazer tratamento
    com fonoaudióloga comei a falar com 4 anos. Tudo que começo não
    termino, já cursei 6 faculdade todos os mesmo curso e não conclui
    nenhuma, irritabilidade, quero as coisas pra ontem, esquecimento e
    sentindo que estou perdido no tempo! O Dr me receitou Venvanse de
    30mg tomar 1 comprimido de segunda a sexta feira e falou que tenho
    DDA e pra voltar daqui um mês na consulta! Estou preocupado não
    entendo nada dessa medicação eu vi que é caro na Drogasil sai por
    234 reais

  • Rafael, cuidado.. com “psiquiatras” .. embora haja indicios
    de ser um portador de DDA, não quer dizer que seja ! Pelo seu
    relato dá a entender que vc só disse isso a ele e ele o
    classificou. Há varios exames e testes para classificação de tal
    problema. Procure profissionais especializados que elaboram esses
    testes, dependendo o grau , o medicamento ajuda.. mas existe
    diversas formas de minimizar o problema, o primeiro passo é vc se
    conhecendo, e não tenha em mente que o remédio é a solução de todas
    as suas frustações ! Boa sorte !

    • Diego, poderia detalhar os testes e exames realizados para feitura do diagnóstico?

      De minha parte, além da minha certeza, bastou o bate papo com o Psiquiatra tbm.

      Abs.

    • É Diego, fiquei na mesma dúvida que a Lu. Meu médico é membro do ABDA, inclusive, é da equipe do Dr. Paulo de Mattos que é presidente do conselho científico da associação, tenho plena confiança nele e nós apenas conversamos. Fui diagnosticada com Déficit de Atenção + Depressão. Não sei se esses “testes” são determinantes.

      Tb queria saber quais são estes testes e exames!
      Bjks

  • Boa tarde a todos. Desculpem mas, não ficarei apenas no
    comentário sobre o medicamento, até porque é necessário explanar um
    pouco mais. Sempre soube que havia algo estranho comigo. Quando
    criança era chamado de encapetado, agitado, preguiçoso, malandro e
    etc… O tempo passou, os adjetivos aumentaram na escola,no
    colégio, na faculdade. Já ouvi de enrolado a disperso, de nervoso a
    mal criado. Realmente alguma coisa acontecia. Se era para estudar
    para uma prova conseguia, mas se era para estudar ou assistir as
    aulas era um desastre, bastava um som, um pássaro na janela, uma
    conversa paralela para desfocar e viajar em um mundo a parte. Vária
    repetições na escola, aulas de reforço, provas finais, brigas ,
    dificuldades em manter amizades. Assim foram meus anos escolares.
    Namoros, relacionamentos, casamento, separação. Me sentia
    incompreendido. Houvia dos outros que algo estava errado. Precisava
    de ajuda, mas não sabia onde , como, com quem? A luz veio ao ver o
    programa “Sem Censura” sobre TDAH com dr. Paulo Mattos do Centro de
    Neuropsicologia Aplicada – CNA. Ali apos uma séria de entrevistas,
    exames, me virarem literalmente pelo avesso, sai com o meu
    diagnóstico e encaminhamento. Iniciei o acompanhamento com uma
    psicologa cognitiva + remédios , entrei a principio no mundo da
    Ritalina fui de 10 a 40 mg. Nenhum deles segurou minha metralhadora
    de fala, não me focou. Concluímos que o Venvanse poderia ser melhor
    devido a sua ação por mais tempo. E confesso aqui. Com ele, minha
    ansiedade melhorou, minha aceleração na fala e meu foco também. Meu
    relacionamento familiar e com amigos também. A academia também foi
    um grande auxiliador. Junto a isto tudo eu indico uma agenda para a
    memória. Mas o principal é que não se deve tomar remédio sem
    prescrição, sem acompanhamento, pois o que pode ser bom pra mim,
    pode não ser bom para o outro, mesmo ambos tendo transtorno do
    déficit de atenção com hiperatividade. Nunca experimentei o
    Concerta. O Venvanse tem um porém: o preço. É caro, não tem nenhum
    programa de desconto do laboratório. Ultimamente tem sido difícil
    de encontrar pois é importado dos USA e embalado aqui. Se houver
    greve nos portos ou na Anvisa penamos e tenho de quebrar o galho
    com a Ritalina (como ocorreu em junho agora). O 0800 do laboratório
    Shire (Venvanse) ou o email não dão informações ou opções. Outra
    coisa , não compreendo porque o Venvanse é mais barato em São Paulo
    do que nas farmácias do Rio de Janeiro ? Tirando esses sofrimentos
    que não são pequenos o remédio é bom.

  • Recentemente meus dois filhos gêmeos foram diagnosticados
    com TDA. O maior problema realmente é no ambiente escolar, devido a
    inquietação, agitação, desatenção a aula e por vezes o esquecimento
    em anotar alguma tarefa escolar. O interessante é que normalmente
    se saem bem nas avaliações (só este ano é que tiveram dificuldades
    nas primeiras avaliações de língua portuguesa e história também
    influenciado pela mudança de escola). A grande questão que vejo no
    tratamento em crianças é a dificuldade que eles podem apresentar em
    descrever o nível de desconforto. Estou vendo que algumas pessoas
    falaram da mudança de medicamento e inclusive discutir com o médico
    a dosagem, baseados no nível de desconforto e particularidades em
    diferentes medicamentos. João e demais leitores deste bolg,
    gostaria de saber o que vocês têm acompanhado quanto ao tratamento
    de crianças. Eles passaram por um período de avaliação e irão
    iniciar um tratamento com a abordagem Cognitivo Comportamental, que
    ao mesmo tempo que me deixa mais aliviado pela possibilidade de
    tratamento fico apreensivo pela necessidade em envolver tantos
    sujeitos no tratamento. abçs

  • Tomo o Venvanse exatamente por esse efeito colateral que
    não te deixou dormir! Tenho narcolepsia e o Venvanse é o remédio
    que melhor “domou” meu sono incontrolável. O ruim é que ele está em
    falta nas farmácias tem um mês mais ou menos e eu estou parecendo
    um urso hibernando esse tempo todo. Mas adorei o seu post!
    Abraçcos

    • Oi Joanna, tudo bem? Tb tenho narcolepsia e já utilizei o stavigile, a Ritalina e atualmente o concerta. Mas os resultados não tem sido satisfatórios. Estou pensando em utilizar o Venvance . Sou muito sensível às medicações. Por isso não tolero quase nada. Não encontro ninguém q sofra de narcolepsia pra trocar uma ideia sobre tratamentos e etc. Será q vc pode me contar como foi sua saga até se acertar c o remédio? Um abraço,

  • Boa Noite pessoal, hoje estou bem assustada com a
    prescricao do medico do meu filho. Ele tem apenas 5 anos, e ele
    prescreveu vensanse 30, estou na duvida e com muito medo devido o
    medicamento ser tarja preta… estou com o medicamento na mao,
    pensando e agora… dou ou nao dou a ele…

    • Daiane,
      o remédio é tarja preta por uma questão de controle da ANVISA. Não é prq ele é tarja preta que é forte o bastante para trazer algum prejuízo pra quem ingere. Se o medico dele prescreveu, dê sim o remédio e acompanhe.
      Se os efeitos colaterais forem superiores aos benefícios, suspenda e procure novamente o médico.
      Um vez que você suspenda, ele deixa de fazer efeito.
      Espero ter ajudado.

  • Bom dia, encontrei o seu blog através da pesquisa sobre
    venvanse. Tenho um filho de 5 anos e a dois anos ele faz tratamento
    para TDAH, sempre usou Risperidona 2,5/5ml , no começo foi muito
    bom este medicamento, mas, com o tempo, ele nao teve mais o mesmo
    efeito, muito filho começou a reclamar de cansaço, e voltou a ter
    um comportamento agitado e agressivo na escola. Fomos a outra
    cidade procurar ajuda, e encontramos um especialista Neuropediatra,
    muito famoso na regiao, que ja deu aula em Paris, ele pediu um
    eletroencefalograma, e nao apresetava nada de errado no exame,
    entao prescreveu VENVANSE para meu pequeno. No inicio fiquei
    preocupada, pois se trata de um medicamento tarja preta, mas
    pesquisei bastante e resolvi começar o tratamento mesmo assim.
    Começamos hoje com o tratamento, e vou ver os resultados e em uma
    semana volto aqui para dizer como esta sendo, se ele esta tendo
    muitos efeitos colaterais etc. O Dr. mandou eu dividir o comprimido
    dele em dois e dar com agua, entao eu abro a capsula e tiro metado
    do pó e dou a ele. O comprimido é de 30mg, dividido ao meio ficou
    em 15mg. Mas como estou com medo dos efeitos dividi em tres partes.
    Em breve aviso como foi… Algum pai ou mae ai, esta passando pelo
    mesmo problema?? vamos trocar informaçoes!! Sou de \Foz do Iguaçu -
    PR meu email daii_silveira@hotmail.com Obrigada

    • Olá! Alguém já usou welbutrin para tdha? Minha psiquiatra
      me passou e vi alguns estudos comprovando. Alguém que usou pode
      falar sobre? E se tiver usado Venvanse e puder comparar.
      obrigado!

    • Daiane,
      Minha filha de 8 anos também toma o venvanse de 30 dividido ao meio (15 por dia). Melhorou em tudo mas esta muito irritada e agressiva. Seu filho passou por isso?
      Obrigada
      Renata

  • Gostei de ler seu post. Estou prestes a usar o venvsnse 30. Vamos ver no que dá.

  • Olá. Sou mãe de um garoto de 13 anos diagnosticado com TDAH.
    Ele tomou Ritalina 10mg nos últimos 2 anos e, com o tempo, os efeitos desejados não estavam satisfazendo. Nos últimos horários de aula, já tinham desaparecido ( ele estuda de manhã).
    Passou então para a Rtialina LA de 40mg e se sentia mal, sem apetite até as 16:00 hrs. Ficou mais nervoso.
    Agora foi prescrito o Venvanse de 30mg e ele vai começar a tomar amanhã.
    Espero que dê certo certo. Vou ver durante 15 dias como ficará e volto a este post para relatar.

  • Olá pessoal! Não sei dizer quantas vezes entrei aqui e ja até li muitas vezes as postagens e os comentarios! Tenho uma história terrivel com TDA/H (não tenho hiperatividade), uma LUTA sózinho! não sei se houve com voces o mesmo, mas minha familia nunca viu isso como um problema então eu era o desatento,vagabundo,desorganizado!Por um acaso vi o filme, “Sem Limites” e acordei para o problema! Tomeis varios varios medicamentos homeopaticos e também medicamentos de farmacia por conta própria! Por ultimo fui a um médico e tive a receita da ritalina que foi LA 40 mg! Fiquei mal, senti taquicardia, mudança de humor etc. Tomei o Stavigile 100 e 200 mg! não adiantou! Pessoal, eu ja estava desistindo, ficando louco! a ponto de perder muitas oportunidades, fora as que eu ja perdi anteriormente! MAS EU CONSEGUI A SALVAÇÂO! e ela tem nome! VENVANSE 70 MG.Por conta própria eu estudei falei com especialistas e tomei! Além de não me alterar em nada pra pior ele me tornou mais focado, mas agil, vejo mais alternativas, sinto-me mais disposto e com a memoria ligeira, melhor! Amigos, se é ou nao um medicamento que cause dependencia seja ela qual for eu uso e recomendo porque sim, é uma saida pra quem sofre desse transtorno tão mal pra quem quer vencer na vida!É de alto valor, e as diferenças de preço do de 30 mg e o de 70 mg são pequenas, então compensa o de 70 se voce tiver condições!
    Sofri, sofri , sofri , sofri! perdi, perdi, perdi! agora meus amigos é hora de ganhar! é hora de ser feliz! quero muito compartilhar esse meu histórico com TDA/H! e os outros medicamentos indicados pois ja tomei todos!!! vamos la pessoal!!!!!!

    • Oi Josué!
      Obrigado pelo seu depoimento.
      Como você disse, a hora agora é de lutar, correr atrás do prejuízo.
      Fique a vontade para contribuir aqui no blog, ajudando outros leitores com suas experiências e dando força pra que eles continuem lutando!
      Obrigado pela visita! ;)

  • Boa noite pessoal, preciso de uma orientação de vocês, estou em um situação difícil demais. Em dois anos de tratamento, já passei por toda a família do Metilfenidato, mas não tolerei os efeitos rebotes, Stavigille, nada, mesma coisa que tomar água e o Venvanse parecia ser minha salvação, quase 3 meses de “lua de mel” até que comecei a ter fadiga física e exaustão, uma espécie de neblina no cérebro, precisei parar tem 13 dias e não estou tolerando minha inquietação, me sinto muito melhor fisicamente sem o Venvanse, mas por dentro, a sensação de inquietude está insuportável. ALguém já teve fadiga ou “crebro de nevoeiro” com o Venvanse? No meu lugar, o que vocês fariam? Meu médico quer entrar com um antipderessivo chamado “Parnate”, mas tenho medo dessa medicação. Obrigado pela atenção de vocês.

    • Diego, fale mais sobre esse efeito de cérebro de nevoeiro? O que você sentia de fato? Eu passei por uma situação parecida, mas foi associada a stress, esgotamento por conta da alta carga de trabalho. Eu tinha uns brancos e esquecimentos bem absurdos. Saber que isso pode estar associado ao meu uso do Venvanse, pode mudar o rumo do meu tratamento contra o stress.

      • Boa tarde João, epsero que você esteja bem. Meu problema sempre foi a hiperatividade/impulsividade intensas, já a dispersão bem menor e mais fácil de administrar, estou dizendo isso para que você entenda como foi a sorrateira ação do Venvanse. Nos meses iniciais foi uma benção: Calmo, eu não acreditava que pela primeira vez na vida tinha controle sobre o meu motor interno ( na época de Ritalina ela aumentou absurdamente minha concentração mas não segurava o horror desse motor que carrego desde a hora em que acordo e nem racionalizar tanto antes de agir por impulso como o Venvanse fez) mas na entrada do terceiro mês com ele ( não abusei e nem me excedi em minhas leituras – que é o que mais gosto de fazer- e nem levava uma vida estressada, quando comecei a me sentir muito cansado física e mentalmente. O físico, como trabalho sentado, fui aguentando, mas a capacidade cognitiva começou a descer ladeira abaixo. Meu amigo, NUNCA na minha vida passei por essa situação: Começava a ler e não aguentava 2! páginas, sentia minha mente como se fosse um motor de carro arriado e que eu ficava forçando a tentar pegar no tranco. Parava de tentar ler, fechava meus olhos e ficava descansando a mente; duas semanas depois que isso começou, veio a névoa: Era como se fosse uma fumaça que começava bem lentamente e ia tomando conta da minha mente, uma neblina assustadora e junto com ela começaram os lapsos de memória: Me esquecia da mais simples atividade que tinha executado: fazia, mas logo em seguida me esquecia ( se conversava com alguém in box no facebook hoje, amanhã tinha que rolar a página para lembrar o que haviamos conversado para não repetir o assunto) quando ia explicar algum conteúdo para alguém tinha dificuldade em conseguir montar o contexto, meu discurso começou a ficar quebrado, fragmentado, brancos horríveis. Junto a isso, o que começou como cansaço físico progrediu para exaustão e corpo dolorido ( principalmente nos pés, panturilha e nos punhos) cansava segurar o notebook, acordava me sentindo com um corpo de um senhor de 80 anos sendo que tenho 30, um dia fui levantar da cama e caí de dor e exaustão; O médico, depois de eu fazer quase 80 exames entre vários especialistas, como não encontrava nada me diagnosticou com Síndrome de Fadiga crônica e Fibromialgia – cabe ressaltar que os sintomas que desenvolvi por obra e graça do Venvanse são idênticos aos dessas duas patologias – me senti um lixo João, chorava, entrava em desespero, o que era aquela mente “fog”, aquele espaço negro e vazio que havia tornado minha cabeça, era um quarto escuro, vazio e con neblina, além de ficar o dia todo na cama assitindo T.V e sentindo “inveja” das pessoas andando noramalmente ( olha o grua da decadência). Até que por conta, não tinha nada a perder, arrisqui parar com o Venvanse: 4 dias depois TUDO havia voltado ao normal, tinha meu corpo e mente de volta, por isso eu digo: Antes de cair em conversa de que é estresse ou problemas em comportamento, avalie se não é a medicação. Caso você quiser que eu explique melhor, ou se alguém que ler essa mensagem e tiver passando por algo semelhante, pode me adicionar no skype: Diego Bueno, que converso com o maior prazer com você (s). Abraço a todos.

        • Caramba, Diego!
          Que situação tensa! Fiquei agoniado só de ler.
          No meu caso, eu suspendi o medicamento por duas semanas. Mas essa experiência potencializou a minha desatenção. Fiquei mais calmo e menos cansado, mas passei essas duas semanas sem preocupar com nada, meio grog, sem energia e força. Como dizem por ai, “esperando que o mundo acabasse em barranco para eu morrer encostado.” Voltei a usar prq não aguentava mais ficar “vegetando” no trabalho.
          Mas o meu stress só diminuiu depois que eu pedi demissão, mudei de trabalho e de cidade. Mas essa é uma história longa demais. Quem sabe um dia eu crie coragem para contar em um post.
          Obrigado por compartilhar a sua experiência conosco. ;)

          • Bom dia João. Agora, passadas trê semanas do fundo do poço, posso te dizer que tive 3 semanas com minha personalidade, vivacidade e disposição de volta, MAS, junto à elas soma-se a sensação de inquietação constante que me leva aos comportamentos impulsivos/agressisos (não que eu seja agressivo, mas como você não vai suportando não conseguir parar quieto, usufruir de maneira tranquila NADA, tudo segue em ritmo acelerado, você acaba explodindo e sendo grosseiro, detesto quando isso acontece) fora a compulsão por comida ( ainda bem que não para outras coisas). E por pior ou melhor que o Venvanse seja, é a única medicação realmente eficaz para colocar o mundo em sua velocidade normal, é uma benção conseguir executar suas atividades diárias de maneira tranquila. Comecei ele hoje novamente ( mesmo sabendo que essa exuberância e vivacidade ficarão mais apagadas), mas mesmo assim, prefiro uma personalidade mais opaca, apagada, do que aguentar meu motor interno a 180/200 por hora, rs. Vamos ver o que acontece, não tem outra opção; o que tinha disponível de medicações e terapias ( sejam as clássicas ou as alternativas) já tentei, ele é o único que para o meu bem ou mal funciona, então, vamos que vamos. Nunca pensei que amaria/odiaria tanto uma medicação, depois volto para contar como foi a minha reconciliação com ele. Abraço.

        • Olá Diego ! Tive problema semelhante ! Inicialmente estava , calmo , centrado, atento e com incrível auto confiança. Após algum tempo passei a ter lapsos de memória tão intensos que achei que estava com demência ! Suspendi a medicação porém embora tenha apresentado melhora da memória ainda não me sinto como antes. Foi bom saber que mais pessoas passaram por isso também ! Cada organismo eh único e responde do seu modo a medicação eu acho !

          • Boa noite Ricardo, espero que esteja bem. Encontrei CENTENAS de relatos de pessoas que tiveram sérios problemas de memória com o Venvanse. Basta vc digitar no Google : Vyvanse + Memory Problems. Abraço.

  • Encontrei seu blog no google pesquisando os remédios q meu filho está tomando. Ele foi diagnosticado aos 5 anos com tdha. Começou a tomar o concerta com 7 anos, ajustou para o concerta de 36mg. Meu filho começou a ficar muito parado, não queria brincar, fiquei muito nervosa com isso, o apetite sumiu. Com o tempo ele foi se adaptando , mas continuou sem apetite. Esta semana a psiquiatra dele me receitou o venvanse de30. Ele tomou o primeiro hoje, passou praticamente a manhã toda enjoado, falando bem baixo, se sentindo cansado, fiquei muito preocupada. No período da tarde ele ficou bem, não se queixou mais. Esse efeito colateral é normal? Meu filho é tão novo, vai fazer 8 anos e ter que passar por tudo isso. Sou pedagoga, comecei a ler e pesquisar sobre o dda e o tdha mais afundo, depois que vi ser de origem genética me enxerguei em todos sintomas do dda, e vejo como é difícil a compreensão das pessoas em relação a este tema. Somos julgados como preguiçosos, esquecidos, desorganizados, chegaram a me falar que meu filho era mimado e sem limites. Acho que quase não há divulgação, as reportagens que passam na tv são bem vagas e as escolas muitas não estão preparadas para lidar com alunos com o dda ou tdha. Amei seu blog, nos faz encontrar uma luz no fim do túnel e enxergarmos que não estamos sozinhos nesta. Um grande abraço a todos.

    • Nadia, me vejo na mesma situação que você. Tenho filhos gêmeos e os dois foram diagnosticados com TDAH e do mesmo jeito que você, me vi neles. Iniciamos um tratamento com a abordagem Cognitivo Comportamental. Só fazem quatro dias que iniciamos o tratamento com uma técnica chamada de economia de fichas e tem sido bem interessante em casa, ainda vamos “expandir” para outros espaços. Não é excluída a intervenção medicamentosa, mas estamos iniciando este tratamento antes de qualquer coisa. Eles tem 10 anos e minha grande preocupação é exatamente em relação aos efeitos colaterais. Note que as pessoas que postam aqui podem dialogar com seus médicos e discutir dosagem, medicamento, avaliar o grau de desconforto … não sei até que ponto as crianças conseguem avaliar e expressar seu grau de desconforto, a letargia que nos preocupa é infelizmente o que agrada a outros, afinal o menino está “quieto”. Do mesmo jeito que você, fico revoltado com a falta de esclarecimento, principalmente na escola (local das piores queixas e espaço de relações bastante conflituosas para quem tem TDAH). Mas, espaços como este blog são importantes para ao menos conversarmos entre nós, compartilhar e encontrar melhores alternativas (Parabéns ao João e obrigado!!!). Negociei junto a escola e o terapeuta que acompanha os meninos para realizar um curso de extensão, para esclarecimento e treinamento junto aos professores. Ainda bem que eles são abertos a intervenção. Sabemos o potencial dos nossos filhos e não podemos permitir que apaguem por falta de esclarecimento. Desejo a você que encontre o melhor caminho.

    • Nádia, que bom que o seu filho começou cedo o tratamento e tem a você como aliada nessa luta.
      Esses efeitos colaterais eu nunca tive. Mas ainda está cedo, né? Continue acompanhando de perto. Sugiro que você faça um diário com informações sobre o dia-a-dia e o comportamento dele para que você apresente a médica.
      Obrigado pela visita e fique a vontade aqui no blog ;) A casa é nossa!

  • Hoje foi meu primeiro dia com vevanse 70 e parecia q eu tinha consumido cocaina, sudorese nas axilas e testa sem parar, perda de apetite total e confusão mental. Sou hiperativo e tive um dia de tortura pois me senti outra pessoa. Não sei mais oq fazer.

    • Rafael, interrompa a medicação e procure o seu medico. Com certeza essa não é a dosagem ideal para você.

  • Há pouco mais de um ano e meio faço uso do Venvanse 30mg, seus relatos foram exatamente iguais as minhas reações diárias, porém administro os efeitos e reações sempre de maneira positiva por estar em tratamento de TDA e depressão. Sou mulher e alem das medicações possuo hormônios, que principalmente no período da TPM promovem maior irritabilidade, a questão do Venvanse reagir e ser eficiente e extremamente tornamos objetivos também nos causa maior irritabilidade, acredito ser esse o maior efeito colateral.

    • A coisa que mais me deixa irritado é a minha “visão além do alcance” que é potencializada com o remédio. Vejo detalhes em situações que outros não vêem. E quando questiono, ninguém entende onde quero chegar. Viro o cara das perguntas difíceis. E isso me irrita. Muito!

  • Olá Pessoal! Primeiramente obrigado pelo excelente post. Tenho 26 anos e fui diagnosticado com TDHA muito tarde, já na fase adulta. Hoje peguei minha receita do Venvanse. Vou começar a tomar em breve e deixarei meu relato.
    Tenho apenas um receio: da depressão que pode vir depois que o efeito passa ou após parar de usar o medicamento. Faço muito esporte e estou sempre com meu nivel de endorfina e auto-estima la em cima, alguem sabe se levo alguma “vantagem” quanto a isso?

    Obs: Tomava Frontal por conta própria e parei, fiquei muito mal por uns dias, mas sabia que iria passar e passou. Nunca mais comprei.

    Muito Obrigado

    • Oi Bruno!
      Esteja certo que as atividades físicas contam MUUUUITO a seu favor, durante todo o tratamento. Continue assim ;)

  • Tenho uma filha de 13 anos que toma o Venvanse a algum tempinho e tenho algumas caixinhas fechadas que poderei vender por um preço bem menor, se alguem se interessar em adquirir que tenha indicação médica para isso, me mande um email.

    Ric_231@outlook.com

  • Tenho um filho com TDA, esta com 13 anos , uma idade que ja e dificil. Ele tomava Ritalina, mas sua medica trocou pelo Venvanse. Dei uns dias para ele, mas ele agora não quer mais tomar de jeito nenhum. Não sente fome, suas mãos ficam frias, geladas, e disse se sentir estranho, não soube descrever.

    O remedio realmente fez ele melhorar muito, ficou mais calmo, concentrado, fazia tudo na hora certa, organizado. Coisa que não vi com a Ritalina.
    Alguem sabe me dizer se esses efeitos melhoram com o Tempo?
    Estou sem saber o que fazer.

  • Olá! Tenho 16 anos, tenho TDAH e estou usando o Venvanse (50mg) 5 dias é surpreendente! Minha concentração aumentou muito. Porém tenho tido mt tacardia, minhas pupilas estão dilatadas, não tenho apetite e sinto uma pressão leve na cabeça, como se sentisse o meu cérebro trabalhando, como uma máquina. Telefonei pro medico e ele disse q era normal o coração acelerar pela adrenalina q é liberada e q em 20 dias acabaria estou aguardando para q a tarcardia pare e eu volte ao medico… É mt incomoda a sensação de ter um nó na garganta, n ter fome… E o coração acelerado. O medico tbm disse pqra evitar chocolate, café, refrigerante etc e fazer exercícios físicos com moderação

    • Bruna,
      os efeitos colaterais no início são bem tensos mesmo. Mas se depois de 30 dias vc ainda sofre com eles, melhor conversar com seu medico para rever essa dosagem.
      Se os efeitos colaterais são maiores que os benefícios, alguma coisa está errada.
      Volte aqui depois para contar pra gente como está o seu tratamento hoje.
      Obrigado pela visita. ;)

  • Olá!
    Tenho TDAH diagnosticada a pouco tempo, tomo ritalina LA 20mg 2x ao dia. Meu médico sugeriu que testássemos o venvanse 30, pois a duração é mais longa que a Ritalina (no meu caso o efeito dura em torno de 5h).
    Quanto tempo o venvanse demora pra fazer efeito em você? Pq em 30 minutos eu já sinto os efeitos da Ritalina, mas ouvi dizer que o venvanse demora cerca de duas horas. É verdade?

    • Paula,
      em mim o efeito começa depois de uma hora mais ou menos. A médica me disse que é 40 minutos, mas eu tiro como base a hora que eu tomo, por volta das 07:30 da manhã e só vejo que eu começo a rodar mesmo depois das 08:30.

      • Olá João Vicente,
        Há dois meses comecei a usar o concerta 18mg, nos primeiros dias foi ótimo, depois da segunda caixa, comecei a sentir irritabilidade, cabeça pesada e seguida de pontadas. Daí volte ao psiquiatra e ele passou o venvanse 30mg, acontece que tal medicamento na primeira semana foi bacana, na segunda semana passei a ficar mais triste, senti irritabilidade, boca seca. Não sei o que fazer pois minha consulta é no mês de novembro. Passo dois dias sem o medicamento fico bem, se volto a tomá-lo, sinto tudo de ruim na cabeça.
        Um abraço. Marlene

        • Oi Marlene!
          Minha médica, sempre que ela troca a minha dosagem, fica de sobreaviso e a minha disposição caso eu tenha algum problema. Veja com a secretária do teu médico se ele não pode te orientar pelo menos por telefone. VocÊ não trocou só a dosagem, está usando um medicamento novo. Seu médico precisa te acompanhar mais de perto. Não espere até novembro.
          Obrigado pela visita! ;)

        • Engraçado porque com a mudanca para venvanse tb senti tristeza. Minha psiquiatra disse que isso não é normal e que podem ser ainda sintomas depressivos. Tem que explicar bem isso ao medico. Eu já tomei com sertralina e deu muito certo. Mas dimunuí a dosagem, tomando a mínima.

  • Gostaria de acrescentar que eu a meses tomo o Venvanse de 30. Antes tomava Ritalina.
    Em um determinado momento tivemos a impressão (eu e a neuropsiquiatra) de que o de 30 não estava ajudando. Foi uma fase de muita pressão no trabalho, exigiam muito foco, atenção e eu me sentia muito disperso. Resolvemos passar para o de 50.
    Bom, já foi problemático encontrá-lo no Rio de Janeiro. Encontrava-o mais barato e facilmente em farmácias de São Paulo, mas no RJ custava R$350 a caixa e só uma farmácia no Leblon tinha.
    Encontrado, comprado com sufoco, veio as dores de cabeça nos primeiros dias ( efeitos relatados na bula) e uma pequena irritabilidade. Semanas depois, o corpo se adaptou, o foco ficou super ativo – rápido, respostas rápidas e certeiras. Mas a impulsividade não diminuíram, ao contrário. Era como se eu estivesse acelerado.
    Tomei dois frascos (comprando dois a farmácia dava um ótimo desconto), o terceiro nem foi comprado, a médica achou melhor voltarmos ao de 30mg. Pois, entre prós e contras, os contras estavam ganhando.
    Então, espero ter ajudado e mais uma vez acrescento, não é bom se medicar com pessoas sem experiência na área, que só estão interessados em vender.
    Medicamento certo + pessoa certa = qualidade de vida!

    • Marcelo, senti a mesma sensação ao trocar a ritalina por concerta e depois, concerta por venvanse. Temos a impressao que nao fez efeito! Mas na verdade faz sim….precisa de um período de adaptação. E como não sentimos c o concerta e venvanse aquele “bum” temos a impressao que está sem efeito. O grande problema de aumentar a dosagem é que creio (minha experiencia) que aumenta a irritabilidade. Saiba que vc nao precisa ser perfeito e conseguir resolver absolutamente tudo no trabalho. O remédio deve apenas nos deixar como as pessoas “normais”….que nem sempre conseguem fazer tudo o que foi programado. O perigo do remédio é vc ir mto além da sua capacidade física e se esgotar. Acho que deveria tentar por mais um tempo.

    • Marcelo, desculpe! Agora que vi que retornou a mg mais baixa….acho que fez o correto e melhor. Sair da ritalina nos dá resistência aos outros medicamentos mesmo….eles agem de forma diferente e podem parecer nao ter efeito nos primeiros dias…sucesso pra vc!

  • Cara, você já misturou esse venvanse com bebida?! É só a dúvida que eu tenho. Meu neurologista me indicou ele hoje, ainda não comecei a tomar. Ele fica tocando o terror falando que misturar álcool e o remédio é algo perigosíssimo e não sei que mais, e disse também que ele não deve ser tomado ‘picado’, como cortar seu uso nos finais de semana, usando esse exemplo que você deu no texto. Você tendo usado o remédio, realmente acha isso? Que não se deve interromper o uso? E acha também que ele não deve ser misturado com bebida de forma alguma? Sua médica lhe disse alguma coisa sobre isso?
    Abraço

    • João Pedro,
      seu neurologista tem razão. É desaconselhável a mistura com álcool. Minha medica foi categórica em dizer para que eu não ingerisse bebida alcoólica sob efeito do medicamento. Mas eu já a desobedeci. E nunca tive problema algum. Mas cada organismo reage de uma forma diferente, né? Cuidado!

      No caso da interrupção do uso, a única coisa que ouvi da minha médica em relação a isso é a de que não é só no trabalho que a gente precisa estar atento. Sua atenção é exigida para dirigir, curtir uma balada, fazer compras, pagar contas, socializar com as pessoas..
      E eu sinto uma preguiça enoooorme quando interrompo o uso em um final de semana, por exemplo, por isso evito deixar de tomar.
      Mas essa dependência me preocupa.. e muito!

  • Olá, muito bom o texto. Ontem a noite pela primeira vez tomei o Venvanse 10mg, porém não senti nada que você relatou aqui. Será que não senti nada pelo fato de ter tomado a noite, ou porque agora que estou iniciando o tratamento,ou até mesmo pelo fato de minha dosagem ser menor?

    Aguardo respostas!

    • Pedro, de 10mg?
      Não conheço essa dosagem. Só de 30, 50 e 70.
      Se não fez efeito, é prq essa não é a dosagem recomendada a você. Procure seu medico.
      E na dosagem certa, tomar a noite só vai te fazer passar a madrugada em claro.

      • Perdão!, estava lendo sobre ritalina e escrevi errado. Venvanse de 30mg. E porque será que na embalagem está escrito uso pediátrico?,Será que interfere em algo!?

        • A informação de “uso pediátrico” é só por uma questão burocrática entre a Shire e a Anvisa. Acredito que deve ser mais fácil pra Shire obter a licença de comercialização no Brasil com essa denominação.

          • Entendo. Como não obtive nenhuma sensação diferente com a utilização do medicamento, será que se eu tomasse 2 comprimidos de 30 mg, equivalerá há um não existente de 60mg, e o efeito vai ser certeiro?

          • Pedro, melhor você conversar com seu médico. ;)

  • Olá! Como o assunto é o Venvanse vou direto ao ponto. COmecei a tomá-lo há apenas uma semana. Senti sono, cansaço, em resumido, como se não tivesse feito nenhuma reação. Anteriormente tomei COncerta e ritalina. A ritalina me deu muitos efeitos colaterais, como insonia, irritação e, justamente como vc mencionou, eu percebia e via além. TInha um puta energia e trabalhava demais. A questao é que nao consegui desligar e a longo prazo me deu bastante irritação. Troquei para o concerta 18 g e no início não percebi diferença, permanecia äérea”. Mas depois de dois semanas, me adaptei super bem e me tornei mais normal. (não um gênio, como me sentia com a ritalina…rsrsrs). Agora troquei para o Venvanse 30 mg e não estou obtendo resposta..sem efeito….muita sonolencia, dispersa e o pior, senti “tristeza”. Daí hoje, resolvi tomar 2 doses…achei ótimo! mas percebo que não irei dormir. Creio que o ideal será aumentar a dosagem para 50mg. Estou confiante que ele diminuirá a irritabilidade que passei a ter com o cconcerta.
    Como tb já tratei depressao e interrompi o medicamento, tenho receio que essa “tristeza”que senti com a dosagem mais baixa no venvanse fosse um sintome da depressao (ja que nao segui o tratamento) e penso que, esses medicamentos acabam por inibir sintomas de depressao. Que na verdade devem ser tratados (inicio ao fim) para que não voltem.
    Estou apenas com o venvanse no momento, mas está dificil pq estou sentindo as mesmas sensacoes de quando tive depressao.
    A questao da irritabilidade diminui bastante! EU fica mto irritável com a ritalina e um pouco menos com o concerta.
    Cheguei a pensar em voltar para o concerta, mas creio que tentarei aumentar a dose do venvanse.
    Se sentir além da média também não bom e ver além…..isso te deixa mais intolerante e menos pacientes com as pessoas.

  • Vou relatar minha história com o venvanse.
    Sempre tive problemas com prazos e mesmo de não fazer o que não gostava ou não achava que era preciso. Claro que aos olhos de outras pessoas provavelmente fosse necessário fazer, rss.
    Cheguei a me consultar com um psiquiatra que disse que eu não era DDA por estar cursando meu segundo curso superior. Conclui o primeiro no prazo e sem problemas, aliás nunca tive problemas com reprovações.
    Bom, mas no atual emprego eu sentia que estava rendendo muito abaixo do que poderia e minha dedicação estava como sempre, também muito abaixo do requerido.
    Procurei outro psiquiatra e comecei com venvanse 30mg, mas nos 1ºs 10 dias tomando meia dose, abria a cápsula, dividia no olhômetro e guardava uma metade pro dia seguinte, conforme me recomendou o psiquiatra. Nunca tomei outro medicamento para DDA, depressão, nem outro problema correlato.
    Os dias que senti mais efeito foram exatamente estes 1ªs dias com meia dose. Depois a dose foi sendo aumentada de modo que já estou no 2º ou 3º frasco do 70mg. Efeitos colaterais também só ocorreram nos 1ºs dias. Se não tomo nos finais de semana, só fico deitado. Por isso procuro tomar todos os dias, mas às vezes me esqueço. Ai, acabo tocando o trabalho como dá, mas com baixo rendimento. Como ainda estou no quinto mês do tratamento, acho que ainda estou me adaptando ao medicamento. Infelizmente não comecei nenhum, acompanhamento psicologico em paralelo ao remédio.

  • Boa tarde João,

    Namoro há um ano e maio mais ou menos, e meu namorado teve TDAH diagnosticada na semana passada. Ele sempre teve dificuldade em se manter concentrado, é inquieto, tem muita insônia, e é extremamente desorganizado e confuso. Inclusive, já terminamos algumas vezes pq ele não sabe distinguir seus sentimentos.
    Embora eu ache que o diagnóstico e o tratamento melhorarão a vida dele, e a minha consequentemente, tenho medo dos efeitos colaterais.
    Além disso, ele se recusa a falar do assunto, e não quer que eu comente com ninguém. Estou perdida. Queria muito ajudá-lo, mas não sei como. No seu caso, o que mais ajudou?

    Muito obrigada, e parabéns pelo blog!

    • Fernanda,
      é muito cedo ainda pra ele querer falar sobre o assunto. No início qdo a gente descobre, entra em choque, fica mal, se sente o ultimo dos últimos, não quer que ninguém saiba. Tem até vergonha de chegar na farmácia e comprar o remédio. Mas depois, com o tempo, a gente vai ficando mais sociável e aberto a falar sobre o assunto, contar para as pessoas mais próximas a nossa condição e, principalmente, a aceitar feedback quanto a nossa evolução.
      O próprio remédio já deixa a gente mais sociável, falante, sentimental…
      Enfim, fique tranquila que vai chegar a hora certa onde você ficará confortável em ajudá-lo. E pode ter certeza, ele vai precisar MUITO de você.
      Só dê tempo pra ele assimilar a situação. ;)
      Obrigado pela visita!

      • Muitissimo obrigada João!
        Enquanto isso, vou acompanhando o blog pra estar pronta pra ajudar quando ele precisar. Muito obrigada mesmo!

  • Nossa, interessantíssimo isso que você disse… Me sinto exatamente assim! Eu estava no concerta 54 e passei pro venvanse30

  • João, meu xará

    Obrigado pelo blog, antes de mais nada. Não imagina como é reconfortante ler uma outra pessoa escrevendo sobre problemas que passamos anos e anos pensando que eram só nossos. Tenho 55 anos, TDAH bravo Comecei um tratamento com o Concerta há quatro meses, e minha vida mudou completamente. No começo deste mês, faltou Concerta no mercado (um crime isso que o laboratório faz conosco!) e meu médico receitou o Venvanse. Senti todos os efeitos colaterais que você descreveu, mais um que tem sido extremamente incômodo: perda da libido e dificuldade para ter ereção. Quero voltar para o Concerta por conta disso. O de 54mg faz o mesmo efeito do Venvanse, eu acho, embora seja mais “silencioso”. Você não sente que ele está agindo, mas o resultado aparece no final do dia: mesa vazia, compromissos honrados, tudo sob controle. Estou, no entanto, enfrentando um problema chato, e queria sua opinião. É a primeira vez que uso um medicamento de uso contínuo. É caro, você sabe. É normal o médico cobrar uma consulta TODOS OS MESES para lhe passar a receita para o mês seguinte? Acho isso um abuso. Envolve o preenchimento de um papel, mais nada. É normal isso? Grande abraço.

    • Oi João!
      O mais importante nas idas frequentes ao médico para pegar a receita, é o acompanhamento que ele faz para saber como está a evolução do tratamento. A minha médica me dá receita para dois meses. E a cada dois meses tenho que retornar para avaliação e pegar novas receitas. Eu considero as minhas visitas bimensais essenciais. É durante elas que tiro minhas dúvidas, reporto os ultimos acontecimentos, entrego exames periódicos ou, quando é o caso, ajustada minha medicação ou dosagem.
      Quanto a perda de libido, pelo menos em mim, esse nunca foi um efeito colateral. Mas considerando a qtde de pessoas que já me fizeram essa pergunta, começo a crer que este é um efeito colateral mais comum do que a gente possa imaginar.

  • Olá pessoal!

    Eu havia postado anteriormente falando sobre minha mudança do concerta para o venvanse. Eu estou numa dúvida cruel se paro com os remédios ou não. Faz cerca de 2 anos que tomo medicamentos para TDA. Quando iniciei o tratamento senti como se “minha vida tivesse mudado completamente”. Ao contrário do que comentam, o remédio regulou meu sono (após 1 semana), pq eu gastava bastante energia durante o dia, cumpria meu cronograma e conseguiu dormir “tranquila”. Eu diria uma sensação de “dever cumprido”. BOm, quando iniciei o tratamento eu tinha 27 anos. Sempre fiz terapia, até porque minha mãe sempre estimulou e era algo rotineiro na nossa família. Durante esses 2 anos (tomando medicamento) tive uns 2 episódios mais sérios e longos de “tristeza”…ou depressão….sem que houvesse nenhum motivo justificável.
    Eu andei pensando bastante e penso que a depressão seja um efeito colateral do remédio e tem cerca de 3 meses que não melhoro. Antes ficava muito irritada, angustiada, agressiva……agora (depois que troquei do concerta para venvanse) sinto desanimo, tristeza, mal quero levantar e trabalhar….ou seja, em ambos eu estava e estou tento os sintomas depressivos. Antes de ser diagnosticada com TDA eu ficava chateada pela desatenção, começar as coisas e perder o interesse, etc….mas nunca cheguei a ter uma depressão profunda. Por isso, penso que a depressão seja efeito colateral de muitos anos de medicamentos para TDA.
    Minha psiquiatra acha que tenho que adicionar outro medicamento, para depressão.
    EU parei pra pensar e tenho achado que não vale a pena viver com um remédio controlado, o qual me tornei totalmente dependente (o dia que não tomo, nåo trabalho). Qd lembro como eu era antes…..bom, era mais difícil, mas eu tinha estratégias para administrar minhas “falhas” advindas do distúrbio (que na época, eu não sabia que tinha).
    Eu estou tão dependente desse remédio (que me acorda, me faz produzir, cumprir prazos), que resisti por muito tempo acreditar que ele pode dar depressão. Eu estou piorando a cada dia, o que é estranho, pq o remédio é estimulante. Não tenho dúvidas de que estou com depressão e que está piorando.
    Mas como já lutei anos lidando com os “desafios”do TDA sem o remédio e sobrevivi, penso que, no meu caso, eu deveria parar com o medicamento. Não consigo imaginar que seja outra coisa, a não ser o remédio, que tem me deixado assim. Caso seja isso mesmo, prefiro viver desatenta, esquecida, trocando o dia com a noite (e me aceitar como sou) do que ficar agressiva ou depressiva.
    O que vcs acham?
    Desculpem! Desabafo! Não quero tomar um remédio para curar uma coisa, e depois outro para curar o efeito colateral e assim por diante.
    Sei que existem casos mais graves e profundos de TDA, como muitos relatos acima. Não sintam que estou menosprezando. Existem vários níveis e cada pessoa tem uma reação ao remédio. No meu caso, tenho tido um efeito colateral que acho grave….depressão e uns surtos de “pânico”….
    Obs.: estou pedindo a opinião de vcs, pq, no momento,estou na Asia a trabalho e sem acesso a minha médica e terapeuta, etc….aff….
    Desejo um bom dia a todos!

    • Oi Ludy!
      Faz tanto tempo que você deixou esse comentário.. espero que você tenha encontrado a tranquilidade que buscava.
      Seu comentário me fez refletir bastante.
      Seu dilema tem sido o meu atualmente.
      Ando pensando seriamente em abandonar a medicação. Já tentei por duas vezes, mas os efeitos da abstinência fez com que eu voltasse. Fiquei duas semanas sem tomar, e praticamente não trabalhei.. só vegetei.
      Minha médica já chegou a me passar um cronograma de retirada do remédio, onde eu iria diminuindo a dosagem até não tomar mais. Mas mesmo assim eu não consegui. Ela diz que com o tempo, meu organismo vai acostumando e os efeitos da abstinência somem, mas eu não consigo esperar tanto tempo.. em duas semanas isso não aconteceu. Não posso me tornar um peso de papel, improdutivo, sem disposição pra nada por muito tempo.
      Enfim, enquanto isso, sigo usando o Venvanse na dosagem mínima.
      Um dia crio coragem e bolo um tratamento alternativo pra mim, baseado na experiência compartilhada por muitos de vocês. Um dia..

  • Meu Deus, você descreveu exatamente minha experiência com o Venvanse. Adorei o blog, continue escrevendo!!

  • ola galera nao sei nem explicar o que eu sinto e uma bagunça minha cabeça ,minha mente não para as vezes acho q vou ficar doido,
    ja tomei a ritalina e nao deu nada agora meu neuro passou o venvanse 30mg e o depakote 500mg mas fico meio grilado de fica dependente dessas drogas,ainda nao comecei a tomar estou criando coragem ,alguem me da uma luz ai

  • Olá, sou médica ginecologista casada com médico que há tempos reicomendou-me que eu lesse o seu blog. Nós temos um filho de 13 anos com TDAH que eu relutei em aceitar a condição e somente há 4 meses ele está sob tratamento com concerta 54 com melhora significativa e sem efeitos colaterais até o momento. Usa-o diariamente. Relutei em procurar um neuropediatra, não acreditava no diagnostico, confesso, mas o pai se identificou com uma palestra desta médica- ele mesmo alguém que sempre esquecia as coisas – e convenceu-me que nosso filho nao era um preguiçoso mas que precisava de ajuda. Agradeço a ele e àmédica por me fazerem enxergar quão deficientes estamos das outras especialidades neste assunto. Tem que procurar o médico certo e os ajustes de dose é assim mesmo, minha gente. Jõao Vicente, fiquei muito emocionada com seus posts e os depoimentos de todos . Que Deus ilumine a todos nesse caminho. Valéria Jacintho.

  • Meua amigos, só posso dizer uma coisa sobre o Venvanse: É um conto de fadas no início que se torna um pesadelo tão cheio dos mais diferentes tipos de efeitos colaterais ( talvez por ser uma droga mais nova e pouca estudada). Se você é adulto, é opta por arcar com os horrendos efeitos colateria dele, ótimo, mas nunca dê esse remédio para uma criança, ela não tem direito de escolha, sendo assim, opte pelo mais seguro: A boa e velha Ritalina.

  • Uso venvanse 70mg a quase 1 ano ate hoje sinto os efeitos colaterais dele alguns deles voce descreveu no post gostei da reflexão sobre nossas mentes finalmente achei um lugar onde as pessoas compreendem a minha situação pretendo sempre que possível visitar o blog.

    Obrigado

  • Tenho uma filha de 13 anos que toma o Venvanse a algum tempinho e tenho algumas caixinhas fechadas que poderei vender por um preço bem menor em virtude de não querer tomar mais o medicamento, se alguem se interessar em adquirir que tenha indicação médica para isso, me mande um email.

    Ric_231@outlook.com

  • Oi amigos que convivem com o DDA, boa noite.

    Afastem-se de anúncios de vendas pela internet de medicamentos controlados para o bem da saúde de todos, por favor!

    O nome fictício “Ricardo” representa uma ameaça a saúde das pessoas desse blog e sociedade por praticar venda medicamentos falsos. Não caiam dessa ilusão tentadora e convidativa. O e-mail desse cidadão é Ric_231@outlook.com e, através deste e-mail ele veem cometido um crime gravíssimo e já está sendo investigado.

    Meus prejuízos não foram apenas financeiros, minha saúde está definhando, por causa da minha irresponsabilidade de comprar um medicamento controlado com alguém aparentemente “honesto”. Mentira! Não caiam nessa farsa, a saúde não tem preço. Continuem visitando seus psiquiatras e aguardem suas orientações e prescrições.

    Hoje tenho sequelas que me impossibilitam de andar e escrever com a mão direita. Um tipo de Discinesia tardia seguido de um acidente vascular cerebral isquêmico que me deixaram desfigurados no andar e no escrever.

    A maioria dos medicamentos vendidos por pessoas como o “Ricardo” são falsos. Princípio ativos adulterados por químicos clandestinos do Paraguai e Bolívia. A maioria da Ritalina, Venvanse, Modafinil, Femproporex e Amfepramona são meth misturados com cocaína, com efedrina, pseudoefedrina e paracetamol e outros analgésicos bem conhecidos por aqui. Todos manipulados por charlatões que não sabem nem a quantidade exata de princípio ativo. Alguns até misturam ecstasy com cafeina e efedrina em pó.

    Não comprem isso, não destruam seus corpos com essa mentira! As autoridades federais já estão desmantelando essas pessoas que comercializam “drogas que causam dependência física e mental. Se vc ainda tiver uma caixa comprada pela internet, por favor, joguea-a fora enquanto há tempo.

    Bjo no coraçõa de todos os debilitados suscetíveis ao comercio perigoso clandestino da venda de medicamentos controlados pela internet. A notícia boa é que os federais já estão quase desmantelando esses caras, que ora agem individualmente ora agem em conjuntamente.

    Não tenha vergonha de dizer que também já comprou medicamentos “falsos” pela internet, principalmente se a sua saúde foi abalada.

    Bj em todos,

    Mandem-me notícias.

    Flávio.

  • Boa tarde a todos, apenas complementando o que disse anteriormente sobre as duas caixinhas que eu tinha para venda, foi no intuito de ajudar alguem que tinha necessidade do medicamento aliado ao meu interesse na venda das mesmas já que provalvelmente minha filha não vai tomar mais.
    Quero salientar também que se tiver alguem que entrou em contato para perguntar sobre isso, fique claro que não tem nada de falso, pelo menos as que eu estava vendendo, pois é o que minha filha tomou durante um ano e meio aproximadamente, além do que eu sempre questionei se realmente a pessoa tinha orientação medica para isso, pois eu tinha a preocupação de vender para alguem que tinha necessidade e orientação medica.
    Concordo sim que é perigoso compras pela internet, pois tem muita gente querendo levar vantagem em vender coisas erradas, mas tenham certeza que não era o meu caso, só queria ajudar mesmo.
    De qualquer forma não vou vender mais as duas caixinhas para não ter mais comentarios do tipo que vi acima, pois fiquei muito triste em ler aqueles comentarios sobre o anuncio que eu havia feito.
    Sendo assim, espero aqui ter finalizado e explicado esse mal entendido com
    o senhor Flavio Morbeck, que pelo visto deve ter sido vitima de alguem e hoje em dia ele acha que todo mundo é igual.
    Um grande abraço a todos e fiquem com Deus.

  • Oi estou usando o vivance a quase um mês, na bula diz que é incomun depressão, portanto, não sei o que estaa havendo comig, todos os dias por volta das 10 da manhã esta baixando uma deprê que não sei de onde esta saindo, se é o vivance, o falta de mais Pondera, tô tentando deixar Rivotril, mas finalmente está uma bagunça… tô com um pouco de aminesia de vez em quando , sei lá… voltarei ao Psiquiatra…

    • Oi Ellen!
      Eu também tenho essa sensação de que minha memória não é a mesma de antes. Ando esquecendo coisas banais. E o intrigante é que a sensação é como a de uma amnésia mesmo, de que aquilo nunca aconteceu. Mas que você sabe que aconteceu prq existe um buraco, que tem o começo, o fim mas não tem o meio. E você sabe que pra ter existido o fim, tem que ter tido o meio.
      Enfim..

  • Boa noite.
    Estou tomando o Venvanse 50 mg e, para mim, os unicos problemas encontrados sao financeiros: o valor da consulta e o valor do remedio. Fors isso Estou amando minha vida com Venvanse.

  • cheguei aos 31 anos sem medicação. Estou na metade da segunda faculdade, trabalho e tenho um pai pior que eu em casa. vou começar o venvanse 30 em 20 dias, quando acabam as minhas ferias da faculdade! e talvez da vida! fico triste ao ler os relatos das dificuldades que passo todos os dias!!! meta numero um: arrumar a casa!!!

  • Espero que meu comentário ajude alguem aqui. Tomo o Venvanse 70. O meu caso é de uma pessoa que tem DDA como sintoma de depressão refratária, no meu cérebro o hipocampo foi bem lesado devido a muitos anos de depressão sem tratamento ou com tratamento errado, daí esse sintoma. Ao contrário do autor do post minha mente já vinha superacelerada há muitos anos a ponto de eu não conseguir concluir um raciocínio simples, ou mesmo ler uma legnda de filme sem minha mente mudar de pensamento no meio é estarrecedor. Tomei o Venvanse 30 , depois o 50 e por fim o 70. O que acontece é que minha mente continua acelerada, mas consigo no meio dessa confusão construir pensamentos e ações consequentes destes. Quanto ao resto tenho os mesmos problemas do autor. Custo muito a dormir, acrescentando um pouco, eu ja tinha muitos problemas para dormir devido a mente acelerada demais e já vinha tomando Donaren para poder descansar, agora entretanto parece que eu estou na hora de dormir, algo me faz esquecer o remédio e vou procrastinando o máximo para não tomar até umas quatro da manhã quando venço uma luta interna para tomar e durmo. De manhã para trabalhar… Aff. As indignações quanto a cegueira das pessoas em ver o óbvio, a tristeza pela incompetencia de outros me atingiram em cheio também e a chuva de idéias já acontecia fragmentadamente, mas agora elas caem inteira (isto é, idéias completas). E vou vivendo assim, bom é isso, abraço a todos.

    • Oi Livio!
      Minha meta tem sido aproveitar esses momentos de “chuva de ideias” e tentar canalizar em algo que possa a ser util. Quem passa por isso, sabe que com a mesma velocidade que as ideias surgem, elas se vão.. junto com a euforia e empolgaçao.

      No meu caso, depois dos ajustes de dosagem, elas tem acontecido menos, mas quando acontecem, tenho procurado anotar e guardar tudo. Pra isso tenho levado um moleskine (um caderninho de anotações metido a besta) comigo o tempo todo. Qdo não estou com ele, anoto no celular.

      Um dia, quem sabe, eu consiga consultar essas anotações e colocar alguma coisa em prática.

      E quando bate alguma crise de depressão, uso também esse moleskine como um diário, para contar pra mim mesmo o que estou passando naquele momento. Me ajuda muito.. e antes das minhas consultas ao médico e as sessões de terapia, procuro consultar esses desabafos textuais. Me ajuda a estruturar a conversa que terei com eles.

  • Ola, achei o blog sem querer e esta de parabens. Bem, como muitos aqui fui diagnosticado ha cerca de 3 meses e vinha tentando o uso do concerta, comecei com a menor e subi ate o maximo, e estranhamente nao me ajudou em nada, exceto o fato de nao dormir, o que só agravou.
    Agora minha medica pediu para eu alterar para o venvanse, mas em razao do preço e pela falta de progresso com o concerta fico em dúvida e me questiono se não é mais uma questão psicologica mesmo.
    Tenho 39 anos e sempre tive uma dificuldade enorme com relação a memoria curta, mas sempre fui de notas boas, no entanto, diferente de outros, para eu me preparar para uma prova eu tinha que ler varias vezes ate q pudesse memorizar 50% da materia. Tanto q optei por fazer Dirieito, porque assim eu podia ler, entender e responder as questoes das provas usando o que eu entndi porque nunca fui capaz de decorar um conceito completo. Ainda, fiz duas Pós Graduação mas ambas não finalizei porque procrastinei ao maximo para fazer a conclusao do curso. E hoje busco um novo emprego mas a falta da fluencia no ingles me impede, e porque? Porque ha 6 anos estudo o idioma e não consigo avançar de estágio.
    Enfim, agradeço de ter encontrado este espaço e descobrir que não sou o único. Amanhã memso irei buscar o venvanse e torcer para que ele me traga algum beneficio.

    Abraços a todos.

    P.s: perdoem a pontuação e acentuação, mas estou escrevendo do celular e é horrivel escrever corretamente usando o.

    • Alex,
      eu também tenho dificuldades terríveis com o Inglês. Estudei minha vida inteira e até hoje não tenho segurança e confiança em seguir uma conversa simples. :/

      • Me incluo nesta condição. Alguém ai fez algum curso alternativo que teve resultado consistente? Parece que existem alguns cursos com métodos de memorização que dão bons resultados. Alguém pode dizer algo sobre isso?

        • Pessoal,

          há bastante tempo tenho depressão…já fiz diversos tratamentos…já usei de tudo…só que até hj nunca consegui obter a resposta que obtive há seis anos atrás quando fiz meu primeiro tratamento para depressão com o lexapro! Parece que meu ciclo circadiano havia voltado ao normal…ou seja, meu ritmo biológico voltou ao lugar! A qualidade do sono…a minha ansiedade diminuiu etcetcetc! Contudo, tive recaída e de lá pra cá…nunca mais consegui retornar ao que eu era! Há seis anos que venho tendo uma péssima qualidade de vida! Minha energia vital vai a cada ano piorando!! Me horrível ao acordar…aquela sensação de falta de energia e preguiça! Ao fim da tarde já estou um “caco”…sem força e energia! Minha reclamação principal em todos os médicos que passei foi essa falta de energia…parece que estou com 90 anos! Nossa uma péssima qualidade de vida! Durmo tarde e acordo tarde…contudo por mais que eu durma…continuo cansado ao longo do dia! Já perdi um emprego por não conseguir chegar no horário….enfim, minha vida está horrível…essa perda progressiva de energia é uma coisa insuportável! Ao relatar meus problemas para um psiquiatra…sempre comparado a situação de uma bicicleta que está com um pneu furado…vc até anda…mas faz mto mais esforço q mtos q estão com os dois cheios! Sinceramente, não sei se esse cansaço absurdo advém da depressão…se de TDAH…será q TDAH gera perda de disposição/energia?? Será que sou narcolepso?? Enfim…vou fazer mais uma polissonografia para ver a questão do meu sono…se está tdo ok com a arquitetura dele! Já havia feito um e deu q estava tdo ok…contudo a minha psiquiatra passou novamente! Estou com a receita do venvanse e sinceramente espero que ele melhore a minha disposição e raciocínio! Se alguém puder me indicar um bom psiquiatra no RJ tb agradeço! Sinceramente…acho q nenhum psiquiatra entende nada…acho que somos mais cobaias do q qq outra coisa. Enfim…vou tentar dormir agora! Abraço a todos!

          • Luciano
            Me sinto como você. Tenho depressão há anos…
            Sinto essa falta de energia horrível, que é o que mais me incomoda.
            Estou tomando venvanse 50 e o psiquiatra já passou para 70. Como vc está? melhorou? Gostaria de trocar idéias sobre esses sintomas tão cruéis…

  • Olá,

    Estava pesquisando sobre o Venvanse e achei seu site.
    Tenho TDAH e faço uso do Venvanse 70mg há quase 3 anos.
    Tenho 24 anos e consegui me formar com muito esforço.
    Comecei a faculdade ainda sem este medicamento.
    Anteriormente fiz o uso do Ritalina e do Concerta, os quais me trouxeram malefícios e tive que suspender, com orientação médica, de imediato.
    Na faculdade já tive prejuízos já no 1º semestre, perdendo 2 matérias.
    No 2º semestre, não consegui mais dar conta, abandonando na metade.
    Foi aí que fui a um novo psiquiatra que receitou o Venvanse.
    Os resultados foram imediatos. Voltei à faculdade e mantive o foco, conseguindo enfim, explorar todo meu potencial que sempre quis e nunca tinha conseguido por estar presa ao TDAH.
    Com o 1º ano de faculdade prejudicado, o curso que escolhi com duração de 2 anos, superior tecnológico de Design de Interiores, foi concluído em 3 anos e meio. Escolhi o curso por me identificar com a área e pelo tempo de duração que me deixou mais tranquila ao pensar que nesse tempo eu terminaria o que comecei. Pensei que daria pra levar mesmo com todos os danos que eram causados pelo TDAH, além de perceber também que se tratava de um curso com mais trabalhos do que provas, o que não exigiria tanto da minha concentração e atenção quanto estudar para provas. Apesar de ter escolhido pensando em todos os ‘poréns’ que o transtorno me limita, dei sorte de escolher a área que gostava.
    Tenho 6 meses de formada. Fiquei com depressão assim que concluí o curso, desmotivada em todos os setores da vida.
    Pensei: pronto, consegui! E foi tão difícil que talvez eu já tenha cumprido meu papel na vida… Estou completamente estafada de toda essa carga que depositei e não imagino que tenha mais pela frente…
    Então me senti cada vez mais inútil com meu diploma na mão e não fazendo o que sonhava e me via fazendo…
    Parecia mais complicado agora. Comecei a questionar tudo… Meu futuro principalmente.
    Tendo em vista que todos que se formaram na minha frente estavam sendo consultores de venda em lojas de design, pontuei em primeiro lugar que não foi pra isso que estudei. Queria projetar ambientes.
    Então, percebi que teria que fazer meu nome para ter clientes e abrir um escritório. Pontuei outra coisa importante: não tenho perfil empreendedor. Teria que montar um escritório, ter funcionários, lidar com pagamentos e vender meus projetos, teria que “vender meu peixe”, eu novamente não me vi fazendo apenas o que queria: projetos. São trabalhosos e eu ainda teria que cuidar de uma empresa que vende projetos, não era isso também.
    Desmotivada ao extremo, achei que minha formação não ia me servir e eu tinha que pensar em como iria sobreviver, e com tantos problemas teria que pensar numa estabilidade pro meu futuro.
    Então tentei estudar pra concurso, em 6 meses de curso, percebi que era informação demais pra mim, causando muita ansiedade e desespero, não dava pra mim… E nem era minha área. Não sabia mais o que seria de mim.
    A essa altura já estava depressiva, sem sair de casa, sem vida social e afetiva, sentindo dores no corpo, peso nos olhos, em cima da cama o dia todo e trocando a noite pelo dia, o que durou mais tempo que as outras vezes que tive insônia.
    Me perdi nas doenças e remédios: não sabia se a depressão causava insônia, ou a insônia causava depressão, ou o TDAH causava depressão que causava insônia, ou o Venvanse causava insônia… Varias possibilidades, e minha vida uma bagunça total.
    Marquei Psicoterapia e psiquiatra então. Com a demora de agendar uma consulta de 1 mês de espera, comecei uma pesquisa desesperada sobre minha situação e resolvi tomar as rédias do meu problema enquanto esperava a consulta, e nessa pesquisa consegui me ajudar com a insônia, continuo desmotivada, mas consegui sair da cama, e da depressão…
    Fiz planos, não tenho pra onde correr, gosto da minha área, e quero trabalhar com o que gosto. Minha cabeça abriu e vi que vou conseguir fazer o que gosto se eu fizer faculdade de Arquitetura, tendo duas opções: trabalhar em um escritório de arquitetura ou em uma construtora, desse modo faria o que gosto: projetar ambientes.
    O plano é: começar o curso e estagiar para garantir um emprego assim que formar. Tendo formação em áreas afins, terei grandes chances de sair empregada no que quero fazer.
    É importante traçar metas, fazer planos, me motivar, tentar acreditar em mim e nos meus sonhos, pois sem sonhos eu não vivo, só existo… Sem planos, metas, sonhos, a tendência é a inércia.
    Tenho que lidar com todos os problemas ainda, lidando com eles tenho mais chance de solucionar muitos deles, e com outros simplesmente saber conviver. Mas ir em frente mesmo com as dificuldades. Ninguém falou que seria fácil… E o fato é que a vida continua, o que eu decido fazer com ela é o que muda.

  • Caros,

    Como boa DDA não li todos os coments. Tomei venvanse de 50 e tive exatamente o mesmo efeito colateral que o jão tinha. Fui ao psiquiatra com essa mesma sensação de não me reconhecer mais. Para minha surpresa ele, que é uma psiquiatra referência em TDAH para adultos no Rio de Janeiro, me receitou uma remédio de manipulação que não é de venda controlada a base de piracetam e ginko biloba.

    Não sei ao certo sobre os efeitos, no momento estudo para concurso público e é dificial avaliar até onde vai o tdah e até onde vai o problema das pessas normais de dificuldade de disciplina,.

  • Estou tomando o Venvanse 50, comecei a tomar por causa da DDA e porque tenho problema com meu peso, comecei a tomar nessa segunda feira e hoje, quinta (30/01/14) eu fui me pesar, e vi que emagreci 2 kg, em 4 dias! Eu fico mais ligada também, quero conversar toda hora, porque fico pensando muito, mas adorei o remédio, queria continuar tomando pra vida inteira, porém é um absurdo de caro :(

  • VEVANSE E INSÔNIA. Socoooorro.
    Gente, muito bom ver esse blog. É enriquecedor ver as experiências de cada um.
    Eu estou tomando Venvanse 30mg há 11 dias e não consigo dormir. Quando deito, durmo rápido, mas sempre acordo no meio da noite e tchau tchau sono. Além do Venvanse, faço um tratamento com Exodus 10mg toda noite. O meu médico me aconselhou tomar um rivotril sublingual nos cinco primeiros dias para tentar dormir, mas o rivotril me faz bocejar o dia inteirinho.
    Vocês tiveram insônia com VENVANSE? Se sim, durou quanto tempo e tomaram o que para minimizar?
    Agradeço pelas respostas porque estou me sentindo perdida…

    • Mari, eu tive e muito. Minha cabeça não parava de funcionar. No meu caso, eu tomava o de 50 e reduzir a dosagem para 30 ajudou. Outra coisa que passei a fazer também foi tomar o remédio bem cedo, antecipando o termino do efeito.

      • Obrigada pela resposta, João.
        Vi no outro tópico que muita gente tem insônia.
        Estou tomando rivotril todas as noites para poder dormir. Mas ainda estou no primeiro mês de tratamento. Vamos ver como serão os próximos meses.
        Abraços,
        Mari

  • Bom dia!
    Excelente este post!
    A NeuroPediatra aconselhou meu filho (11) a tomar o Vivanse 30mg.
    Apesar dos efeitos dados em você, vou arriscar e irei comprar para meu filho.
    E a atenção será muito maior e irei observar atentamente as reações dele, principalmente estas que deu em você.

    Arthur.

    • Arthur, depois volte para nos contar como seu filho reagiu com a medicação.
      Abraços,
      Mari

  • Encontrei esse blog achei bem interessante os comentários ,comecei fazer u uso de venvance comecei com 25 até então tava tudo certo ,sentir calor mais nada tão assim exagerado , melhorou um pouco minha concentração ,ai passei para 50 depois de duas semanas ,no terceiro dia tomando o de 5o me deu uma reação muito apavorante comecei a perder muita aguá pelo corpo , a mesma hora que saia muita aguá ,desidratava também ,fiquei desesperada ,meu coração começou a bater ,nossa foi horrível, o pior era pensar que eu não poderia tomar esse remédio ,por que com ele eu virei outra pessoa ,disposição concentração tudo maravilhoso ,mais ai suspendi por uma semana ,a crise foi tão forte que 7 dias sem tomar o remédio os efeitos anida continuavam , meu médico pandou passar par 35 ,esperei até hoje para tomar de novo ,eu ja estava com resto de sintomas mãos ásperas e suando , ai tomei ,mais estou percebendo que minha mãos suam ainda ,e com isso fica sensível até para pegar nos objetos ,não sei o que fazer me sinto tão bem em relação a concentração , o foda e que ta atacando meu físico , mais não quero parar de tomar ,pq volto a ser desorganizada desanimada ,preciso estudar estou atrasada na escola ,e percebi que sem um tratamento eu não produzo nd .

    • Brenda , é normal esses efeitos excessivo de tremor, e calor no ínicio do tratamento, eu tbm tinha esses efeitos com o Vevanse 30mg, depois de mais ou menos 2 semanas não sentia mais nada, muito pelo contrário sentia que o remédio não fazia um efeito tão prologando, hoje estou com o vevanse de 70 mg, porém não tem muita diferença do de 30 e 50 mg,e o máximo que podemos tomar por dia do vevanse é 70 mg, não podemos associar com o de 30 nem de 50mg, agora tem um porém nisso tudo, muitos médicos pedem a manipulação desse medicamento, eu não confio em manipular, pode ser a melhor farmácia do mundo para manipulação eu não mando fazer, pq esse custo barateia, pq o vevanse é um valor altissimo !!! prefiro pagar o valor, e normalmente eu só acho na farmácia São Paulo.

  • Tenho lido muitos relatos de pessoas apresentando efeitos colaterais pelo Venvanse, e queria ter tido a chance de ler isso mais cedo. Realmente, como vc contou no post, o inicio eh lindo e marabilhoso. Eh como se eu tivesse tomando o Concerta pela primeira vez, aquela sensacao de ter superpoderes. No meu caso a conta veio depois de uns 6 meses de uso: acabei tendo uma crise de estressa que, amplificada pelo Venvanse, me causou um ataque paranoico. Acho que o principal agravante foi a questao do sono: com o Venvanse, chega a noite e eu me sinto completamente cansado, mas acabeca continua funcionando a mil. Se alguem for comecar a tomar eu recomendo que fique atento especialmente a questao do sono: se vc comecar a dormir menos, ficar acordado ate muito mais tarde (mesmo tendo aquela sensacao de cansaso) ligue o alerta! Em casos extremos, combinado com uma situacao de estresse, o remedio pode causar ataques de paranoia e psicoce. E horrivel!
    No meu caso eu vou voltar para o Concerta mesmo; apesar de eu ter pensado na possibilidade de seguir com o Venvanse em uma dose mais baixa e nao diariamente (desisti dessa possibilidade pois seria uma guerra com minha psiquiatra rs).
    Adorei o seu blog, escreva mais!

  • Foi bom ler seu post, deu confiança antes de aderir à mudança de medicamento orientada pelo médico… Porém, não houve adaptação aos efeitos colaterais e fiquei com um vidro com quase metade dessas cápsulas caras… Se houver alguém em Fortaleza que já faça o uso sistemático e tenha interesse em comprar… São 12 cápsulas Venvanse de 30 mg.

  • Comecei a me tratar do TDAH tardiamente, mas para mim ficou claro que a percepção de que é uma doença social causada por uma sociedade ultracompetitiva era infundada.
    Tinha problemas em todos os aspectos da minha vida e não só profissional .

    Acho que o termo em si já está errado, não existe deficit de atenção, mas sim um excesso de atenção. O que existe de fato é um deficit de foco e a falta de uma função executiva.

    O TDAH não é de todo ruim, ele traz uma percepção única do mundo, extremamente sensitiva,que só tem serventia para artes, área que igualmente necessita de uma função executiva presente. No mundo real de contas para pagar, ele é um karma.

    Acho que um ponto a ressaltar é que apesar de termos uma questão em comum, somos todos diferentes. Os níveis de introversão, comunicabilidade, sociabilidade variam por N outros motivos, que envolvem tanto questões psicológicas como o nosso estilo de vida. Não dá para associar tudo ao remédio. No momento, estou em um período sedentário e com uma má alimentação, e não vou jogar culpa nenhuma no remédio enquanto não estiver fazendo minha parte.

    Comecei com a Ritalina e me incomodavam exatamente os efeitos similares de drogas como a cocaína. Boca seca, perda de apetite, um vazio abrupto depois do efeito. Me sentia drogado.

    O Venvanse tem alguns efeitos colaterais de apetite e sono, mas nada que impacte de fato, e não se percebe o fim do efeito, a saida é suave. Em relação ao apetite, costumo tomar o remedio bem cedo e almoçar mais tarde. O sono também vem normalmente.

    Existem dois efeitos que para mim, são mais importantes.

    O ciclo do pensamento fica muito rápido e claro e isto fica visível para você e para todos que trabalham com você. Você consegue administrar uma quantidade de informações que as outras pessoas não conseguem. E aí vem uma dúvida ética, será que isto é o meu potencial real de fato?

    O outro que é mais preocupante, é a diminuição do senso de risco. Trabalho literalmente falando o que penso o tempo inteiro, independente da hierarquia. Me sinto muito capaz e tranquilo e vejo que a empregabilidade não é problema, mas se analiso o cenário com mais frieza vejo que isto não é tão real assim.

    • Fernando, em quanto tempo você começou a sentir os efeitos do Venvanse na produtividade?

  • Bom, eu recebi o diagnóstico do meu neuro de TDAH na sexta-feira (143\14), através de um exame de P300. Parando para pensar e analisando os sintomas, acredito que tenho isso desde criança. Hoje, com 28 anos, acho que descobri tarde, não? Estava me preparando para ser mãe mas agora, com o diagnóstico, estou desesperada pq não sei como vou fazer para engravidar pois não me vejo sem a medicação. No mesmo dia do diagnóstico comecei a tomar a tal da ritalina 10mg, às 13h, e meio cp, às 18h. Não estou com muito efeito colateral mas estou preocupadíssima com a história de a ritalina fazer mal ao coração se usada a longo prazo. É verdade? Já mandei e-mail pro meu neuro para trocar para o tal venvanse. Estou completamente perdida com tudo isso… choro muito. Escuto as pessoas dizerem que é “normal”, “comum”… mas do jeito que me sinto é horrível. Será que é por eu sei nova na “tribo”?

    • Oi Gabi!
      É normal se sentir assim, perdido e sem chão depois de receber o diagnóstico. Você não descobriu tarde. Eu, por exemplo, descobri aos 32 anos. É claro que passa todo um filme na nossa cabeça, pensando o quanto de oportunidades a gente perdeu por não ter descoberto essa condição mais cedo. Mas procure esquecer o passado e focar naquilo que você não irá perder mais daqui pra frente.

      Percebo pelas suas mensagens que você está é mais ansiosa do que preocupada. Eu também sou muito ansioso, o que me ajuda a baixar a ansiedade são atividades físicas. Que tal tirar a poeira da bike e dar uma volta pela cidade? ;)

      Se o metilfenidato (ritalina e concerta) faz mal a longo prazo para o coração, eu não saberia te responder. O organismo de cada um se comporta de maneiras diferentes. Meu conselho é que você continue fazendo o acompanhamento médico e tire todas essas dúvidas com ele.

      Em paralelo, procure orientação psicológica. As sessões de terapia ajudam bastante nessa fase de pós-diagnóstico. Faz com que você se sinta bem, menos perdida e encontre formas de conviver melhor com essa condição.

      Espero ter ajudado!

      Obrigado pela visita e desejo de coração que você encontre a paz que precisa. ;)

  • Alguém responde meu post acima :)

  • Assustador o seu relato parece que estava escrevendo sobre minha pessoa.

    Relato os mesmos efeitos com o Venvanse.
    Para efeitos de analise dos demais do grupo relato:
    Ao contrario de ti iniciei com ele (Venvanse) somente usei o Concerta(2meses) qndo ele (venvanze) faltou ao mercado Brasileiro, mas nao me adptei, continuo com o Venvanze;
    DICA:
    mas uma tecnica boa que surte efeito eh suspender na quinta-Sexta e retomar de Domingo-segunda. Funciona para mim.

    Mas durmo duas a tres horas nos dias de semana, e 12 a 14 qndo suspendo.

    bom chega de tc ja estou ficnado agoniado rsss, preciso trocar de atividade rsss – eh serio
    fui – parabens pelo bloq – para mim foi de grande proveito.
    abracos

  • Minha vida com o venvanse é um caso de amor e ódio. Faço o uso do medicamente há uns 2 anos, mais ou menos. Mas só do ano passado pra cá resolvi usá-lo com mais frequência. Então, há dias que meu humor está nas alturas, ótimo e eu produzo bastante. Nisso, o remédio é ótimo… Mas em outras dias, sinto exatamente o contrário: fico irritada, inquieta e o que mais me incomoda, é fato de eu ficar bem deprimida sem razão aparente. Fico com pensamentos negativos, como: “Que merda que preciso tomar esse remédio pra conseguir estudar.”. É meio difícil tentar explicar o que sinto, mas venho sentido uma certa vontade de abandonar o medicamento, apesar de já me considerar dependente, pois nos dias que não uso venvanse, não consigo fazer nem 50 % do que eu deveria quando estou medicada. Ah, detalhe que não tenho depressão e nunca tive (segundo minha terapeuta). Tomo a dosagem de 50 mg, mas sinto que já está perdendo um pouco o efeito. Não sei ainda o que fazer, mas já percebi algo curioso que acontece comigo: Quando estou na TPM e naturalmente fico mais irritada, emotiva, etc, percebi que o Venvanse potencializa esses sintomas. Então, resolvi não usá-lo nesse período. Gostaria, por favor, que se alguém já tiver sentido os mesmos efeitos colaterais, que falasse aqui. Acho que eu me sentiria melhor em saber que não sou a única a ficar assim…

    • Pensei que era só comigo que acontecia isso na TPM, o vevanse na TPM é foda…ele potencializa mesmo os sintomas, e daí parece que o remédio não esta fazendo efeito….é o 2ºmes que percebo isso…tomo o vevanse de 70 MG…eu adoro esse remédio, nunca me deu efeito colateral,a não ser na TPM, somente a fome que realmente o de 70 mg praticamente você para de comer.!!

  • Boa tarde Grace, João Vicente. Tentei fazer o uso do concerta, aguentei quase 2 meses, mas a sensação de vácuo, um vazio no final da ação do medicamento me impossibilitou q continuidade do tratamento com ele. Como a vida e nem o TDAH perdoam, tive que voltar para o venvanse: Juro por Deus que não sei o que tem nessa medicação que acaba com a memória, deixa o corpo moído e durante a noite com a cabeça cheia de pensamentos. Acabei com a minha saúde . Tirando as 3 horas iniciais na parte da manhã , fico feito um idoso de 90 anos ( tenho 35) na cama, sem memória das situações do momento presente, mas as dos passado ( infância a maior parte, vindo em diversos momentos do dia) exausto e com 150 mg -prescrita pelo médico alegando ao longo do tempo que eu havia criado “tolerância” e que os sintomas que eu vinha sentindo era por conta da perda da eficácia da medicação e consequente aumento das evidências dos sintomas do TDAH. Fui no neuro nem duas semanas atrás, fiz diversos exames, morrendo de medo de estar com demência precoce, mas os resultados deram normais dos exames e esse neuro quer eu pare com o venvanse, mas quem tolera a abstinência dele? Sinto que venvanse acabou com a minha vida de vez.

  • Nossa, Diego, isso que você falou é muito sério. 150 mg?? Meu Deus, não quero e nem vou chegar a esse ponto. Eu tenho percebido que também estou com alguns blackouts de memória e vez ou outra meu corpo também fica dolorido. Coincidentemente ou não, há um tempo atrás tive uma tendinite e inflamação na córnea, ao mesmo tempo. Sei lá, parece que ele mexeu com o meu sistema imunológico. Mas a minha idéia é ir diminuindo as doses aos poucos até conseguir ficar totalmente sem. Enquanto isso, vou tentar outros meios alternativos, como meditação. Eu tomo gerovital e ginko biloba, mas, sinceramente, não sinto quase efeito nenhum. O pior são os meus pensamentos, típicos de quem já está viciado. Tipo:” Ah, vou usar só mais amanhã e depois eu paro.”Meu Deus, é muito ruim ser assim! Meu conselho é: Tentem procurar outros tratamentos e deixem esse remédio para o último caso, somente depois que você tentou vários métodos e não deu certo com nenhum. Venvanse é meio que um caminho sem volta….

    • Eu já estava no venvanse 70mg, e meu psiquiatra dizia que era assim mesmo que tinha pacientes que estavam tomando 90mg (comprimidos reencapsulados para esta dosagem). Acabei deixando este médico, ainda estou procurando outro. Eu tinha mais uma receita pra 70mg que eu por conta própria mandei dividir as capsulas por dois ficando com 35mg. Já que a dose sempre vai subindo eu pretendo ficar na de 30mg apenas. Com estes de 35mg à tarde já estou mais devagar, mas melhor que aquela soneira sem medicação. às vezes até dou uma dormidinha após o almoço, rs… o que seria impossível com uma dosagem efetiva. Esta dosagem traz algum beneficio? Qual o impacto de uma sub-dosagem? Será que encontro algum médico que concorde com minhas idéias sempre malucas? Sei lá! Dentro de algumas semanas acabam estas capsulas reencapsuladas, vamos ver no que vai dar. Boa sorte a nós DDAs, que nossos pecados sejam perdoados por Deus! Aqui na terra acho difícil. Marcelo

  • Grace, eu me sinto exausto o tempo todo e quando eu tento parar é horrível, é como ter a hiperatividade que inicialmente ele tratou tão bem em volta 4 vezes pior. Eu queria saber o que tem nesse remédio, não é possível. Como encontro poucas referências d epacientes brasileiros com mais de um ano de uso dele, busquie relatos no askpatients e santo Deus, são bizarros. E a mentira das 12 horas? Digita Vyvanse + 3 hours no google e veja, tudo uma enganção para cima de nós. Se reclamo para minha família vão se virar contra o TDAH, é horrível demais. Se alguém conseguir alguma informação sobre essa medicação favor nos informe. Abração.

  • Olá, como acontece com todos.. a adaptação do organismo nos faz querermos dosagens maiores ..buscando os resultados do inicio do tratamento ! Eu comecei com o de 30 mg… alguns meses passaram e diante meus relatos o psiquiatra logo me receitou o de 70 mg, como qualquer dosagem o início é maravilhoso ! então me dei por conta que se continuasse com o de 70 .. logo estaria dobrando a dosagem, dito pelo vício que a medicação causa ! já dividi comprimidos de 30 mg, 50mg, 70 mg, … e na bula já diz que isto esta incorreto fazer !.. mas fiz e percebi que os resultados não são bons.. vc começa o dia até legal, mas ao final o cansaço é maior, irritabilidade, manias e pensamentos negativos ! Sem falar na dor nos ossos ao amanhecer ! Então já decidi que se preciso da medicação, não vou esperar por milagres.. tão menos por mega resultados, a 1 ano estou tomando 30 mg/dia , faço um intervalo forçado de 2 dias.. e procuro descansar nesses dias. Sem neuras ! só uma dica, EVITEM DIVIDIR OU AUMENTAR AS DOSES ! Boa sorte a todos.

  • Por que é errado dividir o medicamento, Fritz?

    • Olá Grace, na bula já não recomenda, só que eu fiz por um bom tempo.. e fui percebendo resultados curtos e não satisfatórios.. e os efeitos colaterais aumentaram.. como citei acima.. Então se existe capsulas com dosagens específicas que foram estudadas.. testadas .. por um longo período , não há porque eu altera-las ;) ainda mais um medicamento tarja preta. Hoje eu tenho essa consciência. Boa sorte.

  • Oi, já entrei algumas vezes neste blog e , apesar d já ter tido vontade, só hj resolvi escrever. Como já tomo há cerca de 2 anos, acho q agora posso contribuir e talvez ajudar. Já li aqui comentários que me ajudaram muito, mas isso só aconteceu qd resolvi ler todos. Deixei de me sentir um ET ao ver que o que eu sentia e sinto ė normal entre mts usuários dessa droga. Sempre morri de medo. Logo de cara senti q começei a viver em funçao do remedio. Eu via a mudança ao longo do dia , todos os dias. E me aterrorizava . Me senti completamente bipolar. Passava da animaçao, alegria, sociabilidade e disposiçao, para um estado lamentável. Em alguns dias, ( eu nunca percebi a razao) eu tenho um cansaćo tāo forte , que nem falar consigo. Em outros, ele parece ñ funcionar. Fico meio triste, do nada. Fora o medo de ter um ataque do coraçao. Sinto o ritmo aumentar e as vezes tenho q parar tudo e deitar. Para ver se acalma . Lendo este blog, descobri outras pessoas inconformadas qt eu. Pessoas que tentaram, estao tentando se tratar com métodos alternativos. Ę é o q eu venho fazendo. Aproveitei a clareza que este remedio me deu e estou investindo no auto conhecimento, na consciencia. Na minha opiniao , unica coisa a fazer é tentar se conheçer , treinar a consciencia e sair do automático .as vezes acho q estou renascendo. Tenho espetança pois resolvi pegar p mim a funçao do remédio. Vou mudando aos poucos , com mt luta, tentando romper oautomatismo. Tenho q admitir q sem o remedio, mm fazendo terapia, nada ecoava dentro d mim. Comecei a juntar e entender uma porçao de coisas q antes ficavam só na superfície. Hj, tenho noçao d que o caminho é longo e exige o maior esforço. Tb tenho sorte de já ser naturalmente interessada por tudo o que eu tenho procurado. Desde livros simples de auto ajuda, meditaçao e curso intensivo de auto conhecimento. Vou parar . Isto já esta decidido. E é por essa razāo q resolvi escrever. Acho esse remedio uma loucura. Nunca me conformei. E JAMAIS daria a um filho meu, sem tentar TUDO. Os primeiros sinais de alarme aconteceram com surtos de raiva e descontrole . Mmo sabendo q eu até poderia encontrar razoes externas para perder a cabeça, fiquei aterrorizada c o q senti. Fora o desgaste d corpo. Me sinto envelheçendo fisicamente. Passei a fumar como louca. Ultimamente notei q estou uma chata. Nem eu m aguento. Mal começam a contar alguma coisa e eu sinto uma enorme inquietaçao. Irritaçao c a falta de percepçao das pessoas. Tenho q me controlar p nao dizer o que acho. Pois p mim, tudo está sempre tāo claro, óbvio.. Ando c medo d sair e falar o q ñ devo. Já escutei q estou densa, intensa, complicada… E é verdade. Minha conversa virou um saco. Sob efeito, falo sem parar.durmo mal . E o gosto na boca… Horrivel. Vivo c bala e spray bucal. Bom, espero ter contribuido c este forum q ja me ajudou muito, dando força p quem quer parar e alertando quem ñ está dentro dessa montanha russa. O pior de tudo é ter perdido a noçao de quem eu sou. Outra coisa, quem compara tomar esteremedio c remedio p diabetes, hipertensao e etc., me parece muito estranho…. P mim, só quem toma entende.. Boa sorte p todos nós.

    • Olá Laura, praticamente o mesmo tempo que eu de uso .. e vc disse tudo! A medicação não é para uso prolongado.. mas quem consegue ficar sem ?.. já que eles advertem a dependência…
      Hoje ainda não me vejo sem, e mesmo com tantos efeitos colaterais.. o venvanse me consegue colocar em ação.. E como vc disse, se policiando para não dizer oque realmente pensa frente as pessoas ..rs Tambem me sinto um bipolar… e no meu caso é que sem o medicamento eu penso, imagino e concluo um acontecimento que ainda tenho que fazer.. mas acabo não fazendo nada! e quando faço fica pela metade.. trazendo -me desmotivação.
      Já com o remédio, quando a idéia vem .. sinto o impulso para coloca-la em ação… e o dia acaba sendo produtivo. Mas o esgotamento também é visível. Tudo tem os prós e os contras.. cabe a cada um se observar e ver oque esta sendo melhor pra si.. porque laboratório e médico só visam $$ !
      E como meu cérebro não para.. fico imaginando como reage a criançada fazendo uso do venvanse… visto que no próprio frasco diz uso pediátrico. Acho que não temos aqui relatos dos pais.. que fizeram tratamento com seus filhos.. Sei lá, eu também sou um que não daria para um filho.. mas sou dessa opinião porque faço uso… é complicado! Seria interessante eles relatarem, e graças a esse blog que o João criou tem ajudado muita gente..
      Força a todos .. abraços!

  • olá … tb como alguns de vcs sou portadora de TDAH ….e descobrir essa limitação gdo fui procurar ajuda para meu filho de 16 anos numa neurologista , ao conversar comigo e meu filho junto a medica descobriu que eu era tdah e meu filho dda . Desde então tomo CONCERTA 54 Mg , sou empresaria , a mais do ramo de confecção , e tb formada em administração , sempre tive serias dificuldades com organização , lembrar coisas tratadas em uma reunião com equipe de trabalho , sem contar que nunca me sai bem como Dona de casa , mãe , e esposo enfim as vezes me via no meu mundo e me perguntava o que eu estou fazendo aki….. se eu fosse listar todas dificuldades que tenho ia encher este comentarios e nos tdah ,gostamos de falar escrever na minha faculdade de Administração de empresas eu ganhei um troféu da aluna que mais questionou os professores nos 4 anos de faculdade .
    Hoje sou usaria do concerta 54 a 2 anos e vejo como vcs como ele me deixa eletrica, mais dinâmica e mais focada ,sou capaz de insistir numa criação de um novo modelo horas e horas sem desistir ,coisas que não faria sem o medicamento , gdo chega a noite to acabada , só querendo uma cerveja gelada para tentar relaxar….
    só tomo o remedio até quinta feira não consigo tomar mais ele me consome ..fico cansadissima , mas poroutro lado sei que o medicamento ressalta meu talento como empresaria e designer estive de ferias nos estados unidos e resolvi lançar uma coleção de bebê e recém -nascido . desde de janeiro estou totalmente envolvida horas a fio criando coisas lindíssimas , sei que são bonitas pq depois as pessoas dizem …nossa isso será um sucesso a coleção está programada por mim para ser lançada em maio de 2014 daqui a pouquinho ….kkkk sei que estou muito cansada pois passo horas criando desde as embalagens até os produtos , mas tenho dificuldade da minha equipe assimilar o que quero e o meu maior desafio hoje e além de criar os produtos e ter que aprender e ensinar meus profissionais a fazer . sem remédio……..eu chutaria o balde ..(.dito popular) não teria paciência de insistir tanto….. enfim não pretendo tomar este remedio o resto da minha vida não sinto..que ele me consome demais …mas realmente sinto que com ele temos oportunidades de ser grandes empreendedores e de sucesso …então Amigos vamos tirar proveito destes momentos que estamos sendo medicados… beijus a todos vcs e quero tb destacar aki que cada um de vcs tem um pouquinho de mim .. Assim não me sinto um E.T

  • Olá, boa noite!
    Sobre o seu texto e reflexão, acho interessante lhe passar algo que penso.
    Acredito sim como vc mesmo disse que viemos com essa diferença por algum motivo…..talvez para nos limitar de certas ações e assim melhorar em outras…mentes brilhantes sem controle podem ser perigosas……grande abraço e mais uma vez, parabéns pelo texto!

  • Gente, hoje posso dizer que estou livre do venvanse. Estou a quase 1 mês sem usar. Bom, as primeiras 2 semanas são as mais difíceis por conta da abstinência. Senti muito sono, indisposição, dor de cabeça, enxaqueca e o mais difícil: pensava toda hora em tomar o medicamento. Pra mim, esse foi o mais difícil, porque eu já estava determinada a parar, mas sempre me vinha na cabeça uma desculpa para usá-lo. Já na segunda semana, pedi à minha irmã que guardasse o remédio pra mim e não me falasse onde colocou, porque eu sabia que poderia ter uma recaída a qualquer momento. Deu certo. Os sintomas foram aliviando, apesar de ter apresentado uma taquicardia bem desconfortável na segunda semana sem o uso… Bom, relutei bastante e agora estou aqui. Sem efeitos da abstinência e sem a vontade de voltar a tomar o remédio… Eu estou disposta a vencer as minhas limitações. Eu conheço muitas pessoas que têm TDA e conseguem atingir seus objetivos sem remédio nenhum, no máximo um pó de guaraná. Não é fácil, é sempre mais penoso sem remédio algum. Mas sabem, um dia, querendo ou não, o corpo vai arcar com as consequências de uso prolongado de remédios assim. Quem garante que esse remédio não pode acelerar um processo de AVC ou Alzheimer? Eu que não vou arriscar… Fora outros riscos também. Enfim, meu conselho é que se puder evitar de tomar o venvanse, evite! Como vocês mesmos puderam ver, eu me descrevi como literalmente uma ex drogada. Fica aqui a minha dica…

  • Olá, fui diagnosticado portador desse transtorno há alguns meses. Comecei a tomar o conserta (Permite ótimos trocadilhos…) de 18 mg. Achei que não teve efeito algum, passei para o de 36 mg. Depois de ler no seu blog e em outros locais o depoimento de várias pessoas, esperava um efeito “Matrix”, ver aquelas letrinhas verdes subindo e entender o mundo de o outra forma. Efeito desejado não obtido, mudei, depois de dois meses, para o Venvanse de 50mg. No primeiro dia achei que estava fazendo efeito, embora não da forma que esperava. Estava mais motivado, um pouco mais concentrado e falando pelos cotovelos. Tudo bem que tinha toda uma expectativa e um efeito psicológico no meio disso tudo. No segundo dia não achei a mesma coisa, mesmo assim foi positivo. Passado uma semana, já não achava a mesma coisa. Recentemente comprei minha segunda caixa do vensanse e coincidentemente, passei a ficar com uns tiques terríveis. A princípio não liguei, pois sempre tive algum tipo de PEQUENO tique ou cacoete. Entretanto depois que minha esposa me contou que eu estava parecendo maluco, reparei o quanto exagerado estava. Mexia as sobrancelhas, as orelhas, piscava e revirava os olhos a todo momento. Liguei para o meu médico e conversei muito rápido. Ele achou melhor suspender o Vensanse até a próxima consulta. Tomo outros medicamentos e não sei se pode ter sido provocado pelo uso conjunto, estresse ou ansiedade (confesso que sou muito ansioso e durmo muito pouco). Estou há alguns dias sem tomá-lo, mas os tiques continuam. Vamos ver.
    Abçs

  • Olá,

    Eu tomei a dosagem do Venvanse 30mg por aproximadamente 10 meses.

    Único efeito colateral que tive foi um tique na boca. Parei de tomar o Venvanse á alguns meses e o tique não foi embora, ou seja, pelo que entendi o cérebro senti falta do medicamento, e é algo que eu não consigo controlar é mais forte do que minhas vontades. O tique é na boca, fica mexendo a boca de um lado para o outro. Sinto muito sede, e para amenizar um pouco o tique eu vivo com chiclete na boca.

    Depois disso não tomei mais nenhum medicamento, fiquei preocupado, é como um drogado que para de usar droga e a mente fica pedindo mais e mais….

    Sinto falta do medicamento, apesar do tique alguns sintomas foram melhorados, mesmo sem o uso do medicamento eu não sinto tanta ansiedade como antes. Mas aquela indecisão de antes, ainda continua, é um parto escolher uma roupa na loja, etc…

    Abcs,

  • Iniciei minha vida nas farmácias após uma depressão que , ao cotrário dos outros episódios despressívos, não queria me largar mais. Dos ansioíticos passei pros antidepressivos e depois para a ritalina , pro concerta e, finalmente, estou usando o venvance. Gostaria de, a seguir, passar algumas informações que, espero, sejam úteis a algumas pessoas.

    • Bom dia! Minha psiquiatra me encaminhou para uma psicóloga clinica que aplica um teste que identifica o ponto que tenho maior deficiência, e um teste aplicado para identificar se os pacientes são portadores de TDH , pois elas estava em duvida se eu tinha uma ansiedade potencializada ou o deficit de atencao. Ele aqui no Brasil só existe em nível 3, nos EUA, já existe o nível 5. Mas digo, não precisaria do 5 na minha opinião, pois seu grau de complexidade e rápida resolução e altíssimo, algo do tipo prova para superdotados, o teste dura 3 hs, ( impossível fazer na sequência), dividi em 2 dias e mesmo assim sai moído do teste. O laudo saiu ( bem extenso), e o teste apontou onde eu me sobressaio e onde tenho dificuldades, o que surpreendeu a psicóloga ( especialista na aplicação desse teste) , foi a minha superação em exercícios de alto grau de dificuldade, relacionados a memória fotográfica, criatividade e rápida resolução para exercícios que vários de seus pacientes nem conseguiam concluir a metade. Porém, em testes mais básicos onde exigia a minha concentração para resolução de números e cálculos eu tinha dificuldade, típico de alguns portadores da síndrome.
      A psicóloga entregou o teste e a psiquiatra chegou a conclusão que tenho dificuldade de concentração e não de desatenção, ou seja, a minha falta de concentração supera a desatenção. A medica provavelmente ira experimentar o Venvanse, pois com a Ritalina eu ficava um turbilhão, principalmente com a de 10, com a LÁ tive melhor resultado, mas procuro fugir dos EC, pois a Ritalina me deixava impulsivo demais, atropelando assuntos e agitado. Mas digo para os portadores, esse teste vale muito a pena ser feito, ele não e barato, custa R$ 450,00 aqui no Sul, mas digo, foi um investimento que fiz, pois me surpreendi com a minha capacidade mental para exercícios que exigem raciocínios imediatos, de rápida resolução e me decepcionei com outros que achava que eram mais fáceis de resolver, só assim conseguimos chegar a um diagnóstico mais preciso. Mas vamos lá, vou experimentar essa medicação e em seguida retorno para vocês. Um abraço. Eduardo

  • Tenho TDAH e estou usando o venvanse 50mg, porem nao estou conseguindo controlar meu orgasmo, ja aconteceu com algum de vocês?! na hora da tranza eu to gozando mais rápido do que o normal de quando eu nao usava o venvanse 50mg. será que é por causa do remedio, ou é algo psicológico?!
    abraço!

    • eu comecei assim, ejaculava e nao sentia nada, agora nem libido tenho mais , muito menos namorada :)

    • Braian,
      tanto o Venvanse quanto o Concerta em nada afetou a minha vida sexual.

  • Comecei a tomar o venvance50mg hj.. ja tomava o concerta…
    bom, sei que eh cedo, mas minha experiencia nao tem sido das melhores
    Apos 2 horas fiquei euforico, energizado e falante… com o passar das horas fui ficando c uma sensacao estranha, ruim, nao sei bem explicar, mas c os nervos a flor da pele… alem disso, agora, nomomento que escrevo, sonto aquela angustia desagradavel que sentia nas primeiras semanas da ritalina…
    Alguem aqui passou por isso no inicio? Sou medico, mas confesso q fico mto tentado em parar e voltar para a ritalina, msm sabendo que sao apenas.possiveis efeitos colaterais de inicio de uso da medicacao… alguem passou por algo parecido?

    • Para mim é a mesma coisa.. sinto altos e baixos … e ja uso a um tempão ;)

    • Armando,
      eu passei por tudo isso. E alguns só sumiram a medida que minha médica foi ajustando minha dosagem. Comecei no 50, fui pro 70 (uau! pilhado 24h) até me adaptar ao de 30. Só com ele que todos os efeitos colaterais sumiram. Volta e meia surge uma boca seca, uma tendência a falar mais do que devo ou uma depressão no final do dia. Mas nada parecido com o que era no início.

  • Ola, parabens pelo blog…
    Usasei durante muito tempo ritalina, mas como tinnha preconceito e dificuldades para aceitar ser portador de deficit de atenção, fiquei anos sem tomar e minha vida realmente ficou confusa….
    Bom, no que importa hoje, retomei o tratamento e estou tomando há duas semanas Venvase 50 Mg, porém simplesmente não durmo. Durmo no máximo 04 horas por noite.
    O médico disse que esse efeito passa, que o corpo se acostuma, mas tenho minhas dúvidas.
    Alguém podia me ajudar? Estou pensando em parar o tratamento de novo, ou voltar pra ritalina porque com ela eu não tinha essa dificuldade…
    Abraços e aguardo ajuda…
    Gustavo

  • POXA….DOIS DIAS DE VENVANSE DE 30MG E NÃO DURMO, COM TENSÃO, SUPER CANSADA, POREM ME AJUDA BASTANTE NOS ESTUDOS E MANTER O FOCO….MAS SERÁ QUE PODERIA TOMAR UM RIVOTRIL PRA DURMIR? SEI QUE NÃO É MEDICO, MAS ALGUÉM PODERIA ME AJUDAR A RESPONDER ISSO NESSE MOMENTO…..A ESSA HORA DA NOITE 23:23H

    • Olá Adriana, o começo é assim mesmo.. tente tomar o medicamento mais cedo ;)

  • Estou no meu segundo dia de Venvanse 30mg e não senti efeito algum. Isto é normal? Quanto tempo demorou para você sentir os efeitos?

    • Daniela, se não está fazendo efeito, é provável que a dosagem não seja a ideal para você. Procure seu médico e informe a ele sobre isso.

    • Sim, eu tbm não tive efeitos colaterais !! ainda bem, pq tem gente que sofre.

  • Acabo de conhecer o blog, e com toda certeza vou me tornar um frequentador assíduo. hehehe Bom, vamos lá… Encontrei este blog através de uma busca sobre o Venvanse, pra ter um pouco mais de conhecimento, na verdade pra ver se eu encontro opiniões daqueles que já fizeram o uso. Até mês passado eu costumava tomar o concerta, ainda tenho um certo receio de reiniciar o tratamento com outro remédio, mas você me encorajou. Fico um pouco preocupado em relação aos efeitos colaterias, já que sofro de insônia, e o Concerta potencializou esse meu “probleminha”. A respeito da insônia, meu psiquiatra me receitou o Patz SL 5mg. É um excelente remédio, não deixa nenhum efeito no dia seguinte, de rápida eficácia e ao que pesquisei não causa dependência. Pode parecer papo de hipocondriáco, mas minha história com a insônia não é de hoje (acho que pelo fato de eu ter optado trabalhar durante a madruga por muitos anos, pelo silêncio e sensação de tranquilidade), e com o Concerta elevei meu corpo ao extremo. Enfim, já falei demais, e ainda nem tomei o Venvanse… hehehe
    Obrigado por relatar sua experiência, posso dizer que pra mim ajudou bastante!!
    Um abraço.

  • Gente sofro junto com vcs com o TDA, passei uma infância sofrida sendo humilhado taxado de burro, tonto e outras q só q tem tda sofre. comecei várias coisas e nunca terminei nada e isso me deixava com a auto estima lá em baixo !! eu não entendia pq meus primos e amigos eram bem sucedidos em alguma coisa e eu em nada. comecei três facul e não terminei nenhuma !! a 4 anos atrás eu conheci a cocaína e isso destruiu de vez a minha vida, hoje eu sou um adicto em recuperação e ao mesmo tempo um suicida !! tenho recaídas em q eu misturo a droga com os remédios. isso é como pedir pra ter um avc ou um infarto, já fui várias vezes pro hospital e graças a Deus ainda estou vivo. Já tentei tomar a ritalina q pra mim não serve, já q não sou hiperativo !!
    comprei o Venvanse de 50. e tenho dormido muito pouco cerca de 5 horas ou menos, sei q o efeito dele dura 14 horas mas no meu organismo eu não consigo dormi. tomo 1 tegretol, 3 diazepam de 10 e ainda 1 fenergan de 20.
    Gente me ajudem . socorro . fiquei internado numa clínica para dependentes químicos e a própria médica me explico q cocaína pra meu caso é remédio . eu não sei oq fazer !! já pensei várias vezes em cheirar até me matar

  • Eu também usei os dois o concerta 54 e o venvanse 70.
    O efeito do venvase é esse mesmo, parece que só tem o botão de ligar não desliga mais…
    O concerta eu achei que dá uma “Bad” depois de um tempo, tipo um “sono” o q tu acha?

    Grato,
    JP

  • Vejo pessoas comentando de seus tratamentos medicamentosos para TDHA.
    Desculpe meu jeito direto mas, como sou psicolologa e administradora, trabalhei anos em empresas farmaceuticas. As maiores e mais tradicionais. Infelizmente, a utilidade de qualquer droga é limitada e como Executiva dentro das empresa, sempre participava de reunioes para AUMENTO DE VENDAS DAS DROGAS e MANUTENCAO DO TRATAMENTO. Ou seja, as pesquisas raramente tinham foco na CURA ou menor efeito colateral.
    Isso não só acontece em medicamentos psicoativos. Acontece no diabetes tambemmmmm.. Portanto NAO USEM.

  • Olá !
    Eu tomo Vevanse de 30 mg, fui diagnosticada com TDAH com 27 anos,faz 3 semanas que tomo o remédio, é inacreditável o poder desse remédio,eu sou outra pessoa depois que comecei a tomar, não tive nenhum efeito colateral,apenas no primeiro dia que tomei que realmente não tive fome nenhuma, e não conseguia dormir nem ferrando ! mais ja no segundo dia consegui comer, não muito, mais tbm não sou de comer muito,e dormir normal, ele te da atenção, nunca consegui assistir um filme até o final, me irritava, não tinha atenção, agora assisto 5 filmes de uma vez kkkkk pior que é verdade, ele é incrível, super recomendo pra quem tem TDAH, e digo pra aquelas pessoas, que tem mais efeito colateral, insistir no remédio pq passa, o organismo se acostuma ! hoje tenho muita atenção, começo uma atividade e consigo terminar, coisa que antes nossa era quase impossível terminar uma atividade !! agora o mês que vem já vou pro Vevanse 50 mg….vamos ver !!! ate logo.

    • Va com cautela !!. infelizmente oque vc esta sentindo agora não é duradouro.. e chegara uma hora que vc irá se questionar.. eu aumentei minhas doses e só piorou.. então hoje, passado dois anos resolvi ficar no de 30mg mesmo. Boa sorte

  • Hoje é quarta-feira.

    Ouvi aqui que o Ritalina dá efeitos que lembram a cocaína. Mente agitada, inquietação, depressão pós efeito, bad, tira a fome, insonia…

    Ouvi aqui que o Vevanse dá sonolencia, dá fome, e não da bad, não da depressão…

    Resolvi levantar minha bunda magra da cadeira e comprar 3 energéticos para usar até sábado.

    Vamos ver no que vai dar essa porra

  • Resumindo minhas experiências: No início tudo estava bem, e o remédio me dava um empurrão pra realizar as tarefas me mantendo mais motivado. Alguns meses depois tive problemas de ereção tomando ritalina e mais ainda com Venvane. Fora outros efeitos colaterais como dor de cabeça e insônia. Minha conclusão e sugestão: Se for procurar ajuda, procure primeiro uma terapia. O que precisamos fazer em primeiro lugar é corrigir HÀBITOS que nos atrapalham e nos prejudicam. O remédio oculta esses hábitos, mas não os trata. Por isso resolvi abandonar a medicação e aprender mais sobre mim mesmo e enfrentar na raça tudo que me prejudica. MUDEM SEUS HÁBITOS EM PRIMEIRO LUGAR. É O PRINCIPAL!INSITAM EM MUDAR ISSO, MESMO QUE PAREÇA IMPOSSÍVEL!

  • QUAL O VALOR DO CONCERTA ? E, O VENVANSE , O FINAL DAS CONTAS , É BOM OU NÃO???

  • Eu tenho 16 anos e eu ja to tomando o venvase de 30 mg faz alguns meses. No comeco foi tudo maravilhoso. Eu me sentia atenta, disposta , confiante , como voce disse realmente com super poderes, determinada a fazer as coisas e feliz. Me sentia feliz.
    Nas ferias eu parei de tomar o medicamento porque eu queria relaxar, o remedio nos deixa muito euforico e muito agitado. Mas entao nas ferias, aconteceram algumas coisas q me deixaram muito triste. Chorava todos os dias, nao queria fazer nada, me cortava enfim, estava muito mal.
    Ai eu voltei a tomar o remedio de novo com esperanca de melhorar o meu animo. E so piorou. Eu me sinto atenta e dispostas mas prefiro ficar na cama o dia inteiro. Quando eu tomava o remedio antes das ferias, eu falava demais. Agora o simples fato de pensar a falar, me da um desanimo.
    Realmente e dificil de explicar, eu me sinto mais vazia ainda quando eu tomo o remedio.
    Eu queria saber se os efeitos negativos q eu to tendo do remedio sao os resultados do meu estado emocional

  • Eu percebo que o efeito do Vevanse na TPM diminiu drasticamente o efeito,2º mês que percebo isso.

  • Olá, tudo bem?
    Eu uso o venvanse de 70 mg e um dos efeitos que mais sinto é a falta de fome, e quando como sinto que o gosto da comida fica diferente e o que eu como fica pesando no meu estômago e comer já é pra min um desafio que tenho que passar por todos os dias, mas quando não tomo a medicação me alimentar já é uma coisa prazerosa de fazer…
    Uma outra coisa que me encomoda e que o medicamento me deixa mais reservado, não folo com ninguém e me da muita vergonha.
    Outra coisa que me encomoda e a falta de sono na hora de dormir. Não agüento mais fico acordado até de madrugada e não consigo me levantar para ir pra escola e minha mãe me enche o saco por causa disso e fala que eu não levanto porque fico mexendo no meu celular… E quando chega o fim de semana estou exausto, esgotado de tudo e de todos e fico muito bravo.
    O que eu posso fazer? Já tomava o conserta antes só que não faz o mesmo efeito de quando comecei a tomá-lo, existe algum outro remédio que posso substituir o venvanse?

Got anything to say? Go ahead and leave a comment!